Foto: Spotify

Limp Bizkit e Linkin Park: 20 anos de dois álbuns que marcaram uma geração

Músicas como 'Rollin' ou 'In The End' são ainda ouvidas 20 anos depois da sua estreia

20 anos foram lançados dois dos álbuns mais marcantes da cena do rock/nu metal. Hybrid Theory, dos Linkin Park, e Chocolate Starfish and The Hot Dog Flavored Water, dos Limp Bizkit, marcaram uma geração que ainda hoje lhes é fiel.

A última década do século XIX foi sem dúvida marcante e importante por vários motivos. É o fim da guerra fria, dá-se a consolidação da democracia, morre  a Princesa Diana, estreia a série de sucesso Friends e viajam os primeiros passageiros pelo canal da mancha. Mas, para além da revolução dos anos 90 a nível político ou social, também a cena musical estava a sentir os ventos da mudança. Com a cena grunge forte no panorama musical, marcavam ainda presença nas rádios o R&B e o Teen Pop. Mas é no decorrer da década que surgem duas das maiores bandas que marcariam os anos 90 e os inícios de 2000.

Limp Bizkit e Linkin Park, vieram quebrar as barreiras musicais, e fundiram os sons do hip-hop com a sonoridade rock/metal. Dois álbuns com pontos em comum, mas que são ao mesmo tempo completamente diferentes.

Limp Bizkit e Chocolate Starfish

Em 1994, nascem, em Jacksonville, os Limp Bizkit. Fred Durst (vocalista), Sam Rivers (baixista) e John Otto (baterista) são os membros fundadores da banda. Mais tarde, junta-se ao trio o guitarrista Wes Borland e o Dj Lethal, ficando assim completa a irreverente banda. A mistura da sonoridade rock com o som do hip-hop, conquistou fãs de ambos os géneros musicais. Chocolate Starfish and The Hot Dog Flavored Water é provavelmente o melhor álbum da banda. Lançado a 17 de outubro de 2000, este é o álbum que vai consolidar o sucesso dos Limp Bizkit e também aquele que reúne os maiores êxitos.

Chocolate Starfish estreou em primeiro lugar na Billboard 200 e, só na primeira semana, vendeu mais de 1 milhão de álbuns. O mundo estava rendido à banda. Provocadores, irreverentes e sem papas na língua, os Limp Bizkit estabeleceram-se como uma das maiores bandas de nu metal a nível mundial. Nas 15 faixas do álbum está bem presente o som agressivo, já tão característico da banda, acompanhada da forte lírica influenciada pelo hip-hop. Este metal em forma de rap resultou muito bem e veio mostrar que na música não existem barreiras.

Repleto de temas explícitos e de contestação, o álbum é uma verdadeira viagem nostálgica pelo nu metal do início dos anos 2000. A música ‘Hot Dog’ é uma faixa provocadora e que não deixa nada por dizer. Um bom exemplo da veia controversa da banda. Já temas como My Generation e My Awayespelham uma mensagem de revolta e apelam ao inconformismo.

A fazer parte deste álbum estão ainda os temas Rollin’, um dos mais conhecidos, e ‘Take a Look Around’, que ficou mundialmente conhecido ao fazer parte da banda sonora do filme Missão impossível II. Os Limp Bizkit são assim reconhecidos como um dos maiores nomes do nu metal, que transcende gerações.

Linkin Park e o sucesso instantâneo de Hybrid Theory

Dois anos depois surgem os Linkin Park. Fundados em 1996, na Califórnia, a banda de Mike Shinoda (multi-instrumentista), Chester Bennington (vocalista), Brad Delson (guitarrista), Rob Bourdon (baterista), Dave Farrel (baixo) e Joe Hahn (DJ) é uma das bandas de rock mais bem sucedidas de todos os tempos.

Hybrid Theory é o álbum da estreia da banda que se tornou num fenómeno instantâneo. Lançado a 24 de outubro de 2000, este é um outro exemplo de como a fusão do hip-hop com o rock resulta na perfeição. Apesar de também apostar na mistura destes dois géneros musicais, os Linkin Park apresentam uma abordagem bem distinta dos Limp Bizkit.

A lírica em Hybrid Theory é uma partilha de traumas pessoais, como a violência, vícios e a depressão. A luta com os fantasmas do passado e as marcas que ficam deles são contadas ao longo das faixas. Não que a nível musical o som seja mais pesado, mas é nas letras que este toma proporções mais sombrias e talvez até mais adultas. Mas nem por isso se torna um álbum depressivo. A musicalidade dos instrumentais e a voz de Chester tornam o álbum viciante.

Hybrid Theory está repletos de temas que se tornaram verdadeiros hinos para os fãs da banda. ‘Papercut’ é um dos temas que demonstra bem a mistura entre o rap de Mike Shinoda e a sonoridade rock. Outro dos temas que demonstra bem como as vozes de ambos encaixam na perfeição é In The End’. Esta que é provavelmente uma das músicas mais conhecidas do público em geral, tem uma forte presença do rap. Em ‘One Step Closer’ ou ‘Crawling’, temos uma sonoridade mais rock e pesada. Hybrid Theory tem faixas que fazem bem o equilíbrio entre o rap e o rock, e letras sinceras com as quais é fácil alguém se identificar.

Este é um álbum à frente do seu tempo, que abordava já temas como a saúde mental quando esta era ainda muito pouco falada. Hybrid Theory continua a ser um dos melhores álbuns de rock de todos os tempos, tendo sido mesmo o disco mais vendido de 2001. Para além disso, em 2005, recebeu o disco de diamante.

Onde estão agora?

Ambas as bandas continuaram no ativo ao longo dos anos. Depois de Chocolate Starsfish, os Limp Bizkit lançaram ainda mais três álbuns de estúdio. Embora mais afastados das luzes da ribalta do que na década de 90 ou início dos anos 2000, a banda continuou no ativo e tem concertos agendados em vários países. Para além disso, estão também já confirmados para o EDP Vilar de Mouros a realizar-se em 2021.

Já os Linkin Park continuaram todos estes anos mais próximos do grande público. A banda lançou mais seis álbuns de estúdio, sendo que muitos dos seus temas fizeram parte da saga Transformers. Depois dos já clássicos de Hybrid Theory, muitos foram os temas que se juntaram à lista de grandes êxitos da banda. ‘Numb’, ‘Faint’, ‘Somewhere I Belong’, ‘Breaking The Habit’, ‘Shadow of The Day’, ‘What I’ve Done’, ‘Leave Out All The Rest’ são apenas alguns dos temas que marcam o resto da carreira dos Linkin Park.

No entanto, e apesar do constante sucesso, a banda encontra-se neste momento em pausa e com um futuro incerto, depois da morte do vocalista Chester Bennington. Recentemente, e de modo a comemorar o 20.º aniversário do álbum, foi colocado à venda o Hybrid Theory: 20th Anniversary Edition. Foram ainda disponibilizadas, no Youtube, demos nunca antes ouvidas.

Mais Artigos
Mão de Midas
‘Mão de Midas’. Um mistério por resolver no novo sucesso espanhol da Netflix