mariah carey
Imagem: Facebook Oficial Mariah Carey

Mariah Carey revela envolvimento em álbum de rock alternativo

'The Meaning of Mariah Carey' revela a participação inédita da artista no álbum da banda Chick.

Mariah Carey lançou a sua aguardada autobiografia, The Meaning of Mariah Carey. Em antecipação, no domingo (27), a cantora fez revelações inéditas sobre o seu percurso, nomeadamente o seu envolvimento no álbum de rock alternativo da banda Chick em 1995.

O projeto, gravado em paralelo com o disco Daydream, nunca chegou a ser publicado, mas ajudou a artista a ultrapassar “dias difíceis”, nas palavras da própria via Twitter. “Curiosidade: gravei um álbum alternativo enquanto estava a fazer o Daydream. Só pela piada, mas ajudou-me a passar por dias difíceis”, escreveu Mariah Carey no passado domingo (27).

No excerto disponibilizado do livro, Carey revela os detalhes do processo de construção do LP, uma experiência inesquecível pelo seu cariz “cru e urgente”. “Eu trazia a minha pequena canção de rock alternativo à banda e murmurava uma melodia tonta de guitarra. Elas pegavam naquilo e gravavam-no de imediato. Era irreverente, cru e urgente e a banda envolveu-se bastante. Eu até comecei a amar algumas das canções. Eu entregava-me completamente à minha personagem”, afirma.

Um escape à perfeição

Mas por que criou Mariah Carey esta persona nos anos 1990? A resposta está no estilo grunge e punk adotado pelas “artistas brancas” da altura, imagem que serviu de escape a Carey.

Elas podiam estar zangadas, angustiadas e descuidadas, com sapatos velhos, lábios gretados e sobrancelhas indomáveis, ao passo que qualquer movimento que eu fazia era calculado e maquilhado. Eu queria libertar-me, descontrair e expressar a minha tristeza – mas também queria rir. Eu ansiava totalmente por fazer as sessões com o meu alter-ego da banda todas as noites depois de Daydream, conclui.

Às declarações pessoais junta-se um fragmento musical que conta com harmonias nunca antes creditadas da cantora. The Meaning of Mariah Carey foi lançado a 29 de setembro, e promete abordar tópicos como a infidelidade, o racismo e o romance com Derek Jetter.

 

 

Mais Artigos
sulli hara
Opinião. Um ano sem Sulli e a toxicidade da indústria do kpop