Marco Horácio e Diana Chaves no programa de Verão da SIC Salve-se Quem Puder
Fotografia: SIC

Sete programas que marcaram o verão na televisão portuguesa

Verão é, para muitos, sinónimo de férias, lazer e diversão. As estações televisivas têm, por isso, tentado transportar o espírito característico da época estival para o pequeno ecrã, ao longo dos anos.

O Espalha-Factos recorda aqui algumas das apostas de verão das estações de televisão portuguesas. Do emblemático formato Jogos Sem Fronteiras a programas de menor sucesso, vários são os exemplos que podiam figurar nesta lista.

Jogos Sem Fronteiras — RTP

Emitido no verão, de 1979 a 1982, e entre 1988 e 1998.

Jogos Sem Fronteiras
Jogos Sem Fronteiras (Fotografia: Facebook)

Jogos Sem Fronteiras foi um formato de entretenimento televisivo idealizado em 1963 pelo estadista francês Charles De Gaulle, com o objetivo de celebrar as boas relações entre países europeus, mas também uma forma de aproximar jovens europeus, especialmente aqueles que, como os franceses e alemães, tinham sido afastados pela guerra.

Foi transmitido entre 1965 e 1999, com um interregno de 1983 a 1987, tornando-se na co-produção emitida mais antiga da história. Cada país concorrente era representado por uma cidade que concorria contra outras cidades, em animadas provas.

Das trinta edições do concurso, Portugal participou em quinze. Foi o segundo país com maior número de vitórias — cinco —, sendo superado apenas pela Alemanha, que triunfou seis das 16 vezes em que competiu.

Dá-lhe Gás — SIC

Emitido entre julho e setembro, de 1999 a 2006.

Dá-lhe Gás era um concurso “destinado a jovens dos 11 aos 15 anos, que inclui provas físicas, temáticas e desportos radicais”, recorda o arquivo da estação. Percorria os 18 distritos de Portugal continental, escolhendo jovens de diversas escolas. Em cada programa, duas equipas, compostas por cinco elementos, disputavam “provas de interior e de exterior, com os eventos realizados dentro do pavilhão a abarcarem provas de escalada, BMX e patins em linha, enquanto a acção exterior se desenrola num cenário futurista”, salientava o Record.

Com um total de 155 episódios, o programa foi apresentado por Jorge Gabriel, Raquel Prates e Catarina Pereira, passando, num segundo momento, Diogo Morgado, Raquel Strada e Joana Oliveira a assumir a condução do formato. “No auge da popularidade, chegou a ter um CD editado, compilando êxitos da altura”, recorda o blogue Ainda sou do tempo.

À Sombra da Bananeira — SIC

Emitido, em 37 episódios, no verão de 2003.

Em direto das praias portuguesas, À Sombra da Bananeira contava com convidados e participação do público, que, organizado em equipas, participava em jogos e provas competitivas. Esta produção da Colosso, responsável por outros formatos do início dos anos 2000, como Zero em Comportamento ou Bombástico, contava ainda com uma piscina e massagens, ou não fosse uma homenagem ao verão paradisíaco.

Um formato apresentado por João Gamboa, espécie de one-hit wonder da televisão portuguesa, que nunca mais voltou a ser visto no ecrã, tinha ainda a animação das personagens Leo e DJ Bola.

Salve-se Quem Puder — SIC

Emitido entre junho e outubro de 2009 e entre maio e setembro de 2010.

Salve-se Quem Puder
Imagem: Facebook Salve-se Quem Puder

Em Salve-se Quem Puder, duas equipas tentavam “vencer vários obstáculos e encaixar-se numa figura de esferovite, uma espécie de tetris humano e evitar, assim, cair dentro de uma piscina com água”, informa a estação. Adaptado do formato internacional Hole in the Wall, o programa era emitido diariamente, de segunda a sexta, com duas equipas, compostas por três elementos. Ao sábado, às duas melhores equipas da semana juntavam-se dois padrinhos famosos.

Para além dos divertidos jogos, o programa, conduzido por Marco Horácio e Diana Chaves, ficou marcado por alguns momentos de interação. Quando o apresentador dizia a palavra “bobagem”, começava a tocar o tema ‘Tutti Frutti Summer Love’, do grupo Günther & The Sunshine Girls, e o público começava a dançar. A ordem de entrada da parede de esferovite também ficou um marco do programa: “Soltem a parede!.

O formato foi um sucesso e registou bons níveis de audiência, apesar de não ter vencido a, na altura líder, TVI. “Na primeira temporada os 105 episódios transmitidos registaram 9.2% de audiência média e 25.7% de share. O melhor programa, com 12.5% de audiência média e 32.9% de share, foi transmitido a 28 de Julho de 2009”, regista a Marktest.

TGV — Todos Gostam do Verão — SIC

Emitido no verão de 2009.

Carolina Patrocínio e João Manzarra em TGV - Todos Gostam do Verão
Imagem: SIC

Todos Gostam do Verão constitui uma adaptação de El Grand Prix del Verano, um formato emitido na televisão espanhola desde 1995. A fazer lembrar os míticos Jogos Sem Fronteiras, o programa opunha duas equipas, de diferentes regiões do país, que tinham de superar vários obstáculos, como “passar por cima de troncos que rodam, sem cair dentro de uma piscina ou derrubar adversários com uma bola gigante, estando vendado”, noticiava o JN.

Apresentado por Carolina Patrocínio e João Manzarra, era a aposta da estação para os domingos à noite, inserindo-se na linha de Salve-se Quem Puder, que era emitido diariamente. O formato revelou-se um sucesso de audiências, chegando aos 40% de share, sendo o mais visto do dia na época contra o formato Nasci P’ra Cantar da TVI, apresentado por Herman José.

OK KO — TVI

Emitido entre julho e agosto de 2013.

João Paulo Rodrigues e Vera Fernandes em OK KO TVI 2016
No episódio ilustrado, Nuno Eiró competiu contra Isabel Silva. (Fotografia: TVI)

Adaptado do formato The Boxing Glove, em OK KO duas equipas tentavam conquistar pontos e evitar, assim, cair à água. “A regra é simples: pensar rápido ou, espera-lhes um banho gelado! Só uma resposta correta pode parar a trajetória da luva de boxe gigante!”, apresenta a estação. O formato, que tinha muitas semelhanças com o seu antecessor concorrente Salve-se Quem Puder, marcou a estreia de Vera Fernandes em televisão, ao lado de João Paulo Rodrigues.

Duas semanas depois da estreia, o programa conheceu um fim abrupto, devido à sucessiva perda de audiências desde a emissão de estreia.

Splash! Celebridades — SIC

Emitido no verão de 2013.

Ricardo Guedes, Sónia Brazão, Jorge Pina e José-Castelo Branco em Splash! Celebridades
Ricardo Guedes, Sónia Brazão, Jorge Pina e José-Castelo Branco em Splash! Celebridades (Fotografia: SIC)

Gravado no Complexo das Piscina do Jamor, Splash! Celebridades era uma adaptação de um formato holandês em que várias celebridades são treinadas profissionalmente na tentativa de dominar a arte dos saltos para a água. A edição portuguesa contou com Júlia Pinheiro na apresentação, naquele que foi o seu último programa de domingo à noite na televisão portuguesa. A Júlia juntou-se Rui Unas, que estava responsável pela conversa com os concorrentes. No júri, Marco Horácio, Simão Morgado e Sílvia Rita avaliavam os saltos dos concorrentes. 

Durante duas edições, ambas no mesmo verão, passaram concorrentes como Cláudio Ramos, José Castelo Branco, João Ricardo, Toy, Sisley Dias, Raquel Tavares, entre outros. 

Nas audiências, o programa estreou com um milhão e 400 mil telespectadores, perdendo para Big Brother VIP, apresentado por Teresa Guilherme. Ao longo das semanas, o programa foi perdendo audiência, mas manteve números satisfatórios para a estação.

Sugestões de Bernardo Ferreira, Miguel Cunha dos Santos e Pedro Miguel Coelho.
Mais Artigos
'Mata' venceu o prémio de Melhor Curta Nacional do MOTELX ’20
MOTELX ’20. ‘Mata’ e ‘Pelican Blood’ são os grandes vencedores deste ano