emmys 2020
Watchmen | Fonte: Divulgação

Emmys 2020: As primeiras reações, surpresas e desilusões com os nomeados

Os nomeados dos Emmys 2020 foram anunciados na terça (28), numa cerimónia virtual no twitter da Academia de Televisão. Os Emmys pretendem galardoar as melhores produções e atuações televisivas produzidas nos Estados Unidos. Apesar da pandemia, 2020 bateu o recorde de número de inscrições, mas o isolamento social acabou por afetar o lançamento de vários filmes e séries, o que estreitou a janela de elegibilidade.

Watchmen, a adaptação da banda-desenhada de Alan Moore, Dave Gibbons e John Higgins sobre super-heróis que estreou o ano passado na HBO Portugal, foi a produção com mais nomeações (26), incluindo Melhor Minissérie e Melhor Ator e Atriz numa Minissérie ou Telefilme. Ozark (Netflix) e Succession (HBO) vêm a seguir na lista, com 18 nomeações cada e The Good Place, a série da Netflix que encerrou este ano, contou quatro nomeações, a última oportunidade para levar as estatuetas para casa. A Netflix é a grande vencedora na corrida das nomeações, somando 160 no total.

Como já é habitual, a 72.ª edição está repleta de nomeações surpreendentes e de snubs – produções que deveriam, ou esperava-se que fossem nomeadas mas cujo título não consta nas listas.

emmys 2020
Laura Linney, Sofia Hublitz e Jason Bateman em Ozark | Fonte: Netflix

As surpresas de 2020

Este ano, a notícia que mais surpreendeu foi o número de nomeações a atores e atrizes negros, que bateu um recorde histórico – 34,3% (contrastando com os 19,8% do ano passado) das nomeações, o que significa que, das 102 direcionadas aos atores, 35 foram para pessoas de cor. Maya Rudolph (The Good Place e Saturday Night Live), Billy Porter (Pose), Zendaya (Euphoria) e Issa Rae (Insecure) são alguns dos nomeados.

A nomeação da série cómica What We Do In The Shadows, baseada no mockumentary com o mesmo título de Taika Waititi, foi outro grande imprevisto, tendo recebido oito indicações. Unorthodox, a série limitada da Netflix que narra a fuga de uma jovem da sua comunidade opressora, também foi nomeada para oito categorias. Shira Haas, que fez um belíssimo trabalho ao protagonizar Esther pode levar para casa a estatueta de Melhor Atriz numa Série Limitada ou Telefilme. Apesar de tímido, o descolar de Unorthodox chegou a grandes alturas, com classificações altas a nível da crítica e muitos pedidos de uma segunda temporada por parte dos fãs da série. A reação dos protagonistas ficou imortalizada neste vídeo de Instagram de Amit Rahav, que interpreta o marido de Esther na trama.

A nomeação de Zendaya para Melhor Atriz Principal também causou furor. A atriz de 23 anos protagoniza uma das séries mais bem cotadas da HBOEuphoria  e já reagiu nas suas redes sociais: “Estou sem palavras, o meu coração está a transbordar com amor e gratidão. É uma honra trabalhar ao lado de pessoas tão talentosas que eu tenho o prazer de chamar família. Eu sou uma pequena peça de um lindo puzzle, e estou tão orgulhosa de todos vocês. Obrigada a todos.”.

As cantoras Shakira Jennifer Lopez foram nomeadas para a categoria de Melhor Especial (ao vivo) pela atuação no concerto de intervalo no Super Bowl LIV. Não é a primeira vez que um espetáculo deste evento é merecedor de nomeação aos Emmys: em 2017, Lady Gaga foi nomeada para o mesmo prémio e, em 2007, foi Prince um dos eleitos. O concerto de intervalo do Super Bowl é um dos maiores eventos mediáticos dos Estados Unidos, que acontece anualmente. Já passaram por lá artistas como BeyoncéBruce SpringsteenMichael Jackson.

A série Queer Eye, onde os “fab five Jonathan Van Ness, Antoni PorowskiKaramo Brown, Tan France e Bobby Berk ajudam pessoas de várias faixas etárias, sexualidades e credos a recuperar a sua auto-estima há muito perdida, conquistou sete nomeações. O balanço dos últimos anos é positivo – a série foi nomeada para todas as temporadas, mas Queer Eye bate o seu recorde em 2020.

As desilusões desta temporada de Emmys

Como é normal em todos os Emmys, há sempre um grupo de desprezados que causa indignação junto dos fãs das séries não-nomeadas. Um dos grandes snubs deste ano foi o elenco de Better Call Saul. A série spin-off  de Breaking Bad, com um elenco excecional, que tem levado galardões dos críticos, não recebeu nenhuma nomeação este ano. Outra grande falha da Academia foi não ter nomeado Reese Witherspoon – a protagonista exímia de Big Little LiesThe Morning Show Little Fires Everywhere recebeu o total de zero nomeações, apesar do excelente trabalho que desenvolve em cada uma das três séries. Um fã da atriz desabafou no twitter: “Estou muito surpreendido que a Reese Witherspoon não tenha nenhuma nomeação por Big Little Lies, The Morning Show OU Little Fires Everywhere. Ela foi excepcional em TODAS as três.”

O retorno de Big Little Lies ao pequeno ecrã e a sua transição de série limitada para uma multi-temporadas acabou por fazer desvanecer o seu sucesso junto dos membros da Academia. Este ano, apenas Laura Dern Meryl Streep foram nomeadas pelo seu desempenho na série, um quarto de nomeações em relação ao ano passado.

Elisabeth Moss também foi uma das lesadas – a série The Handmaid’s Tale merecia pelo menos uma nomeação, mas nem a atriz foi nomeada. Por fim, a falta de nomeação a Aaron Paul pelo papel desempenhado no telefilme de Breaking Bad  foi notada e contestada. El Camino: A Breaking Bad Movie soma cinco nomeações, mas os fãs da série esperavam um total mais alto ou, pelo menos, uma nomeação para Melhor Ator numa Série Limitada ou Telefilme àquele que foi um dos protagonistas mais queridos do pequeno ecrã ao longo de cinco anos.

 

 

 

 

 

Mais Artigos
unreal
‘UnReal’. Terceira temporada chega a Portugal