Júlia Pinheiro

Júlia reforça liderança das tardes e ‘Terra Brava’ ultrapassa ‘Quer o Destino’

Júlia distancia-se de A Tarde é Sua. Depois de Fátima Lopes ter-se aproximado e até liderado perante Júlia Pinheiro em dois dias na semana passada, o programa da SIC voltou a distanciar-se. Júlia (4,3%/17,1%) teve mais 37 mil espetadores do que A Tarde é Sua (3,9%/15,3%).

O programa mais visto do dia foi a suspeita do costume, a novela Nazaré (14,1%/26,5%), com mais de 1 milhão e 330 mil pessoas a assistirem ao desenrolar da trama protagonizada por Carolina Loureiro. Já Terra Brava (12,1%/28,9%) também da SIC ultrapassou Quer o Destino (12,0%/22,5%) da TVI na segunda posição.

Nos totais diários, a SIC liderou com 20,6% de share. Já a TVI marcou 15,7% e a RTP1 fez 10,7%. A CMTV, com 4,4%, foi o canal mais visto no cabo.

Outros destaques

  • Santa Bárbara – a Série (0,5%/6,1%) passou para as madrugadas da TVI. No entanto, os maus resultados continuam. O produto de ficção ficou atrás da repetição do programa sobre investigação criminal, Linha Aberta (0,6%/8,0%) da SIC.
  • Destinos Cruzados (4,1%/15,6%) bateu Amor Maior (3,9%/15,2%). Mesmo com a liderança herdada da Linha Aberta (5,2%/18,3%), a novela da SIC acabou por não aproveitar o balanço e ficou atrás da trama da TVI
  • A novela brasileira Êta Mundo Bom! (8,6%/22,6%) liderou perante a concorrência de Preço Certo (7,8%/20,7%) e do Pesadelo na Cozinha (3,7%/10,5%). Mais de 70 mil espetadores foi a diferença entre o projeto de ficção da Globo e Fernando Mendes que chegou a liderar durante uma parte do programa.
  • A CMTV chegou a liderança frente aos canais em sinal aberto durante as madrugadas. A parte final do filme A Fidelidade (0,3%/5,8%), Rua Segura (0,3%/6,8%) e ainda o início do Noticias CM (0,5/8,0%). Foram 2 horas e meia na frente das audiências em Portugal depois de a TVI ter liderado durante praticamente toda a madrugada de segunda feira.
Mais Artigos
Saint Maud foi um dos grandes destaques do quinto dia.
MOTELX ’20: ‘Saint Maud’ entre os destaques do terror no feminino