kanye-west

Kanye West compara indústria discográfica à escravatura e diz-se um “novo Moisés”

O rapper americano expôs o seu descontentamento com as editoras no Twitter.

Kanye West expressou descontentamento com as empresas discográficas que detêm o seu catálogo musical numa longa partilha no Twitter. Para além de atacar a Sony e Universal, West aproveitou para estabelecer paralelos entre a escravatura e a indústria discográfica.

O artista afirmou que não iria lançar nova música até ser libertado dos contratos com as editoras, pedindo depois a todos os outros artistas que lhe enviassem os seus contratos com as respetivas editoras. Em seguida, West compara a situação à escravatura, afirmando que “não vou ver o meu povo ser escravizado, estou a pôr a minha vida em risco pelas pessoas”. Termina ao declarar-se como o “novo Moisés”. No mesmo tweet, Kanye também atacou a NBA e a indústria musical inteira, não só a Sony e Universal, acusando-as de serem “navios de escravos modernos”.

Mais tarde, West justificou o seu descontentamento com as editoras, mostrando imagens de uma conversa com um consultor de negócios anónimo, que fala sobre a Sony e a Universal não terem completamente apoiado o rapper, sendo isto uma quebra de contrato. Os dois procedem a discutir a possibilidade de um processo legal contra as mesmas, ou uma nova parceria mais justa para ambos os lados. No final, Kanye esclarece que não quer fazer qualquer tipo de negócio com as empresas.

Lê também: MOTELX ’20. O Pesadelo Americano: A representação do racismo no cinema de terror

No entanto, as editoras não foram as únicas criticadas por Kanye. No meio dos seus desabafos eletrónicos, West também mencionou os rappers Drake e J.Cole, afirmando que merecia uma desculpa deles, e depois comparando-se com Nat Turner, um importante líder do rebelião dos escravos de 1831. Segundo o artista, ele encontra-se a “lutar por eles”.

Nos últimos tempos, West tem-se focado na religião, dedicando o seu mais recente trabalho a esse tema. Jesus is King, o seu mais recente álbum, foi descrito pelo artista como “uma expressão de gospel”. Foi lançado em 25 de outubro de 2019, juntamente com um filme-concerto do mesmo.

Kanye West encontra-se de momento a concorrer às eleições presidenciais norte-americanas.

Mais Artigos
big brother andré filipe
De Olho no Big Brother: “André Filipe é insuportável e quer ser o centro das atenções”