Shifter - Sapo

Diretora artística do Festival de Locarno rescinde por mútuo acordo

A diretora artística do Festival Internacional de Cinema de Locarno, Lili Hinstin, demitiu-se do cargo por mútuo acordo, alegandovisões estratégicas divergentes“. Hinstin dirigia o evento suíço, conhecido por entregar anualmente o Leopardo de Ouro ao melhor filme a concurso, há quase dois anos. O último vencedor foi Vitalina Varela (2019), do português Pedro Costa, que arrecadou o prémio de forma unânime.

O anúncio foi feito esta quinta (24) tanto pelo Festival de Locarno como pela própria diretora artística, partes discordantes de como deveria ser o futuro do festival dedicado à sétima arte e ao cinema independente. Na altura da entrada para o cargo, pelo final de 2018, Lili Hinstin substituía Carlo Chatrian, que estava de partida para a Alemanha com a missão de dirigir, com Mariette Rissenbeek, o Festival Internacional de Cinema de Berlim.

A rescisão surge, no entanto, como “chocante“, explica a revista The Hollywood Reporter. Apesar de a edição do corrente ano ter sido cancelada devido à pandemia de coronavírus, e posteriormente dedicada à mostra de momentos de filmes inacabados pelo mesmo motivo, a estreia da dirigente, em 2019, foi considerada pela maioria um sucesso.

Após agradecer o trabalho efetuado pela diretora artística, através de comunicado, a direção do Festival Internacional de Cinema de Locarno declarou que o conselho de administração e a direção vão reunir em breve para discutir quem vai suceder a Lili Hinstin. A ex-diretora artística ficou conhecida por fundar a produtora Les Films du Saut du Tigre, em 2001.

Mais Artigos
Casa Feliz
‘Hell’s Kitchen’ com Ljubomir já tem inscrições abertas na SIC