Anna Kendrick
Fotografia: Anna Kendrick/Instagram

Anna Kendrick: 35 anos e uma carreira com um “ritmo perfeito”

Anna Kendrick sopra as velas dos 35 anos este domingo, dia 9 de agosto. Inicialmente conhecida como Jessica Stanley, na saga Twilight, e Beca Mitchell, na saga Um Ritmo Perfeito, a atriz conheceu desde cedo as luzes da ribalta e não as largou até hoje, com papéis que passam pela comédia, musical, thriller e ação.

Nascida em Portland, no Maine, a 9 de agosto de 1985, Anna Kendrick é filha de Janice Cooke, uma técnica de contabilidade, e William Kendrick, um professor de história. A artista estudou na Deering High School, em Portland, antes de entrar no mundo do entretenimento, na Broadway. O papel de Dinah, na peça High Society, tornou-a na segunda mais jovem atriz a ser nomeada para um Tony Awards. A performance rendeu-lhe ainda um Drama League, um Theatre World Awards e nomeações aos Drama Desk Awards e Fany Awards.

Anna Kendrick
Foto: Anna Kendrick | Gage Skidmore/Wikimedia Commons

Anna Kendrick manteve-se na Broadway até 2003, ano em que iniciou a carreira no cinema, com o filme Campo de Férias, de Todd Graff. Depois, participou no telefilme The Mayor (2003), no filme Ciência Espacial (2007) e num episódio da série Viva Laughlin (2007). No entanto, o nome da atriz apenas passou a ser reconhecido pelo público em geral a partir de 2008, ano em que vestiu pela primeira vez a pele de Jessica Stanley, no filme Crepúsculo, da saga Twilight.

Apesar do reconhecimento que a participação na saga de fantasia lhe trouxe, a artista não guarda as melhores recordações das filmagens. Anna Kendrick participou nas audições para se dar a conhecer aos realizadores – para que pensassem nela para outros filmes – mas acabou por ficar com o papel de Jessica.“Fizemos o primeiro filme em Portland, no estado de Oregon, e apenas me lembro de ter sido frio e miserável”, recordou. A atriz acrescentou ainda que chegou a pensar: “Este é um grupo de pessoas realmente fantástico e tenho a certeza que seríamos amigos numa altura diferente, mas quero matar toda a gente”.

Por outro lado, as gravações do primeiro filme da saga Twilight decorreram ao mesmo tempo que as gravações do filme Nas Nuvens (2009). Em entrevista, Kendrick chegou a recordar que George Clooney, ator com quem contracenou na longa-metragem, chegou a brincar com ela por estar sempre a saltar de um set para o outro.

Anna Kendrick
Fotografia: Anna Kendrick/Instagram

Com a sua performance em Nas Nuvens, a atriz venceu o MTV Movie Award de Melhor Revelação e foi nomeada aos Óscares, Globos de Ouro, Screen Actors Guild Awards e British Academy Film Awards, na categoria de Melhor Atriz Secundária. Apesar de se demonstrar contente pelas nomeações, Anna Kendrick revelou-se, em entrevista, “satisfeita por ter acabado”“Estás constantemente a vestir roupas que outra pessoa escolheu para ti, a fazer discursos em vez de expressar sentimentos reais e a entrar em salas cheias de pessoas que não conheces. Eu não me tornei atriz por nada disso, então estes têm sido tempos confusos para mim”, explicou.

Depois de Crepúsculo e Nas Nuvens, a intérprete participou em vários filmes. Destacam-se Lua Nova (2009) e Eclipse (2010) e Amanhecer: Parte 1 (2011), ainda da saga Twilight, Scott Pilgrim Contra o Mundo (2010), O Que Se Espera Enquanto Se Está À Espera (2012) e Fim de Turno (2012).

E é ainda em 2012 que chega o filme que se destaca como o auge da carreira da artista até ao momento: Um Ritmo Perfeito. Na longa-metragem, Kendrick veste a pele de Beca Mitchell, uma estudante fora do comum e rebelde, que se mostra infeliz por ser obrigada a estudar na universidade onde o pai é professor, e que encontra refúgio na música e no grupo Barden Bellas.

Anna Kendrick
Fotografia: Anna Kendrick/Instagram

Após o primeiro filme, vieram Um Ritmo Perfeito 2 (2015) e Um Ritmo Perfeito 3 (2017), com ainda mais um musical pelo meio – Caminhos da Floresta (2014), onde representa Cinderela, e contracenou com celebridades como Meryl Streep, Johnny Depp, Emily Blunt e James Corden. Por esta altura, Anna Kendrick já se tinha tornado famosa por cantar regularmente nos seus papéis, e a própria tinha consciência disso. Numa entrevista, a atriz admitiu: Ocorreu-me que fazer quatro musicais talvez não fosse um grande plano de carreira, mas quando certas oportunidades surgem, simplesmente lançamos as regras pela janela fora”.

A restante filmografia da atriz conta com títulos como Mulheres Procuram-se Para Ir a Casamento (2016), The Accountant – Acerto de Contas (2016),  Mesa 19 (2017), Um Pequeno Favor (2018), Noelle (2019) e The Day Shall Come (2019). No meio de todos estes papéis, a atriz demonstrou-se muitas vezes contente por ter construído a sua carreira de forma lenta e consistente, em vez de ter sido algo que lhe aconteceu da noite para o dia. “Espero que continue lento e constante, para que eu possa respirar fundo e habituar-me”, chegou a revelar em entrevista.

Recorda em revista a carreira da atriz, na galeria abaixo:

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
José Sócrates mostra documento durante entrevista na TVI
Audiências. Sócrates não chega para ‘Jornal das 8’ liderar