Spotify
Fotografia: Divulgação

Spotify visa lançamento do Apple One: “Práticas injustas e comportamento anticompetitivo”

Plataforma de streaming de música reagiu duramente à criação de novos pacotes de serviços da Apple com preço mensal combinado

A Spotify considerou, esta quarta-feira (16), a criação do pacote de serviços Apple One como um abuso de poder e “comportamento anticompetitivo” da Apple, apelando às “autoridades da concorrência” americanas para “restringir” a empresa multinacional tecnológica.

“Pedimos às autoridades da concorrência que ajam com urgência para restringir o comportamento anticompetitivo da Apple, que (…) causará danos irreparáveis à comunidade de programadores e ameaçará a nossa liberdade de ouvir, aprender, criar e ligar”, vincou a Spotify, um dia depois do anúncio oficial do Apple One, em comunicado.

A Apple agrupou alguns dos serviços disponíveis num pacote de assinatura mensal, possibilitando o acesso múltiplo a quem fizer a subscrição. O objetivo da gigante tecnológica é agregar utilizadores com uma combinação e eficiência de preços, uma prática que, na perspetiva da Spotify, origina concorrência desleal.

“Mais uma vez, a Apple está a usar a sua posição dominante e práticas injustas para prejudicar os concorrentes e privar os consumidores, favorecendo os seus próprios serviços”, criticou, ainda, a plataforma de streaming de música, na nota oficial à Imprensa.

Em resposta à Spotify, a Apple rejeitou as acusações e defendeu o lançamento do novo pacote de serviços, cuja subscrição poderá ser cancelada a qualquer momento e estará acessível também em dispositivos de outras marcas – nos iPhones será previamente instalado.

“Os consumidores podem descobrir e aproveitar alternativas a cada um dos serviços da Apple. Introduzimos o Apple One porque é um bom valor para os consumidores e uma forma simples de aceder à variedade de serviços de assinatura da Apple. Recomendaremos o Apple One, que economizará dinheiro ao utilizador”, afirmou a empresa.

Histórico de conflito

Esta não é a primeira vez que a Spotify se insurge contra a Apple. Em março de 2019, a própria apresentou uma queixa junto da Comissão Europeia contra a gigante tecnológica por práticas anticoncorrenciais.

A plataforma de streaming de música reclamou, na altura, as políticas praticadas na App Store, pois estava obrigada a pagar entre 15% e 30% do valor relativo às assinaturas de serviços em aplicações cujo download fosse feito na loja do sistema operativo IOS.

Planos do Apple One e as diferenças em Portugal

O Apple One compõe-se originalmente por três modalidades de subscrição. O plano individual, com um custo mensal de 14,95 dólares, inclui acesso à Apple Music, Apple TV+, Apple Arcade e 50 gigabytes de armazenamento na iCloud. O utilizador poupará seis dólares por mês, já que o acesso individual aos referidos serviços custariam 21 dólares.

O plano familiar do Apple One, que pode ser partilhado por, no máximo, seis pessoas, é semelhante ao anterior, diferindo apenas a capacidade de armazenamento: de 50 gigabytes passa para os 200.
O preço mensal do plano fixa-se nos 19,95 dólares. Individualmente, os serviços custariam 27,96 dólares – igual poupança de seis dólares.

Quanto à modalidade Premier Apple One, incluiu um maior número de aplicações – Apple Music TV, Apple TV+, Apple Arcade, Apple News+, Apple Fitness+ e dois terabytes de armazenamento na iCloud, também partilhável por seis elementos.
Com um preço mensal de 29,95 dólares, este plano é o mais recompensador, já que o acesso singular a estes serviços teriam um custo de 54,94 dólares.

Em Portugal, o Apple One terá apenas os planos individual e familiar, com um custo mensal respetivo de 11,95€ e 16,95€, embora ambos sejam partilháveis até cinco pessoas.

Lê também: Feira do Livro do Porto. Numa feira de livreiros, as grandes editoras ficam em casa
Mais Artigos
‘O Noivo É Que Sabe’ prolongado para versão com famosos