Golpe de Sorte
Fotografia. SIC

‘Golpe de Sorte’ muda de horário e fica longe de ‘Quer o Destino’

Com a quarta temporada de Golpe de Sorte a ficar aquém das anteriores nas audiências, a SIC voltou a trocar as voltas ao horário nobre. Contrariamente ao que estava previsto na grelha desta segunda-feira (28), Golpe de Sorte foi para o ar depois de Terra Brava.

A jogada, que já tinha sido ensaiada na passada quarta-feira (23), não correu bem à estação dirigida por Daniel Oliveira. Transmitido a partir das 23h11, o episódio especial de Golpe de Sorte deixou escapar a liderança do horário para a TVI.

A história de Maria do Céu não foi além dos 696 mil espectadores, correspondentes a uma audiência média de 7,3% e a um share de 20,4%. À mesma hora, Quer o Destino superava os 10 pontos de audiência e rondava os 28% de share, impondo uma diferença significativa contra a SIC.

O episódio especial de Quer o Destino, que começou às 22h52 e também concorreu com Terra Brava, teve uma média de 970 mil espectadores (10,3% / 26,8%) e chegou à liderança quando Golpe de Sorte arrancou na SIC. De regresso ao horário que já ocupou, Terra Brava liderou confortavelmente até ao intervalo. O episódio especial da novela da SIC foi para o ar às 22h14 e registou 11,7% de audiência e 25,5% de share.

Quer o Destino Mateus
Fotografia: TVI

Antes disso, Nazaré abriu a noite da SIC com 13,5% de audiência e 26,2% de share, voltando a ocupar o primeiro lugar do top do dia, seguida de perto pelo Jornal da Noite (13,0% / 24,9%). Na TVI, Amar Demais (10,9% / 21,6%) manteve-se em segundo lugar no horário.

Nas contas globais do dia, e apesar de a TVI continuar a dar sinais de recuperação, a liderança manteve-se nas mãos da SIC. A estação da Impresa registou 20,2% de share, contra 17,5% da TVI.

RTP1 trepa até à liderança da tarde com a Volta

As audiências desta segunda (28) ficam também marcadas pela subida da RTP1, que chegou aos 14% de share na média do dia, um dos melhores registos dos últimos tempos.

O maior contributo para a subida foi dado pela Volta a Portugal, que garantiu à RTP1 cerca de uma hora de liderança durante a tarde. A etapa, transmitida entre as 15h e as 17h43, teve uma média de 304 mil espectadores (3,2% / 15,0%).

Entre os destaques positivos do primeiro canal estiveram também O Preço Certo (10,1% / 24,7%), que voltou a ganhar destacadamente o acesso ao prime time, e o Telejornal (10,2% / 19,7%). Também Depois do Crime (8,1% / 14,8%) continua com bons números para a RTP1, batendo esta segunda-feira novos máximos.

O dia da RTP1 ficou também marcado pela derradeira edição de Prós e Contras. A despedida de Fátima Campos Ferreira teve uma média de 225 mil espectadores (2,4% / 7,8%), um valor dentro do registo habitual do programa.

Outros destaques do dia
  • As mexidas no horário nobre da SIC também afetaram Totalmente Demais (4,1% / 20,0%), que passou a ir para o ar mais tarde. A novela brasileira liderou no horário mas teve o Extra do Big Brother (3,1% / 20,0%) no seu encalço. O reality show da TVI assumiu a liderança isolada após o fim da novela.
  • O Você na TV! voltou a ser líder, com 3,8% de audiência e 22,3% de share. Casa Feliz (3,4% / 20,0%) conseguiu aproximar-se na primeira parte e manteve a habitual liderança na reta final, durante a Crónica Criminal. Na RTP1, o Há Volta (2,1% / 12,5%) ocupou sempre o terceiro lugar.
  • Prova Oral teve o pior registo da temporada, com 0,3% de audiência e 2,6% de share. Apenas 24 mil espectadores viram o talk show de Fernando Alvim, que foi para o ar mais tarde que o habitual, às 0h55.
  • Ainda com aulas repetidas, o #EstudoEmCasa da RTP Memória continua praticamente sem alunos. A aula mais vista do dia foi a de História para o 9.º ano, às 16h01, com escassos 5.400 espectadores (0,1% / 0,3%).
Dados Live+Vosdal da GfK, referentes a 28 de setembro de 2020.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Arnold Schwarzenegger
Arnold Schwarzenegger sente-se “fantástico” após cirurgia cardíaca