Fotografia: Anders Hellberg

Greta Thunberg vence prémio Gulbenkian para Humanidade

Esta segunda-feira (dia 20), a ativista Greta Thunberg venceu a primeira edição do Prémio Gulbenkian para a Humanidade, no valor de um milhão de euros. A jovem já anunciou que este valor vai ser aplicado no combate às alterações climáticas.

Em comunicado, a Fundação Calouste Gulbenkian anunciou que a jovem “foi escolhida entre 136 nomeações (correspondendo a 79 organizações e 57 personalidades) provenientes de 46 países”.

A mesma nota revela que o prémio ganho por Greta Thunberg será atribuído pela Fundação Thunberg “a projetos de combate à crise climática e ecológica, de forma a ajudar os que enfrentam os piores impactos desta crise, particularmente a sul” do globo. “A Fundação Thunberg começará por doar os primeiros 200 mil euros à SOS Amazonia campaign, da Fridays for Future Brazil, que combate a Covid 19 na Amazónia, e à Stop Ecocide Foundation para tornar o ecocídio um crime internacional”.

Enquanto líder do painel de jurados responsável pela atribuição do galardão, o antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, enfatizou “a forma como Greta Thunberg conseguiu mobilizar as gerações mais novas para a causa do clima e a sua luta tenaz por mudar um status quo que teima em persistir, que fazem dela uma das figuras mais marcantes da atualidade”.

O Prémio Gulbenkian para a Humanidade tem o objetivo de “distinguir pessoas e/ou organizações de todo o mundo cujas contribuições para a mitigação e adaptação às alterações climáticas se destacam pela originalidade, inovação e impacto”, explica a Fundação no comunicado.

O agradecimento de Greta Thunberg 

Num vídeo divulgado no Twitter, a jovem de 17 anos aproveitou para reagir ao galardão atribuído pela fundação portuguesa. “Estou extremamente honrada e agradecida por receber o prémio Gulbenkian para a Humanidade. Isto significa muito para mim, e espero que me ajude a tornar o mundo melhor”, afirmou a ativista.

Aproveitou ainda para anunciar que “irá doar o dinheiro do Prémio, o mais rapidamente possível, a organizações e projetos que lutam por um mundo sustentável e defendem a natureza, apoiando pessoas que enfrentam os piores impactos da crise ecológica e climática.”

O percurso de Greta Thunberg

Nascida em 2003, Greta Thunberg dá voz à preocupação das jovens gerações pelo seu futuro, em risco com o aquecimento global, tendo-se evidenciado pela sua juventude e pelo modo direto e incisivo de comunicar. Esta sua influência a nível mundial é reconhecida pelos mais novos, mas também por outras gerações acompanham as lutas da ativista.

A Time Magazineconsiderou Greta como uma das 100 pessoas mais influentes do mundo. Em 2019, foi eleita “Personalidade do Ano” pela mesma revista. Também a Forbes incluiu-a na lista das 100 Mulheres mais poderosas de 2019. Soma ainda duas nomeações para o Prémio Nobel da Paz (2019 e 2020).

A ativista sueca foi considerada pelo Espalha-Factos como a Figura Internacional do Ano de 2019. Pedro Miguel Coelho explicava que “não é difícil entender que a cultura, a arte, o entretenimento, são impactados pelo mundo que nos rodeia e Greta tornou-se, em grande parte, um ícone da cultura contemporânea”

Mais Artigos
HBO Max chega a Portugal na segunda metade de 2021