Mads Mikkelsen em Hannibal
Fotografia: Reprodução/DR

‘Hannibal’: Bryan Fuller alimenta esperanças de uma quarta temporada

A série está disponível, na íntegra, na plataforma de streaming da Netflix.

Desde que Hannibal chegou ao catálogo da Netflix, em junho, que os fãs de todo o mundo se têm perguntado se o gigante do streaming vai, finalmente, renovar a série para uma quarta temporada, como fez com Lucifer, Arrested Development, entre outros exemplos. Bryan Fuller, o criador da série sobre Hannibal Lecter, anda a questionar, igualmente, essa possibilidade.

Fuller, em entrevista à Collider, afirma que ganhou novas esperanças para a renovação e acredita que o facto de ter conseguido fazer chegar as primeiras três temporadas de Hannibal à Netflix seja a forma certa de conseguir a tão desejada e ansiada quarta temporada da série.

O que eu amo no facto de a Netflix ter Hannibal no seu catálogo é que é uma oportunidade para que seja visto como uma série da Netflix, e pode ser que isso reconfigure o apetite deles”, referiu Fuller, acerca da hipótese de a Netflix renovar Hannibal para uma quarta temporada. “Mas ninguém me disse nada, e acreditem em mim, como a prostituta ao pé do sinal vermelho, estou aqui à espera, a abanar as minhas pernas. Eles sabem que eu estou pronto.”

hannibal
Imagem: NBC

Apesar da dificuldade em arranjar uma distribuidora que queira investir em Hannibal, há também a questão dos direitos sobre as personagens. Bryan quis deixar bem claro o que é preciso estar presente, neste campo, para que a série possa continuar.

“A Martha De Laurentiis [produtora], controla os direitos da personagem do Hannibal Lecter. A Gaumont, que produziu a série que criámos originalmente, tem os direitos sobre as personagens da série e sobre as situações narrativas. Portanto, se nós queremos continuar as histórias que estávamos a contar, a Gaumont precisa de estar envolvida, a Martha precisa de estar envolvida. Claro que também precisamos de uma distribuidora que sirva de lar para a nossa história”, explicou.

Bryan aproveitou também para falar sobre as conversações que mantém com o elenco acerca da possibilidade de uma continuação da série, ao fim de cinco anos fora do ar. “Quem me dera que houvesse algo que fosse definitivo. Tenho tido conversas com o Hugh [Dancy] e o Mads [Mikkelsen] e o elenco, em termos de, ‘Isto é o que faríamos se nos deixassem voltar.’ Existem algumas ideias que me deixam muito empolgado em continuar a estranha trajectória da terceira temporada. Mas não recebi abordagens. Tenho batido em todas as portas e tocado todas as campainhas”, acrescentou, descrevendo a jornada que tem enfrentado, em busca de uma nova vida para Hannibal.

Lê também Crítica. ‘The Umbrella Academy’: depois de um início excelente, uma continuação fenomenal

O criador rematou, abordando o processo de leilão da série junto de outras distribuidoras: “Eu e a Martha De Laurentiis, todos os anos, temos pegado nas malas, e vamos de porta a porta a ver se alguém está interessado em renovar a série. O maior obstáculo é que éramos uma série de outra pessoa.”

Apesar de as primeiras três temporadas de Hannibal terem sido transmitidas na NBC, entre 2013 e 2015, a série não pertence ao canal. A história do canibal mais famoso do mundo é produzida por uma divisão francesa da Gaumont Film Company, o que significa que Fuller pode trazer Hannibal para outro canal americano, ou para uma plataforma de streaming, mesmo depois da NBC ter cancelado a série em 2015.

Até agora, nenhuma marca do streaming tomou as rédeas para oferecer uma quarta temporada a Hannibal, apesar de Fuller ter cada vez mais esperanças que a Netflix dê o próximo passo. Este seu ânimo compreende-se pelo facto de a série pertencer agora, indirectamente, ao gigante do streaming. A Netflix tem no seu catálogo, atualmente, as primeiras três temporadas da série — que não faz parte do catálogo português. Se os números em torno das visualizações de Hannibal continuarem altos, há maior probabilidade de a Netflix demonstrar interesse em financiar uma quarta temporada.

O que trouxe de novo a reunião do elenco no Zoom para os fãs de Hannibal?

O Nerdist — site de cultura pop — organizou, recentemente, uma reunião com todo o elenco e produtores de Hannibal, através da plataforma Zoom, com o intuito de arrecadar doações para a caridade. Durante a sessão, apesar de não ter sido mencionado o nome da Netflix, Bryan continuou a alimentar esperanças numa continuação da série naquela plataforma de streaming, dado o sucesso que as temporadas originais têm tido, ao nível das audiências.

A equipa falou sobre o que podia ou não acontecer numa hipotética quarta temporada, incluindo as aparições de membros do elenco, até de alguns que já morreram na série: “Acreditem em mim, se conseguirmos uma quarta temporada, com toda aquela m*rda do palácio da mente do Will, e daquela cabeça toda maluca, toda a gente vai estar de volta”, assegurou Fuller.

Os fãs também ficaram contentes por verem uma espécie de confirmação de um possível relacionamento amoroso entre Will e Hannibal. Mads Mikkelsen, o ator que dá vida a Hannibal no pequeno ecrã, confirmou que a sua personagem é pansexual e, mesmo que Will seja heterossexual, “a sexualidade é fluída”. 

O facto de todo o elenco ter tido vontade em reunir-se de novo, cinco anos depois, mais o interesse da Netflix em ter as primeiras temporadas da série, melhoradas tecnicamente, no seu catálogo de streaming, e o seu posterior sucesso junto do público, para além de Bryan dizer que está “muito esperançoso”, indica que os fãs podem começar, realmente, a sonhar com uma continuação da série.

Os sinais da Netflix de que uma quarta temporada pode mesmo acontecer

Apesar de a Netflix ainda não se ter pronunciado em relação ao assunto, os fãs rapidamente encontraram pistas de que um anúncio da quarta temporada poderá estar no horizonte. Em primeiro lugar, porque desde que chegou à plataforma a série tem sido um sucesso, tanto junto de fãs, que aproveitaram para revê-la, como de várias pessoas que não assistiram quando estreou. A série conquistou público que nunca tinha estado em contacto com a história de Hannibal e Will.

Mas, em segundo lugar, os fãs dizem ter encontrado mais evidências de uma possível continuação da história, pois quando os episódios ficaram disponíveis, a Netflix teve o cuidado de resolver pequenos erros que se podiam encontrar pelos episódios. Por exemplo, as legendas previamente incorrectas foram corrigidas, as cenas foram iluminadas e as suas cores enriquecidas, tornando a experiência, em geral, mais agradável.

Os ingredientes certos estão lá. A série, ao longo das suas três temporadas, formou uma grande base de fãs até ser cancelada, momento em que se mobilizou com a hashtag #SaveHannibal (#SalvemHannibal em português), pedindo a renovação da série. Agora Hannibal chegou às mãos da Netflix, onde encontrou ainda uma maior audiência desde o início de junho. Resta saber se é o suficiente para que o gigante do streaming decida investir em próximos capítulos da saga.

Mais Artigos
Mulan
‘Mulan’ a preço premium estreia na Disney+ em setembro