Anya Taylor-Joy em Gambito de Dama
Fotografia: Charlie Gray/Netflix

‘Gambito de Dama’: nova série da Netflix é sobre xadrez, feminismo e vício

Gambito de Dama é uma nova minissérie de época que chega esta sexta-feira (23) à Netflix. Protagonizada por Anya Taylor-Joy segue uma jovem órfã prodígio do xadrez.

A série baseia-se no romance The Queen’s Gambit de Walter Tevis. Publicado em 1983, o livro conta a história de ascensão de uma órfã que se transforma numa das melhores jogadoras de xadrez do mundo. Além de acompanhar a vida e crescimento de Beth Harmon, trata temas como o vício e também o feminismo.

Gambito de Dama segue a história do romance, e mostra como Beth escapa de um orfanato e consegue vencer várias partidas de xadrez, num mundo dominado por homens, até chegar ao campeonato na Rússia. À medida que vai subindo na carreira do xadrez, isola-se cada vez mais do resto das pessoas. O vício, a loucura e a vontade de escapar deste mundo que encontra também são abordados, enquanto a jovem tenta apenas sobreviver.

Lê também: Crítica. ‘Gambito de Dama’ é uma série arrebatadora

O drama de época conta com Anya Taylor-Joy no papel principal e foi realizado e escrito por Scott Frank (realizador de Sem Deus e argumentista de Minority Report), com Allan Scott (As Bruxas de Roald Dahl). O elenco inclui ainda as estrelas Thomas Brodie-Sangster (Maze Runner) e Harry Melling (Harry Potter).

Um retrato feminista de uma luta contra o vício

Passada nos anos 60, Gambito de Dama retrata a cultura hippie, as difíceis relações entre os EUA e a União Soviética e também o movimento de libertação feminina. “Aquilo que eu reparei sobre a história é que a Beth é uma feminista de uma maneira que muitas pessoas são“, disse Anya Taylor-Joy ao Observer. Para a atriz, este papel mostrou-lhe como “o significado do feminismo é apenas que todos os géneros são criados iguais e que todos podem querer o que quiserem“.

A atriz teve de aprender xadrez para o papel e também fez muita pesquisa sobre alcoolismo. A personagem que interpreta é um génio, mas que também tem os seus demónios. Para Anya Taylor-Joy, não é comum vermos uma mulher genial no ecrã, que ao mesmo tempo tem fraquezas e problemas. Por outro lado, os homens génios são muitas vezes também alcoólicos ou viciados noutra substância, e continuam a ser sexy na mesma. “Fico feliz que o vício de Beth mostre que é um problema para todos. Só porque és um homem isso não torna o vício sexy. Ainda é um problema“, explica.

Gambito de Dama tira o seu nome de uma famosa jogada de abertura no xadrez e chega à Netflix a 23 de outubro.

Mais Artigos
Quais são as vantagens do uso de envelopes personalizados?