Dirty Dancing

‘Dirty Dancing’ está de volta e conta com Jennifer Grey

John Feltheimer, CEO da Lionsgate, confirmou ao The Guardian que a produtora está a desenvolver uma sequela de Dirty Dancing. O clássico dos anos 80 que agora regressa foi protagonizado originalmente por Patrick Swayze e Jennifer Grey, que voltará a participar na longa-metragem enquanto atriz e realizadora.

Realizado em 1987 por Emile Ardolino, Dirty Dancing conta a história de Frances “Baby” Houseman, uma adolescente que se apaixona pelo professor de dança durante as férias de verão que está a passar com a família.

O filme, que se tornou um sucesso de bilheteira em todo o mundo, venceu também o Óscar e o Globo de Ouro de Melhor Canção Original por ‘(I’ve Had) The Time of My Life’. A cena em que os protagonistas dançam, e que atinge o clímax quando Baby é levantada pelos braços de Johnny, tornou-se não só um dos melhores momentos de dança no cinema, bem como um elemento de referência da cultura pop.

Sobre o novo filme, tanto o enredo como o elenco são ainda desconhecidos, contudo a participação de Jennifer Grey está confirmada. Os rumores apontam para que a atriz interprete a mãe da personagem principal. “Será exatamente o tipo de filme romântico e nostálgico que os fãs da franquia estavam à espera e que o tornaram no filme mais vendido na história da empresa“, adiantou John Feltheimer.

A sequela de Dirty Dancing será realizada por Jonathan Levine, notório pelos filmes Sangue Quente, 50/50 e Casal Improvável, que se junta a Grey nesta função. Já o argumento está entregue a Mikki Daughtry e Tobias Iaconis, conhecidos por A Maldição da Mulher Que Chora e A Distância Entre Nós, ambos lançados em 2019.

Em 2004 o filme ganhou também um spin-off, intitulado Dirty Dancing: Havana Nights, protagonizado por Diego Luna e Romola Garai e ambientado em Cuba de 1958.

Mais Artigos
Golpe de Sorte SIC
Em ‘Dia de Cristina’, a SIC mexeu no horário nobre e não resultou