José Condessa
Fotografia: Divulgação

Opinião. ‘Bem Me Quer’ simplifica e traz frescura ao horário nobre da TVI

Bem Me Quer é a nova novela da TVI e é protagonizada por José Condessa, Bárbara Branco e Kelly Bailey. O trio de protagonistas é o mais jovem de sempre de uma novela portuguesa de horário nobre e chega com o objetivo de cativar outros públicos no horário da estação.

Escrita por Maria João Mira, autora de novelas como Ilha dos Amores, A Única Mulher ou A Herdeira, Bem Me Quer é a mais recente aposta da TVI na área da ficção e é totalmente diferente das apostas anteriores da estação. Encomendada por Nuno Santos, diretor-geral da Quatro, a história de Maria Rita poderá ter vindo influenciada pelo sucesso de Nazaré, da SIC, mas apresenta-se com uma abordagem totalmente distinta. É leve, jovem e não necessariamente algo que é feito para ser levado a sério. Não é um drama com comédia, é uma comédia com um bocado de drama.

Bem Me Quer conta a história de uma jovem e inocente rapariga, Maria Rita (Kelly Bailey), que se envolve com uma realidade totalmente contrária àquela que conhecia, quando o seu destino se cruza com o de David (José Condessa), levando-a a encontrar em Vera (Bárbara Branco) uma inimiga capaz de tudo para a ver miserável. O plot é simples e de denso nada tem. Podemos até dizer que é a fórmula base de grande parte das novelas: rapariga conhece rapaz, rapaz tem outra rapariga cuja personalidade é dúbia. Já vimos isto, estamos a ver de novo e voltaremos a ver. Ninguém fica interessado em voltar a ver a história que já foi repetida vezes sem conta, porque se ganhar público jovem é complicado, mais complicado fica quando a inovação ficou esquecida. Ainda assim, Bem Me Quer vem com uma proposta diferente das novelas anteriores da TVI.

Bem Me Quer
Fotografia: Divulgação

Amar Demais, de Maria João Costa, assume-se como uma produção mais adulta e séria, tal como Quer o Destino, que tinha uma vingança e uma violação como alicerce da narrativa. Em Bem Me Quer encontramos uma leveza na história que a estação já não entregava há muito tempo – talvez desde Doida Por Ti – novela protagonizada por Sara Matos, também escrita por Maria João Mira. A história de Maria Rita, David e Vera poderia dar origens a uma novela de fim de tarde e, provavelmente, conseguiria ter sucesso nesse horário. Porém, numa altura em que o público jovem parece cada vez mais difícil de conquistar – mas faz grande diferença para os números da televisão – a quatro aposta numa história de fácil consumo, engraçada e com um elenco recheado de rostos mediáticos e até alguns influencers.

Angie Costa, Margarida Corceiro e David Carreira são alguns dos nomes conhecidos do público que marcam presença na nova novela da TVI, que deixa de lado (ou coloca em segundo plano) as grandes estrelas do canal. Aqui, o plano principal está virado para o trio de protagonistas, para a frescura, para a novidade. Porém, para primeiro episódio, faltou uma cena que realmente marcasse pela diferença.

A nova história da TVI não tem grandes defeitos, mas a estrutura do primeiro episódio deixa a desejar. Não é necessário começar uma novela no estrangeiro (desta vez, nem era possível) mas espera-se que o início do episódio nos prenda e nos mostre ao que vamos. Bem Me Quer conquista pela premissa, não pelo que apresenta no primeiro capítulo, que embora nos deixe com a sensação de que o futuro será melhor, termina com a ideia de que o presente foi mais ou menos. A estreia parece um episódio comum, o que é bom porque ajuda a conhecer as personagens no seu natural, mas mau, porque não nos conquista por completo.

Kelly Bailey
Fotografia: Divulgação

Se nos focarmos nos pormenores técnicos, a nova novela da TVI resolve alguns problemas do passado e destaca-se por dar cor a uma história que por si só já parece viva e luminosa. Após um passado de novelas escuras e com uma aura até negativa, Bem Me Quer parece ser uma novela bem-disposta e com alegria, pelo trabalho da realização e tratamento de imagem. Está longe de ser perfeita, mas é um passo em frente na construção de uma identidade visual própria para cada novela, em vez de uma identidade visual própria da produtora.

Para alguns, Bem Me Quer poderá não ser atrativa e parecer simplesmente mais uma novela. Nas redes sociais surgiram vários comentários sobre os diálogos e algumas incoerências em comparação com a realidade, mas num contexto televisivo, de uma estação que ambiciosa voltar a ser líder no horário nobre, Bem Me Quer tem em si reunida grande parte de todos os ingredientes para o sucesso.

Com um elenco chamativo, uma história simples que poderá prender, uma banda sonora cativante e uma realização que prende o olho, mesmo não sendo a mais artística, Bem Me Quer peca onde todas as outras novelas portuguesas pecam: parece ser mais do mesmo. Mas talvez o tempo nos mostre que era isto que o público tanto queria.

Mais Artigos
Opto
Opto. Experimentámos o streaming da SIC por uma semana