Festival Queer de Lisboa e Porto confirmam datas para 2020

O Festival Queer Lisboa assegurou a sua 24.ª edição, que se irá realizar de forma presencial de 18 a 26 de setembro, no Cinema São Jorge. Da mesma forma, o Queer Porto, que surgiu pela primeira vez em 2015, confirmou também a realização da sua 6.ª edição, entre os dias 13 e 17 de outubro, no Teatro Rivoli e na “Casa Comum” da Reitoria da Universidade do Porto.

O festival Queer é o único festival de cinema nacional que exibe filmes de temática gay, lésbica, bissexual, transsexual, intersexo e de outras identidades não-normativas. Segundo o site do festival, o seu objetivo é “programar o que de mais relevante se faz no panorama mundial, visando colmatar o facto de este cinema ser de acesso ainda limitado ao grande público”. Este ano, os festivais destacam a secção Queer Focus, que apresenta seis programas distintos: Cruising, Pele, Memória, Sexo, Corpos e Jogo.

“Estes são os motes das presentes edições, evocando expressões, identidades e práticas da cultura queer postas em causa em período de pandemia, e reafirmando a necessidade de reflexão e de se estabelecerem ligações entre o contexto atual e aspetos da história recente da comunidade LGBTI+. Objetivo que se alarga, com sessões e eventos que evocam a história do ativismo LGBTI+, assim como a problemática do VIH/Sida nas nossas realidades presentes”.

queer festival

O Queer Focus irá incluir igualmente momentos de conversa e debate, com a presença de, entre outros, André Tecedeiro, Fernanda Eugénio e Karol Radziszewski. Além disso, também poderão ser vistos filmes dos realizadores Peter Strickland, Jennifer Reeves Luther Price e uma performance ao vivo.

Para o Queer Lisboa foi já confirmada a exibição, na Esplanada da Cinemateca Portuguesa, do documentário francês Race d’Ep! de Lionel Soukaz e Guy Hocquenghem. O filme de 1979, que foi considerado como escandaloso, é uma reconstrução cinematográfica da história da homossexualidade moderna até o século XX. Esta sessão especial acontece em simultâneo com a nova exposição dos artistas portugueses João Pedro Vale e Nuno Alexandre Ferreira, que poderá ser vista de 23 de setembro a 23 de outubro, na galeria Stolen Books, em Lisboa.

Em parceria com o Grupo de Ativistas em Tratamentos e o CheckpointLX, e integrada na iniciativa “Lisboa Sem Sida – Fast-Track City”, haverá também uma sessão intitulada Liberdade, Participação e Ativismo, precedida pela exibição da curta-metragem Thrive, de Jamie di Spirito. O debate será moderado por Sofia Crisóstomo e João Brito, e terá a participação de Maria José Campos, Paolo Gorgoni, Luma Andrade, Sérgio Vitorino e Pedro Silvério Marques.

Devido aos cortes orçamentais e de forma a respeitar as normas impostas pela Direção-Geral da Saúde durante a pandemia, a organização dos festivais teve de “readaptar a programação, convidados e eventos paralelos”. Tendo ainda em conta que o Queer Lisboa é o festival mais antigo de cinema da capital do país, é “fundamental celebrar a presença e a força das muitas expressões e comunidades queer”.

A programação completa, atividades paralelas, júri e convidados oficiais do Queer Lisboa serão anunciados em conferência de imprensa no início de setembro. Já o Queer Porto irá apenas fazer o anúncio no início de outubro.

Mais Artigos
Bem me Quer
Entre a serra e a cidade, ‘Bem Me Quer’ é a nova história de amor da TVI