Netflix
Fotografia: Getty

‘If Only’. Netflix cancela série turca por pressões contra personagem gay

Produtora recusou-se a alterar o guião inicial da produção, cujas gravações já haviam começado

A Netflix decidiu, esta terça-feira (21), cancelar as gravações da série original If Only, na sequência da exigência das autoridades governamentais da Turquia para que fosse removido um personagem com orientação homossexual do enredo, composto por oito episódios.

Segundo o Deadline, a tomada de posição da companhia norte-americana, que preferiu não ceder à alteração do guião inicial, foi influenciada pelo facto de os produtores da Ay Yapim terem sido desautorizados a continuar a filmar as diversas cenas.

“Devido a um personagem gay, a permissão para filmar a série não foi concedida e isso é muito assustador para o futuro”, afirmou Ece Yorenç, autora do original turco If Only, que conta a história de uma mulher casada infeliz que recua ao momento, 30 anos antes, em que o seu marido a propôs em casamento.

A argumentista da série, cujo lançamento foi feito no passado mês de março e que teria como atriz principal Özge Özpirinçci, garantiu que a produção “não iria conter, em nenhum dos seus episódios, cenas de sexo ou contacto físico entre o personagem gay e outros homens”.

Özge Özpirinçci
Özge Özpirinçci seria a protagonista do original turco. | Fotografia: D.R.

Na sequência do cancelamento da sua criação, Ece Yorenç utilizou a rede social Twitter para reavivar uma afirmação do CEO da Netflix, Reed Hastings, a propósito de possível repressão cultural na Turquia.

“Estamos na Arábia Saudita, no Paquistão. Se aqui [nestes países] não há problemas, teremos problemas na Turquia? Não consigo imaginar isso”, disse Hastings em 2018, ano em que o Escritório de Direitos Humanos da ONU reportou “profundas violações dos direitos humanos” e “infrações no direito de expressão” naquele país.

Reação governamental turca e o compromisso da Netflix

Recentemente, um porta-voz do Partido da Justiça e Desenvolvimento da Turquia, com ligação ao presidente autocrata Recep Tayyip Erdogan, assumiu publicamente o desagrado institucional relativo à produção do original turco If Only, quando percebida a inclusão de um personagem gay.

“Devemos pedir desculpas coletivamente à Netflix? O que eles querem de nós? Temos que abençoar tudo o que a Netflix faz, achar adequado e santificá-lo? Não há nenhum assunto em que temos o direito de levantar reservas?”, questionou o responsável turco, com sátira à mistura.

Por sua vez, um porta-voz da Netflix, que não se referiu diretamente ao ato de censura das autoridades turcas, frisou que a companhia norte-americana continua “profundamente comprometida com os nossos membros turcos e com a comunidade criativa da Turquia”.
“Atualmente, temos vários originais turcos em produção, com mais para vir, e aguardamos compartilhar essas histórias com todos os nossos membros em todo o mundo”, explicou o elemento da equipa do serviço de streaming.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Eduardo Madeira: A blackface “em pleno século XXI não faz qualquer sentido”