Emmys
Fotografias: Reprodução/ABC | Instagram/Zendaya

Emmys 2020. Número de atores negros premiados foi o maior de sempre

Sete atores negros estabeleceram, este domingo (20), um novo recorde ao serem premiados nas principais categorias da 72.ª edição dos Emmys Awards, da Academia de Televisão Americana, superando a marca de seis distinções alcançada em 2018.

Para este feito contribuíram as estatuetas nas categorias de drama, comédia e minisséries entregues a Regina King, Yahya Abdul-Mateen II (ambas para Watchmen, da HBO), Uzo Aduba (Mrs. America), Zendaya (Euphoria), Eddie Murphy, Maya Rudolph e Ron Cephas Jones – este último venceu um Emmy de melhor ator convidado.

Entre os nomes vencedores eleitos pela Academia de Televisão Americana, há alguns que se destacam. Regina King, que começou a acumular Emmys em 2015, atingiu o recorde de estatuetas conquistados (quatro) por uma atriz negra, antes pertencente a Alfre Woodard. Já RuPaul recebeu o quinto Emmy consecutivo de melhor apresentador de reality-show por RuPaul’s Drag Race.

Maya Rudolph ganhou ainda um Emmy pelo trabalho de locução feito na série de animação Big Mouth, da Netflix, enquanto Laurence Fishburne e Jasmine Cephas Jones foram distinguidos com prémios na categoria de curta-metragem, graças à produção e realização de #FreeRayshawn.

Lê também: Emmys 2020. ‘Schitt’s Creek’, ‘Succession’ e ‘Watchmen’ vencem em noite de surpresas

Com a interpretação da personagem Shirley Chisholm em Mrs. America, Uzo Aduba arrecadou o terceiro Emmy da carreira, após a participação em Orange Is The New Black lhe ter valido os dois primeiros.

No grupo dos vencedores repetentes, está também Ron Cephas Jones, que na edição de 2018 dos Emmys ganhou o prémio de Melhor Ator Convidado em This Is Us, produção da NBC.

Na recente cerimónia dos mais importantes galardões da televisão americana, houve também lugar a uma estreia. Aos 24 anos, Zendaya recebeu o primeiro Emmy da carreira, tornando-se na mais jovem vencedora na categoria de atriz principal numa série dramática.
Foi, inclusive, a segunda mulher negra a consegui-lo, sucedendo a Viola Davis.

“Sei que isto parece um momento muito estranho para estar a celebrar, mas só quero dizer que há esperança nos jovens”, afirmou Zendaya, protagonista em Euphoria.

Os Emmy Awards de 2020 ficaram ainda marcados pela definição de outro recorde: entre os 120 atores nomeados no conjunto das categorias referentes a séries, séries limitadas e filmes televisivos, 33 eram negros, prefazendo 34,3% do total de nomeações.

Em defesa da mais-valia dos colegas de profissão, Yahya Abdul-Mateen II, que participa na série Watchmen, frisara, dias antes do evento, que “não há escassez de talento dentro da comunidade negra”.

“Vidas negras importam”

O incremento do número de nomeações de atores negros nos Emmys Awards – em 2018 foram 27,7% e em 2019 ficou-se pelos 20% – surge numa altura em que a sociedade norte-americana enfrenta movimentos de protesto contra demonstrações de racismo, conflitos raciais e brutalidade policial.

Em junho deste ano, a Academia de Televisão Americana havia escrito, na página oficial de Twitter, que “as vidas negras importam. As histórias negras importam”, traduzindo-se numa tomada de posição e uma mensagem de consciencialização da instituição.

Durante a cerimónia de entrega das estatuetas, que decorreu online devido à pandemia da covid-19, Regina King e Uzo Aduba sobressaíram ao usar camisolas com o rosto e o nome de Breonna Taylor, afro-americana de 26 anos atingida a tiro por policias em Louisville, Kentucky, em março passado.

Emmys
Fotografia: Reprodução/ABC
Mais Artigos
Anya Taylor-Joy em Gambito de Dama
‘Gambito de Dama’: nova série da Netflix é sobre xadrez, feminismo e vício