Festival Queer de Lisboa e Porto confirmam datas para 2020

O Festival Queer Lisboa assegurou a sua 24.ª edição, que se irá realizar de forma presencial de 18 a 26 de setembro, no Cinema São Jorge. Da mesma forma, o Queer Porto, que surgiu pela primeira vez em 2015, confirmou também a realização da sua 6.ª edição, entre os dias 13 e 17 de outubro, no Teatro Rivoli e na “Casa Comum” da Reitoria da Universidade do Porto.

O festival Queer é o único festival de cinema nacional que exibe filmes de temática gay, lésbica, bissexual, transsexual, intersexo e de outras identidades não-normativas. Segundo o site do festival, o seu objetivo é “programar o que de mais relevante se faz no panorama mundial, visando colmatar o facto de este cinema ser de acesso ainda limitado ao grande público”. Este ano, os festivais destacam a secção Queer Focus, que apresenta seis programas distintos: Cruising, Pele, Memória, Sexo, Corpos e Jogo.

“Estes são os motes das presentes edições, evocando expressões, identidades e práticas da cultura queer postas em causa em período de pandemia, e reafirmando a necessidade de reflexão e de se estabelecerem ligações entre o contexto atual e aspetos da história recente da comunidade LGBTI+. Objetivo que se alarga, com sessões e eventos que evocam a história do ativismo LGBTI+, assim como a problemática do VIH/Sida nas nossas realidades presentes”.

queer festival

O Queer Focus irá incluir igualmente momentos de conversa e debate, com a presença de, entre outros, André Tecedeiro, Fernanda Eugénio e Karol Radziszewski. Além disso, também poderão ser vistos filmes dos realizadores Peter Strickland, Jennifer Reeves Luther Price e uma performance ao vivo.

Para o Queer Lisboa foi já confirmada a exibição, na Esplanada da Cinemateca Portuguesa, do documentário francês Race d’Ep! de Lionel Soukaz e Guy Hocquenghem. O filme de 1979, que foi considerado como escandaloso, é uma reconstrução cinematográfica da história da homossexualidade moderna até o século XX. Esta sessão especial acontece em simultâneo com a nova exposição dos artistas portugueses João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira, que poderá ser vista de 23 de setembro a 23 de outubro, na galeria Stolen Books, em Lisboa.

Em parceria com o Grupo de Ativistas em Tratamentos e o CheckpointLX, e integrada na iniciativa “Lisboa Sem Sida – Fast-Track City”, haverá também uma sessão intitulada Liberdade, Participação e Ativismo, precedida pela exibição da curta-metragem Thrive, de Jamie di Spirito. O debate será moderado por Sofia Crisóstomo e João Brito, e terá a participação de Maria José Campos, Paolo Gorgoni, Luma Andrade, Sérgio Vitorino e Pedro Silvério Marques.

Devido aos cortes orçamentais e de forma a respeitar as normas impostas pela Direção-Geral da Saúde durante a pandemia, a organização dos festivais teve de “readaptar a programação, convidados e eventos paralelos”. Tendo ainda em conta que o Queer Lisboa é o festival mais antigo de cinema da capital do país, é “fundamental celebrar a presença e a força das muitas expressões e comunidades queer”.

A programação completa, atividades paralelas, júri e convidados oficiais do Queer Lisboa serão anunciados em conferência de imprensa no início de setembro. Já o Queer Porto irá apenas fazer o anúncio no início de outubro.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Cristina Ferreira fala sobre mudança.
Cristina Ferreira quer transformar a TVI como transformou as manhãs da SIC