Diretor executivo do TikTok apresenta demissão

A plataforma online TikTok não tem tido dias de descanso. Na quarta-feira (26), o diretor executivo da aplicação, Kevin Mayer, apresentou a sua demissão meses depois de ter chegado ao cargo.

A renúncia de Mayer acontece poucos dias depois do TikTok ter aberto um processo contra o Governo dos Estados Unidos pela pressão exercida contra a plataforma. O presidente do país, Donald Trump, acusa a rede social de espiar os seus utilizadores.

A ordem executiva de banir a aplicação chinesa dos Estados Unidos fez com que as tensões entre Washington e Pequim aumentassem. A ordem poderá ser revogada caso a ByteDance, proprietária do TikTok, venda os ativos americanos a uma empresa do país num prazo de 90 dias.

A administração do TikTok argumenta que a decisão de banir a rede social dos Estados Unidos é uma aplicação incorreta da Lei de Poderes Económicos de Emergência Internacional, pois a plataforma “não é uma ameaça incomum nem extraordinária”.

Na carta onde anunciou a sua demissão aos funcionários da empresa, Kevin referiu que o “cenário político mudou drasticamente” nas últimas semanas. “Neste contexto, e como esperamos chegar a uma resolução muito em breve, quero informar que, com grande pesar, decidi deixar a empresa”, acrescentou.

Antes de se juntar ao TikTok, Mayer ocupava um cargo da administração da The Walt Disney Company. Kevin Mayer deixa assim a rede social que já foi descarregada milhões de vezes em todo o mundo.

O futuro do Tik Tok

Não se sabe ao certo o que está para vir, mas o TikTok já se mostrou disponível para um novo futuro. Até ao momento a Microsoft e a Walmart, numa ação conjunta, mostraram interesse em comprar a aplicação. De acordo com fontes próximas, citadas pela Bloomberg, o acordo deverá estar fechado ainda esta semana.

A rede social Twitter também se mostrou interessada na compra da aplicação, mas foi o gigante do software Oracle que deu os primeiros passos. Ao que se sabe a empresa já terá, também, submetido uma proposta de compra.

A ByteDance está a pedir cerca de 30 mil milhões de dólares (mais de 25 mil milhões de euros), de acordo com fontes citadas pela Dow Jones, afirma o Jornal de Negócios.

Donald Trump afirmou que apoiaria uma oferta da Oracle para a compra da plataforma online chinesa. Segundo apurou a agência de notícias económicas, Bloomberg, o presidente da Oracle, Larry Ellison, terá oferecido milhões de dólares em fundos para a campanha presidencial do atual presidente dos Estados Unidos.

Mais Artigos
'Snu' chega esta segunda-feira (21) ao pequeno ecrã.
‘Snu’: filme sobre Snu Abecassis e Francisco Sá Carneiro estreia na RTP1