Laços de Sangue celebra 10 anos
Fotografia: SIC / Divulgação

Há 10 anos, estreava ‘Laços de Sangue’ na SIC

Laços de Sangue chegava aos ecrãs a 13 de setembro de 2010. A história de Diana, Inês e João foi a primeira novela da SIC a romper o ciclo de liderança da ficção da TVI e venceu o Emmy Internacional.

Escrita por Pedro Lopes, que na altura só tinha assinado Perfeito Coração na SIC, Laços de Sangue foi a primeira coprodução da SIC com a Globo, tendo o seu texto supervisionado por Aguinaldo Silva, autor de novelas brasileiras, nos primeiros capítulos. A novela da nossa gente, como foi promovida em antena, chegou à antiga estação de Carnaxide em setembro de 2010, com o objetivo de melhorar as audiências e fazer frente à TVI.

Protagonizada por Diana Chaves, Joana Santos e Diogo Morgado, Laços de Sangue tornou-se um sucesso inesperado. A história das duas irmãs separadas pelo rio e marcadas por vidas totalmente distintas, Inês na alta sociedade e Diana em meios humildes, começou tremida e sem grandes números, mas o sucesso da novela começou gradualmente a fazer-se sentir. Primeiro, na boca dos portugueses, depois nos resultados.

Diana Silva, a grande vilã da história, foi vivida por Joana Santos. A atriz, que na altura tinha apenas 23 anos e nunca tinha vivido um papel protagonista, surpreendeu tudo e todos ao brilhar com a sua atuação da jovem calculista e assassina.

Ao longo de mais de 300 episódios de produção, a novela começou a escalar nos seus resultados, até culminar num recorde de audiência absoluto com 16,2% de rating e 37,8% de quota de mercado, tornando-se no programa mais visto do dia e continuando a derrotar as apostas da TVI. Na média geral, Laços de Sangue não foi líder de audiências, mas venceu várias vezes a concorrência de Mar de Paixão e destacou-se no seu horário, entrando várias vezes para o top de programas mais vistos.

A mudança no paradigma televisivo

Laços de Sangue celebra 10 anos
Laços de Sangue trouxe várias alterações na forma de programar as novelas (Fotografia: Divulgação / SIC)

Antes de Laços de Sangue, nenhuma novela da SIC tinha garantido um combate de audiências com a TVI. Podia Acabar o Mundo, a primeira a ser produzida pela SP Televisão, tinha sido um enorme fracasso e Perfeito Coração tinha terminado com resultados modestos. Porém, com a chegada de Laços de Sangue, o panorama televisivo português começou lentamente a mudar.

Os episódios eram construídos de forma a que o capítulo tivesse vários picos durante a sua exibição, para que o telespectador não ficasse vários dias sem ver o produto e não perdesse o fio à meada. No final, a telenovela terminava em ganchos que prendiam o público, uma tática adquirida através da parceria com a Globo.

Laços de Sangue conseguiu ainda alcançar de forma particular as classes A e B, tal como a faixa etária dos 45-44, mas o sucesso da trama era transversal a todas as idades. A novela começava sempre à mesma hora e tinha sempre a mesma duração sem qualquer break publicitário, algo que a TVI estava habituada a fazer a meio das suas novelas.

Apesar de não ter liderado na maioria dos seus episódios, a SIC não demorou muito tempo até alcançar o primeiro lugar com os programas mais vistos da televisão portuguesa. A espera foi de apenas dois anos, marcada pela chegada da nova co-produção entre Portugal e o Brasil: Dancin’ Days. Protagonizada por Joana Santos e Soraia Chaves, a novela era um remake da versão de 1978, protagonizada por Sônia Braga. Foi a primeira novela a roubar a liderança à TVI no horário nobre e mantém-se até hoje como a mais vista da década de 2010 e a mais vista de todas as novelas portuguesas da SIC.

A vitória nos Emmy Internacionais

Emmy Internacional
Laços de Sangue foi a segunda novela portuguesa a vencer um Emmy Internacional.

Poucos meses após o fim de Laços de Sangue na antena da SIC, surgia a notícia da nomeação da produção na categoria de Melhor Telenovela nos Emmy Internacionais. No ano anterior, Meu Amor, da TVI, tinha saído vitoriosa ao tornar-se a primeira novela portuguesa a vencer a estatueta. Em 2011, foi a vez de Laços de Sangue.

Na corrida com Araguaia, da Globo, Contra las Cuerdas da Argentina e Precious Hearts das Filipinas, Laços de Sangue conseguiu conquistar a estatueta em Nova Iorque, trazendo o prémio pelo segundo ano consecutivo para Portugal. A vitória foi celebrada por Cavaco Silva, na altura Presidente da República, felicitando o elenco e destacando “a qualidade da ficção televisiva portuguesa a nível mundial” através de um comunicado.

Na SIC, a vitória foi celebrada através de uma emissão especial que reuniu o elenco e os responsáveis pela estação, exibindo ainda algumas das cenas mais marcantes da novela da nossa gente.

Nos anos seguintes, a SIC voltou a ser nomeada ao Emmy Internacional na mesma categoria com Rosa Fogo, em 2012, e Vidas Opostas, em 2019, mas não conseguiu voltar a vencer. Em 2018, no entanto, a vitória voltou a ser portuguesa, com Ouro Verde, da TVI, também protagonizada por Diogo Morgado.

Laços de Sangue foi repetida nas tardes da SIC entre 2016 e 2017 e chegou a ser emitida na Globo Portugal, no seu primeiro ano de transmissões, sendo a única novela portuguesa a ser transmitida pelo canal por cabo.

Dez anos depois da estreia, Laços de Sangue é a novela portuguesa mais exportada de sempre da ficção nacional e já esteve presente em mais de 90 países ao redor do mundo, um número ao nível das novelas brasileiras da Globo. Este ano a novela foi exibida no Quénia, na Citizen TV, tendo já passado por países como Itália, França ou Bulgária.

Mais Artigos
Opto SIC Globoplay
OPTO e Globoplay: semelhanças e diferenças na guerra dos streamings