Michelle Williams
Fotografia: IMDb

Michelle Williams: a menina de Montana que cresceu em Hollywood

Michelle Williams celebra esta quinta-feira, dia 9 de setembro, o seu 40.º aniversário. Com uma carreira que iniciou ainda na infância, atriz conta com uma filmografia que engloba títulos como O Segredo de Brokeback Mountain,  The Greatest Showman, Venom, A Minha Semana com MarilynManchester by the Sea.

Nasceu na pequena zona rural de Kalispell, em Montana, a 9 de setembro de 1980. Michelle Ingrid Williams é filha de Larry Richard Williams, corretor e escritor, e Carla Ingrid Swenson. A artista passou a infância na cidade natal, Kalispell, onde teve uma forte ligação com a natureza. Numa entrevista, revelou que espera que a filha, Matilda Ledger, tenha uma infância semelhante, a “explorar peles de cobra, pontas de flecha, penhascos, plantas e casas abandonadas, sempre com a sensação de liberdade e segurança”.

Michelle Williams em O Segredo de Brokeback Mountain
Michelle Williams em O Segredo de Brokeback Mountain. (IMDb)

O primeiro papel de Michelle Williams, à exceção de pequenas participações em programas de televisão no início da década de 90, chegou com April Porter, no filme Lassie, em 1994, quando a atriz tinha apenas 14 anos. Um ano depois, a intérprete emancipou-se legalmente dos pais, mudou-se para Los Angeles e ganhou um papel na série Dawson’s Creek. Entre 1995 e 2004, participou ainda em filmes como Espécie Mortal, Aventuras na Casa Branca, Prozac, A Estação, Heróis ImagináriosO Encalhado.

No entanto, foi em 2005, com O Segredo de Brokeback Mountain, que a carreira de Williams deu o salto. A interpretação de Alma Beers Del Mar, uma mulher que percebe que o marido está apaixonado por outro homem, rendeu-lhe uma nomeação ao Óscar de Melhor Atriz Secundária e a aclamação dos críticos.

No mesmo ano, Michelle Williams teve a sua primeira filha, Matilda Ledger, com o então marido Heath Ledger, no dia 28 de outubro. Porém, a atriz não descansou e, cinco meses após ter dado à luz a filha, voltou ao trabalho e gravou o filme O Estado Mais Quente, que estreou em 2006.

Michelle Williams em Blue Valentine - Só Tu e Eu
Michelle Williams em Blue Valentine – Só Tu e Eu (IMDb)

Três anos depois do nascimento de Matilda, Williams estava em gravações quando recebeu a notícia da morte de Heath Ledger, provocada por uma “intoxicação acidental por remédios prescritos“, de acordo com o serviço de medicina legar de Nova Iorque. O facto de estarem separados há seis meses não aliviou a dor da artista, que chegou a revelar, numa entrevista: Foi um dos piores momentos da minha vida, senti-me completamente desorientada”. Por outro lado, a norte-americana admitiu que a filha é a recordação viva do ex-companheiro. “A minha família e eu observamos a Matilda enquanto ela fala com as árvores, abraça animais e dá dois passos de cada vez, e sabemos que ele ainda está connosco”, chegou a afirmar.

Em 2011, a atriz recebeu a primeira nomeação ao Óscar e ao Globo de Ouro de Melhor Atriz, graças à performance no filme Blue Valentine – Só Tu e Eu (2010). A produção gerou controvérsia quando estreou, devido a uma cena de sexo oral que Williams protagoniza com Ryan Gosling. No entanto, a intérprete chegou a declarar, em entrevista à Caras, que o filme é muito mais do que essa cena e é realmente uma linda e triste história de amor”. Por outro lado, revelou ainda que foi Blue Valentine que lhe devolveu a vontade de representar, depois da morte de Heath Ledger. “Quando gravámos as primeiras cenas, voltei a sentir-me eu própria”, explicou.

Michelle Williams em A Minha Semana com Marilyn
Michelle Williams em A Minha Semana com Marilyn (IMDb)

A Minha Semana com Marilyn, um drama britânico que mostra o making of de O Príncipe e a Corista (1957) foi outro dos pontos altos na carreira de Michelle Williams. A preparação da atriz para o trabalho foi incansável, com aulas de canto para poder cantar. Para além disso, explicou numa entrevista: Eu ia para a cama todas as noites com uma pilha de livros ao meu lado. Eu adormecia a ver filmes dela. Era como quando era criança e colocava um livro debaixo do travesseiro na esperança de o aprender por osmose”. A performance na longa-metragem valeu à atriz muitos elogios da crítica e o Globo de Ouro de Melhor Atriz – Comédia ou Musical, em 2012.

Entre 2012 e 2017, a artista participou nos filmes Oz: O Grande e Poderoso, um trabalho que aceitou para poder assistir mais tarde com a filha, Suite Francesa, Manchester by the Sea, Certain WomenWonderstruck: O Museu das Maravilhas, The Greatest ShowmanTodo o Dinheiro do Mundo. Até este período, Williams tornou-se na atriz nascida na década de 80 mais nomeada aos Óscares, com quatro indicações em 2017.

Mesmo com este recorde, a norte-americana admitiu, em entrevista, que sente que cada filme que faz é tão ou mais difícil que o anterior. “Todos os filmes que faço são meio torturantes. Recebo muito com isso, mas sinto que estou sempre a trabalhar no limite das minhas capacidades. Acho que é isso que procuro quando vou trabalhar. Estou sempre a tentar tornar-me o limite”, reflete.

Michelle Williams em Fosse/Verdon (IMDb)

O número de nomeações nas cerimónias de prémios cresceu em 2020, depois de ter interpretado Gwen Verdon na série Fosse/Verdon, da FX. A participação na produção rendeu-lhe um Emmy, um Globo de Ouro e um SAG Award na categoria de Melhor Atriz em Minissérie ou Telefilme e um TCA Award de Melhor Performance Individual em Drama. Depois das vitórias, Michelle Williams anunciou uma pausa de um ano na carreira para cuidar da família, na qual ainda se encontra.

A batalhar desde criança e depois de deixar muito para trás ainda em tenra idade, Michelle Williams conseguiu criar uma carreira sólida em Hollywood. Por entre altos e baixos, a atriz foi conquistando o público e a crítica, com trabalhos dos mais variados possíveis, que ficam marcados na história da Sétima Arte. Celebra hoje (9) 40 anos de vida.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
SIC Jornal da Noite
Audiências. ‘Jornal das 8’ cresce e ameaça líder ‘Jornal da Noite’