Plataforma Friends in the Arts ajuda a encontrar emprego no mundo das artes
(Fotografia: EF via Friends In The Arts)

‘Friends In The Arts’: nova plataforma ajuda a encontrar emprego no mundo das artes

Friends in the Arts (FITA) é uma plataforma digital que quer facilitar a colaboração e a procura de emprego no mundo das artes. Acaba de ser lançada e reúne ofertas de emprego, estágios, open callsfellowships, residências, bolsas, prémios, workshops e conferências.

FITA disponibiliza três serviços personalizados — “Job Catalog”, “CV Helpdesk” e “One-to-One Talk”— por uma subscrição mensal ou anual.

O “Job Catalog” inclui ofertas de emprego exclusivas, em áreas como a curadoria, produção cultural ou arquitetura, a nível nacional e internacional. Há também o serviço “CV Helpdesk“, que apoia as candidaturas a vagas de emprego, e ajuda na construção e adaptação do currículo e carta de motivação às necessidades de cada pessoa. A “One-to-One Talk” é uma mentoria personalizada com entrevistas, que explora o plano de carreira e os objetivos profissionais de cada pessoa.

Francisca Gigante, curadora e programadora cultural, é a mente por trás desta plataforma. Depois de trabalhar em várias instituições culturais, como a Coleção Peggy Guggenheim (Veneza), a Bienal de Veneza e o MAAT (Lisboa), percebeu como era difícil, no mundo artístico, aceder a vagas de emprego. Esta “falta de democratização da área e de formação e qualidade nas condições de trabalho”, levou-a a criar a FITA.

“A Friends in The Arts foi construída entre Veneza e Lisboa. O objetivo da FITA é ser um agente de mudança no campo das artes, desmistificando, descentralizando e abrindo portas a oportunidades no mundo das artes e da cultura. Queremos conectar constelações: pessoas com talento que procuram emprego com pessoas que trabalham em organizações que querem encontrar talentosos profissionais no âmbito artístico e cultural internacional”, explica Francisca Gigante, em comunicado.

Como colocar um valor na assistência à procura de emprego?

Além dos três serviços, a plataforma inclui ainda artigos com conselhos sobre as entrevistas de emprego, e dicas para “desbloquear a abertura de portas no mundo das artes”. A subscrição da FITA custa 2,99 euros por mês, ou 29,99 euros por ano.

Francisca Gigante explica ao Espalha-Factos que o preço da subscrição foi calculado através de “testes e inquéritos a um grupo restrito de profissionais — uma amostra da população — que trabalham ou procuram emprego no mundo das artes, não só em Portugal como no estrangeiro.” Depois, foram feitas análises SWOT — que estudam a estratégia, fraquezas, pontos fortes e oportunidades de um modelo de negócio ou projeto —a plataformas concorrentes com o mesmo tipo de público.

plataforma já está disponível e inclui oportunidades em instituições como o Guggenheim, The Lisbon Consortium, European Cultural Academy, Atopos Gallery Veneza, Canadian Art, Fondation d’Entreprise Martell, entre outras.

Lê também: ‘A Cultura é Segura’: Iniciativa garante segurança no regresso aos espaços culturais
Mais Artigos
Mão de Midas
‘Mão de Midas’. Um mistério por resolver no novo sucesso espanhol da Netflix