Óscares

Academia cria padrões de inclusão para os Óscares de Melhor Filme

A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas deu a conhecer detalhadamente os novos padrões de inclusão e representação para a categoria de Melhor Filme dos Óscares. As alterações vão começar a ter efeito a partir de 2024 e surgem da iniciativa Academy Aperture 2025.

aperture deve ser ampliada de modo a refletir a nossa população global diversificada, tanto na criação de filmes quanto nas audiências que se conectam a eles. A Academia está empenhada em desempenhar um papel vital a ajudar a tornar isto numa realidade“, declararam o presidente da organização, David Rubin, e o diretor executivo da mesma, Dawn Hudson. Os dirigentes acreditam que os padrões de inclusão vão ser um catalisador para uma mudança essencial e duradoura para a indústria cinematográfica.

As alterações normativas surgem num período de insegurança social nos Estados Unidos da América, após a morte de George Floyd, em maio passado, ter reacendido o movimento antirracista Black Lives Matter, e quase três anos depois do escândalo sexual em volta do produtor Harvey Weinstein, que trouxe aos meios de comunicação social a campanha #MeToo. O produtor, então um dos maiores de Hollywood, foi condenado a 23 anos de prisão em março.

A partir de 2024, um filme deve cumprir dois de quatro requisitos para ser elegível para a categoria de Melhor Filme do Ano nos Óscares.

Moonlight
Moonligh venceu o Óscar de Melhor Filme em 2017, uma história sobre homossexualidade numa comunidade negra. (Fotografia: IMDb)

Novas regras para novos filmes

O primeiro padrão incide sobre a representação na tela, temas e narrativas. Para o atingir, o filme deve cumprir dois de três critérios, entre eles a participação de um ator principal ou secundário relevante originário de um grupo étnico ou racial sub-representado (asiático, hispânico/latino, negro/afro-americano, indígena/nativo-americano/nativo do Alasca, médio oriente/norte africano, nativo havaiano ou de outra ilha do Pacífico, outra raça ou etnia sub-representada).

Caso tal não seja cumprido, pelo menos 30% de todos os atores em papéis secundários e menores são de pelo menos dois dos seguintes grupos sub-representados: mulheres, grupo racial ou étnico, LGBTQ+, pessoas com deficiências cognitivas ou físicas, ou que são surdas ou com deficiência auditiva. Por fim, existe ainda a hipótese de a narrativa do filme ser centrada num ou mais desses grupos.

O padrão seguinte engloba a liderança criativa e a equipa de projeto. Apenas um dos três critérios tem de ser cumprido. Ou pelo menos dois dos cargos de liderança criativa e chefes de departamento (diretor de casting, cinematógrafo, compositor, etc.) são de um dos grupos sub-representados acima referidos e pelo menos um desses cargos deve ser tomado por alguém dos grupos raciais ou étnicos já referidos; ou pelo menos seis outros cargos técnicos e de equipa (assistente de realizador, eletricista-chefe, supervisor do guião, etc., excluindo assistentes de produção) são dos mesmos grupos raciais ou étnicos sub-representados; ou pelo menos 30% da equipa do filme é dos tais grupos sub-representados.

Parasitas
Parasitas foi o vencedor da categoria de Melhor Filme em 2020. Fotografia: IMDb

O terceiro padrão está voltado para o acesso e oportunidades da indústria. O filme terá de cumprir ambos os critérios desta diretiva para ser elegível aos Óscares. Ou seja, a distribuidora ou financiadora do filme pagou estágios a pessoas que são dos grupos sub-representados já mencionados, e os estúdios são obrigados a ter estágios pagos contínuos e substantivos de membros desses grupos na maioria dos seguintes departamentos: produção/desenvolvimento, produção física, pós-produção, música, efeitos visuais, aquisições, negócios, distribuição, marketing e publicidade. Já os estúdios independentes devem ter um mínimo de dois estagiários dos tais grupos em pelo menos um desses departamentos.

O critério seguinte pede que a empresa de produção, distribuição e/ou financiamento do filme ofereça treino e/ou oportunidades de trabalho para o desenvolvimento de habilidade abaixo da linha para pessoas dos grupos sub-representados.

O último padrão traz a ideia de desenvolvimento de público. Apenas um dos critérios tem de ser cumprido. O estúdio de cinema tem vários executivos seniores internos dentre os grupos sub-representados (deve incluir indivíduos de grupos raciais ou étnicos sub-representados) nas suas equipas de marketing, publicidade e/ou distribuição.

Todas as restantes categorias dos Óscares continuarão de acordo com os registos de elegibilidade atuais.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
O realizador português esteve presente para uma conversa intimista.
MOTELX ’20: Pedro Costa e a sua Vitalina, os zombies e Tourneur em ‘Filmar as Trevas’