Fotografia: Ef via Facebook/D.R.

Tony Carreira e Pedro Abrunhosa entre os novos acionistas da TVI

Grupo espanhol Prisa ignorou a oferta pública de aquisição (OPA) da Cofina e vende a investidores portugueses

O grupo espanhol Prisa anunciou que vai avançar para a venda da totalidade da sua participação na Media Capital a um conjunto de investidores portugueses. Entre os nomes que pretendem entrar na estrutura acionista da dona da TVI, avançados pela imprensa, contam-se Cristina FerreiraPedro Abrunhosa Tony Carreira.

Segundo o comunicado enviado pelo grupo ao mercado, a operação consiste na venda da participação de 64,47%, através de “transmissões independentes de blocos de ações por um preço total de 36,850 milhões de euros“. “A Vertix (filial integralmente detida pela Prisa) subscreveu no dia de hoje [4 de setembro] com uma pluralidade de investidores acordos independentes de compra e venda de ações da entidade cotada portuguesa Media Capital SGPS, que no seu conjunto representam a totalidade da participação acionista (64,47%) mantida pela Vertix na Media Capital“.

Desde que o seu regresso à “casa-mãe” foi anunciado, Cristina Ferreira tem sido apontada como interessada em adquirir uma participação na estrutura acionista da Media Capital. Para além da apresentadora, os jornais Expresso e ECO revelam os nomes de Tony Carreira e Pedro Abrunhosa como novos acionistas. Segundo o ECO, “haverá pelo menos três grupos novos de acionistas a deter mais de 10% do capital“.

Assinados os acordos de compra, a operação tem agora de passar pela aprovação dos credores do grupo espanhol, à semelhança do que aconteceu aquando da entrada de Mário Ferreira como acionista de 30% da empresa dona da TVI.

Prisa ignora oferta da Cofina

Com estes planos de venda agora conhecidos, o grupo espanhol parece querer demarcar-se da proposta de aquisição apresentada pela detentora do Correio da Manhã. Depois de uma primeira tentativa frustrada, a Cofina anunciou, no mês passado, uma oferta pública de aquisição (OPA), com vista a adquirir a totalidade da Media Capital.

A oferta seria dirigida, num primeiro momento, a 5,31% das ações da Media Capital que estão nas mãos de pequenos acionistas e do banco galego ABANCA, que detém 5,05% do capital da empresa. A segunda parte da oferta seria dirigida aos restantes 94,69% da empresa, que são detidos em 64,47% pela Vortix, do grupo espanhol Prisa, e em 30,22% pela Pluris Investments, de Mário Ferreira.

A proposta contemplava um um valor por ação não superior aos 41,5 cêntimos, sendo que o valor total do negócio não iria além dos 35 milhões de euros pela aquisição de 84 milhões, 513 mil e 180 ações.

Em comunicado enviado aos acionistas, a Media Capital recomendou “que os acionistas vendam as suas ações ao preço oferecido“, considerando que “o preço oferecido não reflete adequadamente o valor da Sociedade e que o prémio implícito na Oferta é baixo considerando a prática seguida no mercado nas situações onde existiu aquisição de controlo“.

Neste novo modelo de venda, o grupo eleva a operação a um valor de 67,6 cêntimos por ação e “valoriza a dona da TVI em 150 milhões de euros (dívida incluída), 63% acima do valor implícito na oferta da Cofina“, frisa o ECO.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Luís Big Brother
Luís sai da casa do ‘Big Brother: A Revolução’ por motivos de saúde