Imagem: Carga (2018)

4 filmes para assinalar o Dia Mundial Contra o Tráfico de Pessoas

O Dia Mundial Contra o Tráfico de Pessoas assinala-se a 30 de junho. Nesta data, determinada pelas Nações Unidas em 2014, o Espalha-Factos traz-te uma lista de filmes que abordam a temática, para informar e consciencializar.

Segundo dados de 2019 do Gabinete das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), cerca de 2,5 milhões de pessoas são traficadas em todo o mundo e, em Portugal, o tráfico humano é uma realidade que continua presente – de 2018 para 2019, houve um aumento de cerca de 45% do número de vítimas de tráfico. No nosso país, em 2019, foram sinalizados 280 casos de presumíveis vítimas de tráfico humano, segundo o Relatório Anual de Segurança Interna.

De acordo com os dados do Plano de Ação para a Prevenção e o Combate ao Tráfico de Seres Humanos, em vigor entre 2018 e 2021, mais de metade dos casos de tráfico têm em vista a exploração sexual e, neste caso, as vítimas são geralmente mulheres (72%). Mas existe também uma percentagem significativa de casos de tráfico humano para trabalhos forçados e, desses, 86% são homens.

Pandemia causa um aumento do risco de tráfico de seres humanos

Este ano, “a ONU alertou para o facto de a atual crise tornar as vítimas de tráfico de seres humanos ainda mais vulneráveis, uma vez que a pandemia restringe as deslocações, absorve recursos e reduz os serviços”, segundo o Observador.

De acordo com a agência, as vítimas são atualmente confrontadas com atrasos nos processos legais, e estão expostas a um aumento dos maus-tratos ou mesmo ao abandono pelos traficantes. É essencial que os países continuem a assegurar locais de acolhimento e linhas telefónicas de apoio de emergência para as vítimas, segundo a diretora-executiva do UNODC.

A Associação de Apoio à Vítima relembra que este dia deve“marcar um momento em que se reforça a preocupação e importância das medidas que têm vindo a ser tomadas na luta contra este crime”.

O cinema, para além de entreter, tem a capacidade de informar e consciencializar. A lista que te apresentamos é composta por filmes que retratam o tráfico humano, na esperança de que sirvam esse propósito, e que reiterem a gravidade deste crime e a importância de estar alerta.

Carga (2018), de Bruno Gascon

Imagem: Carga (2018)

Começamos a lista com um filme português que conta com um elenco internacional – a protagonista é interpretada pela premiada atriz russa, Michalina Olszanska, que contracena com Vitor Norte, Rita Blanco e Sara Sampaio.

A longa conta-nos a história de uma jovem russa que é apanhada numa rede de tráfico enquanto procurava uma vida melhor. Ao acompanharmos a sua jornada, vemos também o ponto de vista de outras mulheres, também elas raptadas e abusadas pela máfia russa. No fundo, esta é uma narrativa que explora o lado desumano da Humanidade.

O filme conta um relato de sobrevivência inesquecível, ao mesmo tempo que nos mostra como é fácil ser “apanhado” neste tipo de esquemas, e acabar por sofrer  todo o tipo de chantagens e abusos, procurando ser, por isso, um aviso e um alerta para os horrores do tráfico humano.

The Whistleblower (2010), de Larysa Kondracki

Imagem: The Whistleblower (2010)

A Delatora (título português) é um filme baseado em factos reais que acompanha uma agente policial norte-americana (Rachel Weisz) enquanto esta trabalha com as Nações Unidas para tentar desmantelar uma rede de tráfico sexual. Os desaparecimentos, as mortes e os testemunhos de algumas vítimas estão à vista, mas a dificuldade de pôr fim aos crimes é aumentada por serem perpetuados pelos supostos salvadores.

A longa-metragem é muito bem sucedida em mostrar, num ambiente negro e dramático, que o tráfico humano pode não ser praticado por desconhecidos, mas sim pelo outro que está próximo – colegas de trabalho e familiares. Em simultâneo, o drama enfatiza também a importância da presença das mulheres nas forças de segurança, que vêem o seu papel ser subestimado e alvo de preconceitos num ambiente – e sociedade – machista.

À semelhança de vários títulos desta lista, este filme reforça o facto de que a maioria das vítimas de tráfico humano são as de redes de tráfico sexual de mulheres, que exploram e vendem mulheres para a prostituição ou escravidão sexual.

Darc (2018), de Julius R. Nasso

Imagem: Darc (2018)

Esta produção opta por um caminho diferente das anteriores mencionadas. Em vez de se focar no drama, centra-se na ação e na jornada do herói, Darc (Tony Schiena), que era apenas um miúdo quando a sua mãe, vítima de tráfico sexual, é assassinada à sua frente. Desde aí, o protagonista cresce e torna-se numa espécie de justiceiro que combate o mal.

Para lá de ter como objetivo a consciencialização do espectador para o tráfico de pessoas, Darc acaba por ser, principalmente, uma história de vingança pessoal contra um grupo de criminosos japoneses que traficam mulheres e as obrigam à prostituição, acabando por ser uma produção muito semelhante a filmes como os da trilogia Taken (2008, 2012, 2014) e a saga The Transporter (2002, 2005, 2008, 2015). A longa encontra-se disponível na Netflix.

Trafficked (2017), de Will Wallace

Imagem: Trafficked (2017)

O tráfico de pessoas é muitas vezes um crime perpetuado por redes de escala internacional, e este filme expõe exatamente isso. Baseado em fatos reais, a narrativa acompanha uma mulher nigeriana e duas jovens adultas, uma indiana e outra norte-americana, que foram raptadas e mantidas num bordel no Texas, nos Estados Unidos da América. O filme expõe a violência e os abusos praticados pelos traficantes, e a desumanização das mulheres que são vítimas deste crime, a sua objetificação, o uso da chantagem na perpetuação do crime, e mostra também a forma violenta como os traficantes descartam a maioria das mulheres que “deixam de servir para o negócio”.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Big Brother
‘Big Brother’. Diário e Extra estreiam a perder nas audiências