Fonte: Sapo.pt
Fonte: Sapo.pt

IndieLisboa: Programação do Festival já está fechada

O festival de cinema IndieLisboa terá uma sala ao ar livre e mais dias de exibição

Num ano em que são poucos os festivais a ser concretizados, o IndieLisboa – Festival Internacional de Cinema já fechou a programação e já é possível comprar bilhetes.

A decorrer entre 25 de agosto e 5 de setembro, esta 17.ª edição destaca-se das anteriores devido à adaptação que foi feita devido à pandemia que o mundo está a atravessar.  Segundo Anastasia Lukovnikova, uma das responsáveis pela programação do evento, a lotação das salas vai ser menor, mas para que ninguém fique de fora foram criadas mais exibições. Vai haver, também, sessões ao ar livre, que acontecerão tanto no Cineteatro Capitólio como na Esplanada da Cinemateca, onde poderão ser vistos filmes quase todas as noites.

cerimónia de abertura do festival vai acontecer no dia 25 de agosto, na sala Manoel de Oliveira do Cinema São Jorge, com o filme “La Femme de Mon Frère”, a estreia na realização de Monia Chokri, que conhecemos dos filmes de Xavier Dolan.

Já o encerramento do IndieLisboa 2020 ficará a cargo de “Um Animal Amarelo”, filme de Felipe Bragança (co-produção O Som e a Fúria), um filme que acompanha um falido cineasta brasileiro. Poderá ser visto no dia 5 de setembro, no Grande Auditório da Culturgest, pelas 21h30.

Competições Nacionais e Internacionais

Desde a celebração dos 50 anos do Forum Berlinal, passando pelo IndieMusic, e pelo IndieJúnior, esta 17.ª edição do festival promete se distanciar das anteriores e marcar pela diferença.  Anastasia Lukovnikova destaca a retrospetiva de toda a obra do realizador senegalês Ousmane Sembène, que vem dar mais peso à “forte presença africana”no festival, principalmente nesta altura em que movimento Black Lives Matter está espalhado pelo mundo.

A Competição Nacional do festival conta com cinco longas-metragens e 17 ‘curtas’, de produção ou coprodução portuguesa, entre as quais “O Fim do Mundo”, de Basil da Cunha, selecionada para o festival de Locarno (Suíça), e “A Metamorfose dos Pássaros”, primeira longa metragem de Catarina Vasconcelos, que já lhe valeu os prémios da crítica internacional, na secção Encontros do festival de Berlim, e o de melhor filme, em Vilnius.

A Competição Internacional do IndieLisboa, inclui 43 filmes, 12 longas-metragens e 31 ‘curtas’, das quais fazem parte “El año de descubrimiento” de Luis López Carrasco (Espanha) e “Baamum Nafi” de Mamadou Dia (Senegal). Estão também em competição internacional o documentário “L’Île aux oiseaux”, da dupla luso-suíça Maia Kosa e Sérgio da Costa, que esteve em competição em 2019, nos festivais de San Sebastian (Espanha) e Locarno, e “Si yo fuera el invierno mismo”, filme da argentina Jazmin Lopez.

Programação especial

Nos destaques principais do festival estão as sessões especiais que apresenta, “Fojos, um documentário de Anabela Moreira e João Canijo, rodado em Castro Laboreiro e  “28 ½, o segundo filme de Adriano Mendes sobre uma jovem numa Lisboa gentrificada.

O IndieLisboa acolherá ainda quatro documentários de Carlos Vaz Marques e Graça Castanheira, programados em parceria com o Festival literário Lisboa 5L, sobre escritores distinguidos com o prémio José Saramago: João Tordo, Adriana Lisboa, Ondjaki e Paulo José Miranda.

Nas atividades direcionadas exclusivamente para os profissionais anuncia-se a programação das Lisbon Screenings. Destaque para as novas longas metragens de Cláudia Alves, João Botelho, Júlio Alves e Sérgio Tréfaut, e as novas curtas metragens de Clara Jost, Ico Costa, Laura Carreira, Tomás Paula Marques.

A única programação ‘online’ será dedicada aos encontros para a indústria, com a participação, à distância, de representantes de outros festivais de cinema.

Como finalização do programa estão as Lisbon Talks, este ano dedicadas aos atores e à representação no audiovisual nacional. Em quatro conversas de streaming gratuito programadas ao longo das datas do festival procurar-se-á tomar o pulso a uma classe profissional profundamente fértil e numerosa para dar tempo de antena a preocupações da sua prática laboral como sejam as questões de empregabilidade e o almejado estatuto do intermitente, bem como debater o papel interno do audiovisual português numa mudança de paradigma em mais e melhor representatividade, entre outras questões.

Informações sobre o evento já se encontram no site do Festival

Os bilhetes já estão à venda e podem ser comprados na Ticketline, e nos locais físicos do festival estão disponíveis bilhetes individuais (Sessões de cinema e Oficinas IndieJúnior), Vouchers (cadernetas com 5, 10 ou 20 bilhetes) e Bilhetes Famílias (válido para 4 pessoas). Todas as informações encontram-se no site do evento.

Está também já disponível a aplicação IndieLisboa 2020. Através dela o visitante tem acesso a todo o programa e a toda a informação relacionada com os filmes tanto em exibição, como a concurso.  A aplicação permite-lhe também consultar a grelha de sessões e criar um calendário personalizado.

O festival prolongar-se-á até dia 11 de setembro com sessões adicionais no Cinema Ideal, onde terão lugar sessões de filmes premiados, e na Cinemateca Portuguesa, com projecções de filmes pertencentes às retrospectivas de Ousmane Sembène e 50 Anos do Forum Berlinale.

A 17.ª edição deveria ter ocorrido entre abril e maio, mas a pandemia do novo coronavírus obrigou a uma alteração de planos, com a direção a decidir remarcá-la para o verão, rejeitando a hipótese de fazer uma versão ‘online’, porque que o espetador não perca a experiência em sala, sublinhou Anastasia Lukovnikova.

O IndieLisboa — Festival Internacional de Cinema decorre de 25 de agosto a 5 de setembro no Cinema São Jorge, Culturgest, Cinema Ideal e Cinemateca Portuguesa.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Shawn Mendes
‘Shawn Mendes: In Wonder’. O artista por trás dos palcos e do mundo da fama