Fotografia: Divulgação

À Escuta. David Fonseca, B Fachada e Benjamim entre os destaques desta semana

À Escuta, a nova rubrica semanal do Espalha-Factos, traz-te as novidades mais quentes da música portuguesa. Nesta semana, destacamos o lançamento por parte de David Fonseca com Lost and Found – B Sides and Rarities, uma compilação de temas que só haviam antes figurado em edições não oficiais ou limitadas e raras do artista, o regresso de B Fachada aos discos com Rapazes e raposas e o novo single de Benjamim, intitulado de ‘Domingo’.

Lost and Found – B Sides and Rarities – a coleção de raridades de David Fonseca

São 16 o número de faixas que compõem o novo projeto do cantor e multi-instrumentalista português, David Fonseca. Depois de ter iniciado a sua carreira como vocalista e guitarrista dos Silence 4, embarcou numa carreira a solo que viria a ser constituída por alguns dos lançamentos mais arrojados e aclamados pela crítica e público da pop portuguesa.

Lost and Found – B Sides and Rarities é uma compilação de raridades que outrora só haviam figurado em edições não oficiais ou limitadas e raras. Segundo o artista, corresponde a um conjunto de canções “espalhadas por gavetas ao longo da minha carreira, sinto que há uma intenção única que as une e que falam de coisas que nem sempre estão a descoberto na minha discografia” e que visam abrir “uma porta diferente” para o universo musical criado por David Fonseca.

Entre faixas mais experimentais e outras a pender mais para o alternativo, é um disco que releva todas as facetas de David Fonseca e que nos permite vislumbrar todo o potencial de um artista que marcou, e continua a marcar, o mundo da pop portuguesa. 

B Fachada – Rapazes e raposas

Rapazes e raposas é o novo disco lançado por B Fachada, nome artístico do cantor português Bernardo Cruz Fachada. Marca o seu regresso aos lançamentos, dois anos depois do EP Viola Braguesa X e seis anos depois do seu último longa duração, B Fachada.

B Fachada
B Fachada durante o processo de gravação de Rapazes e raposas. O álbum foi gravado numa residência em Mértola. Foto: Facebook
Gravado entre março e maio deste ano, em Mértola, Rapazes e raposas prossegue a exploração sonora que Bernardo nos habituou, com a junção do folk tradicional à elétronica, pop e neo-psicadélia, mas que soa mais polido e refinado que os seus trabalhos anteriores. Com arranjos e uma composição lírica exímia, é um regresso que requer celebração especial por parte de todos os fãs da música portuguesa. 

Benjamim – ‘Domingo

A expectativa para o novo disco do cantautor português Benjamim aumenta a cada dia. E ‘Domingo’ é o novo avanço de Vias de Extinção, trabalho que terá data de lançamento para depois do fim do Verão. ‘Domingo’ prossegue na direção musical apresentada pela faixa título do disco, com a junção de elementos de cantautor com neo-psicadélia, sonoridade já explorada em Auto Rádio, de 2015. É uma música com lírica em tom irónico, relatando sobre aquele que pode ser considerado “um dos mais odiosos dias da semana“, mas que ao mesmo tempo acaba por soar bastante otimista na preparação para uma nova semana que aí se aproxima.

Alexandre Quem – ‘Quem Diria’

‘Quem Diria’ é o single de estreia do cantautor português Alexandre Quem. É uma canção que junta o folk ao indie, relatando a saudade de um tempo que já passou. Ecoa a portugalidade das pequenas vilas portuguesas e a de um indivíduo que troca a calma da terrinha por uma grande cidade. A voz de Alexandre, suave e crua, ecoa este sentimento, enquanto o instrumental se desenvolve até culminar num belo e doce solo de guitarra.

Bardino – ‘Volição’

Bardino é o nome do projeto musical constituído por Diogo Silva, Nuno Fulgêncio e Rui Martins. ‘Volição‘ é o segundo single que antecede o lançamento de Centelha, álbum que será editado em agosto deste ano pela editora Saliva Diva. Contando com a participação especial de Leonardo Outeiro na guitarra, a faixa é uma odisseia psicadélica de sintetizadores e baixo, complementada pelos suaves riffs da guitarra de Leonardo que vão surgindo ao longo da sua duração.

Best Youth‘Never Belong’

‘Never Belong’ é o primeiro avanço do próximo álbum de estúdio dos Best Youth, duo de pop constituído por Ed Rocha Gonçalves e Catarina Salinas. No seguimento de Cherry Domino, lançado em 2018, o grupo continua a exploração da sonoridade de synth-pop, mas agora num contexto mais otimista e leve. No entanto, apesar do instrumental mais dançável, a produção e voz de Catarina continuam a rodear-nos de uma sensação de nostalgia e intimidade, características essenciais que marcam a apresentação da banda.

Cabrita – ‘Afronauts Lament

‘Afronauts Lament’ é o terceiro avanço do álbum de estreia do projeto musical do saxofonista João Cabrita. Depois de ‘Whatever Blues’ e ‘Dancing With Bullets’, ‘Afronauts Lament’ continua a revelar o mundo musical que poderemos encontrar no disco de estreia de Cabrita, com data prevista de lançamento para 1 de outubro. Contando com contribuições de Hélio Morais na bateria, David Pessoa na guitarra e de João Gomes nos arranjos, a faixa junta o jazz do saxofone de João Cabrita com eletrónica e psicadélico, levando-nos a bordo dos descobrimentos que Cabrita capitaneia nesta pequena, mas calorosa nave especial.

Glockenwise com Rui Reininho‘Calor’

‘Calor’ é o novo single dos Glockenwise. O grupo de indie rock português está de regresso depois de ter editado o excelente trabalho Plástico, em 2018. A banda junta-se ao vocalista lendário dos GNR, Rui Reininho, para uma reedição do tema ‘Heat’, que pode ser encontrado no disco com o mesmo nome, lançado em 2015. Ao contrário da versão original, que é marcada pelas guitarras e linhas de baixo características do garage rock, ‘Calor’ é mais dançável. A sua sonoridade é muito semelhante à de Plástico, tanto em termos de produção como de instrumentação.

Mariana Moreira – Comumdidade

Comundidade é o disco de estreia da artista portuguesa Mariana Moreira. A ex-concorrente do The Voice Portugal estreia-se com um disco que junta uma sonoridade de folk, indie pop e música tradicional portuguesa, marcado pela lírica pontuada e a voz distinta de Mariana. É um trabalho que ecoa felicidade e que tem uma capacidade de aquecer o coração do ouvinte. O álbum foi todo composto e produzido pela cantora.

não simão – ‘Maria’

Os não simão são um grupo musical constituído por Simão Palmeirim (voz e guitarra), Pedro Fernandes (baixo), José Anjos (bateria) e Marco Alves e Ana Raquel como donos do trombone e saxofone barítono. Em ‘Maria’, o seu novo single, a banda apresenta uma faixa muito delicada e etérea, que circula entre o chamber pop, o jazz e a pop alternativa, e que conta a história de Maria, uma rapariga que trabalha junto ao porto. Vive uma vida triste e isolada, mas à medida que a música cresce, também a serenidade que tanto procura se aproxima.

NEEV – Philosotry

NEEV
Foto: Divulgação

Philosotry é o álbum de estreia de NEEV, nome artístico do cantor, compositor e multi-instrumentalista Bernardo Neves. Produzido pelo lendário produtor Larry Klein, responsável por discos de artistas como Joni Mitchell ou Herbie Hancock,  Philosotry é um disco que mostra as várias facetas do artista português.  Entre influências de rocksoul e folk, é um disco que mostra a junção entre os vários mundos e dimensões de Bernardo como artista, criando uma sonoridade extremamente versátil e própria dentro do universo musical português. É um disco que transmite todo o tipo de emoções ao ouvinte. É “quente, frio, feliz e triste”, mas que transporta uma crueza real na voz de Bernardo.

Rossana‘People’s Person’

Rossana é o nome artístico da cantora e produtora Inês Barroso e ‘People’s Person’ é o nome do seu novo single. É uma faixa que junta a música tradicional portuguesa, com a junção de fado à música clássica e um toque etéreo nas texturas criadas pela artista portuguesa. Conta com colaboração de Matilda Cunietti no violino.

Tagua Tagua‘Mesmo Lugar’

Mesmo Lugar’ é o novo single do projeto musical do compositor e produtor brasileiro Felipe Puperi, Tagua Tagua. É o segundo single do seu álbum de estreia a solo, Inteiro Metade, que será lançado no segundo semestre de 2020. É uma faixa psicadélica, bastante tropical na sua composição, que nos faz lembrar os trabalhos mais recentes de bandas como os Boogarins ou Cidade Dormitório.

Lê também: Festival Iminente realiza-se em setembro, mas com formato alternativo
Mais Artigos
cultura
Programadores pedem exceções para a Cultura durante Estado de Emergência