Mads Mikkelsen em Hannibal
Fotografia: Reprodução/DR

‘Hannibal’: Podemos ter esperança numa quarta temporada?

A série está agora disponível na íntegra na plataforma de streaming da Netflix

Foi há cinco anos que, de forma inesperada, a NBC tomou a decisão de cancelar Hannibal após três temporadas. Os fãs ficaram desiludidos com esta notícia, tendo ganho até o apoio de Mads Mikkelsen, ator que deu vida a Hannibal Lecter na série, e de Bryan Fuller, o criador da mesma. Apesar de Hannibal nunca ter sido um sucesso de audiências enquanto esteve em exibição, porque é que, estando agora disponível na íntegra na Netflix, começaram a surgir esperanças de que pode mesmo vir a existir uma quarta temporada?

Série de culto

Hannibal chegou a ser exibido em Portugal, no canal AXNe atingiu nos Estados Unidos da América o estatuto de série de culto. Aclamada pelos críticos e seguida por uma forte base de fãs leais, os #Fannibals, Hannibal nunca se conseguiu tornar uma série mainstream mas, apesar dos fracos resultados em audiências, era expectável que a NBC renovasse a série para uma quarta temporada, que no entanto nunca viu luz verde.

A série distingue-se dos filmes que adaptaram igualmente a história de Hannibal Lecter.
Imagem: NBC

A série Hannibal – não confundir com o filme do mesmo nome, que conta com Anthony Hopkins no papel principal e que é, na verdade, a sequela de O Silêncio dos Inocentes – centra-se na história do Dr. Hannibal Lecter, transportado para a televisão pela magnética performance de Mads Mikkelsen, um carismático psiquiatra que é também, secretamente, um canibal.

Hugh Dancy interpreta Will Graham, um investigador criminal problemático cujas investigações e problemas pessoais se emaranham cada vez mais nas armadilhas que lhe monta o psiquiatra assassino. O elenco conta ainda com nomes sonantes como Laurence Fishburne (Jack Crawford), Gillian Anderson (Dr. Bedelia du Maurier), Raúl Esparza e Caroline Dhavernas (Dra. Alana Bloom).

2015, o ano do cancelamento

Até hoje, é difícil acreditar que uma Hannibal, uma série tão sangrenta, poética e bizarra conseguiu ser emitida em televisão durante três magníficas temporadas. Mas a verdade é que viu a luz do dia muito por força do brilhante trabalho do seu criador, Bryan Fuller.

Hannibal começou por ser, no seu primeiro ano, uma adaptação relativamente linear dos livros de Thomas Harris. Tratava-se da história de origem das personagens em que, inicialmente, Lecter e Graham trabalham juntos a apanhar serial killers. O maior ponto de tensão da primeira temporada é o facto de tanto Will como o FBI desconhecerem que Hannibal é quem está por detrás de alguns dos crimes mais horríveis e hediondos sob investigação.

O enredo progrediu na segunda temporada e tornou-se cada vez mais “estranho” – no melhor dos sentidos. Fuller conseguiu tornar a narrativa numa história de amor distorcida e complicada entre Lecter e Graham, que vão ficando, ao longo do tempo, cada vez mais atraídos um pelo outro, enquanto Will começa lentamente a ficar louco. Foram várias as reviravoltas que ocorreram nas duas últimas temporadas, mas que não serão aqui reveladas para evitar spoilers para quem vai ainda ficar a conhecer a história de Hannibal Lecter através da Netflix.

O final da linha na NBC

Apesar da série ter sido originalmente construída como uma prequela dos eventos de O Silêncio dos Inocentes, Bryan Fuller teve sempre esperanças de poder incluir uma aparição da famosa agente do FBI, Clarice Starling, e fazer uma quarta temporada em que esta pudesse ser integrada. Este desejo tinha dois entraves, sendo que o primeiro foi colocado pela MGM, que mantinha os direitos sobre a personagem e nunca deu o seu aval.

hannibal
Imagem: NBCU Photo Bank/NBCUniversal

O último impedimento surgiu, de forma derradeira, em 2015. Apesar dos elogios da crítica, de contar uma narrativa única no contexto televisivo e sendo considera por muitos como uma das melhores séries de televisão de sempre, a NBC decidiu, nesse ano, colocar um ponto final na jornada de Hannibal Lecter. No comunicado emitido, na altura, pela NBC, pode se ler:

“Temos sentido um imenso orgulho de Hannibal ao longo das suas três temporadas, (…) Bryan [Fuller] e a sua equipa de argumentistas e produtores, tal como os nossos incríveis atores, trouxeram-nos uma paleta visual de narrativa inigualável em televisão – seja por transmissão ou cabo. Agradecemos à Gaumont [produtora] e a toda a gente que esteve envolvida na série pelos seus esforços incansáveis que culminaram em Hannibal, uma série de televisão que se tornou numa incrível experiência para os espectadores do mundo inteiro.”

As esperanças dadas por Bryan Fuller

A decisão foi sempre descrita como sendo um “cancelamento” da série, mas a realidade é Hannibal nunca foi produzida nem financiada pela NBC, o que significa que este anúncio do canal não implicaria o fim definitivo da série. A única consequência certa do anúncio era a de que Hannibal não seria mais transmitida na NBC.

Na verdade, a série é produzida pela divisão americana da companhia produtora francesa Gaumont Film Company e é financiada através de taxas internacionais de licença e acordos de distribuição. A NBC pagava cerca de 164 mil euros por episódio de modo a poder transmitir as temporadas de Hannibal, mas nunca teve qualquer tipo de papel na criação da série, sendo meramente uma distribuidora. Em teoria, qualquer canal de televisão ou serviço de streaming poderia, a partir daquele momento, pegar na série e dar-lhe uma nova vida,como esclareceu Bryan Fuller em entrevista à Vulture em junho de 2015, pouco depois do “cancelamento” pela NBC: “A NBC cancelou a série na NBC. Isso não nos impede de trazer a história para outro local.”

O criador confessou igualmente, na altura, que estava de olho em “algumas opções” para onde poderia levar a quarta temporada de Hannibal, de modo a chegar ao público. Uma delas era a Amazon, visto que existia já um acordo que disponibilizava as primeiras três temporadas na sua plataforma de streaming, a Amazon Prime. Portanto, em 2015, a Netflix não podia ainda ser uma escolha viável pois a série estava a ser exibida num serviço de streaming concorrente.

Em maio de 2017, Fuller confirmou à Entertainment Weekly que foi bem sucedido a transmitir os planos que tinha em relação a uma futura nova temporada tanto a Mikkelsen como a Dancy. “Estamos todos ansiosos com a perspectiva de podermos voltar à história,” disse o criador. “Existem alguns obstáculos no caminho… mas tive uma grande ideia para a quarta temporada. Há um próximo capitulo interessante na relação de Will Graham com Hannibal Lecter que seria fascinante desenvolver. Partilhei a ideia com a dupla e estão ambos interessados nisto.”

O mês de agosto, no mesmo ano de 2017, gerou um grande burburinho junto dos fãs da série pois a sua produtora, Martha De Laurentiis, publicou uma mensagem críptica: A acompanhar uma imagem em que aparece ao lado de Fuller  com um boneco da personagem principal da história podia ler-se a descrição “Encontro das mentes”.

A publicação vinha ao encontro das promessas feitas por Fuller em relação ao futuro da série. O criador tinha dito que, mesmo leiloando a série a outro canal ou distribuidora, só iria começar a desenvolver planos e entrar em conversações quanto ao futuro de Hannibal dois anos depois do último episódio ir para o ar. A razão principal para este intervalo de tempo está relacionado ao facto de 2017 marcar, após uma ansiada espera, o ano em que Fuller poderia, finalmente, incorporar elementos na série, pois é nessa data que o filme de 1991, O Silêncio dos Inocentes, perde os direitos sobre certas personagens e enredos.

Numa entrevista à Collider em junho de 2016, Bryan confidenciou estas intenções. “Agosto de 2017 é quando podemos começar a falar sobre [a quarta temporada], disse. “A partir daí é que teremos de ver quais são os direitos que existem sobre as personagens e sobre a história, ver quem está interessado e como é que o podemos fazer. Eu tenho a história, e o elenco está interessado.” Fuller continuou, explicando que “É só uma questão de encontrar o tempo certo na agenda de todos, mas eu adoraria continuar a contar a história com o Hugh Dancy e o Madds Mikkelsen. Eles são colaboradores fantásticos, e uma das relações mais satisfatórias entre ator e criador da série que alguma vez tive nesta indústria. Portanto, eu adorava continuar esta história.”

Em maio de 2019, o criador volta a dar esperanças aos #Fannibals, aproveitando para dizer no Twitter que “ninguém desistiu da série! Eu disse claramente que quero fazer [a quarta temporada], o elenco quer fazê-la e a Martha também. Apenas precisamos de um canal ou serviço de streaming que a queira fazer também. Não sinto que haja um limite temporal ou um prazo de validade para a ideia. Apenas precisamos de alguém que morda o isco”, pode ler-se no tweet publicado.

Mas, infelizmente, parece agora que a utilização da personagem de Clarice Starling foi novamente impossibilitada. A CBS está agora a trabalhar no seu próprio projeto televisivo, Clarice, que vai acompanhar a vida de Sterling após o seu encontro com Hannibal Lecter em O Silêncio dos Inocentes. Fuller confirmou, igualmente no seu Twitter, que a MGM não cedeu à sua equipa os direitos da personagem, dizendo “que tinham os seus próprios planos para a Clarice [referindo-se à nova série da CBS, paralela a Hannibal] e que não precisavam do Hannibal para contar a sua história”, clarificando que “não acredito que isto tenha um impacto sobre uma possível quarta temporada do Hannibal, dado que, na verdade, nunca tivemos direitos sobre a personagem da Clarice”, apesar deste desenvolvimento impedir a realização dos desejos de Fuller para futuras temporadas de Hannibal que, em entrevista à Collider em 2015, expressou não só a vontade de integrar Clarice Sterling na história, mas que tinha até já casting em mente:

“Se alguma vez conseguirmos contar a história de O Silêncio dos Inocentes, acho que seria muito interessante termos uma atriz negra ou não-branca a interpretar Clarice, porque por muito mais que digas que a raça não importa, a verdade é que a raça importa totalmente. A raça muda completamente o teu ponto de vista. É uma experiência diferente. Isso seria algo que faria com que a história fosse interessante ao ponto de ser novamente contada”, confidenciou Bryan acerca dos seus planos. “Espero que tenhamos esta oportunidade. Adoraria fazer Hannibal: O Silêncio dos Inocentes, ver Mads Mikkelsen como Hannibal com a Clarice Sterling. Enquanto estiver vivo, vou tentar fazer isso.” Bryan até já tinha um acordo com o ator Lee Pace para este encarnar a personagem de James Gumb/Buffalo Bill.

Como seria uma quarta temporada?

Apesar de ser o desejo de Bryan Fuller de incluir Clarice na série, a sua continuação, como esclareceu, nunca esteve dependente do seu envolvimento. Hannibal sempre esteve muito centrado na relação estabelecida entre o serial killer canibal e Will Graham, e seria assim que a série iria continuar numa possível quarta temporada. Era este o plano de Fuller desde o início como revelou em entrevista à Vulture em 2015: “A quarta temporada seria uma reinterpretação da relação do Will Graham com o Hannibal Lecter, de uma maneira completamente diferente de tudo o que fizemos anteriormente na série… é, de várias formas, uma reinvenção total da história, de uma forma emocionante”, contou na altura.

A série gira em torno da relação obscura de Will Graham e Hannibal Lecter.
Courtesy of NBC

Hugh Dancy, que interpreta Will Graham na série, tinha já dado, em 2015, indicações à Collider que iam ao encontro dos planos de Fuller para os novos episódios. “Bryan mostrou as ideias que tinha… é um plano geral que ele construiu em torno do que quer fazer com uma quarta temporada, caso haja interesse, e é mesmo fantástico.”

“É um completo reiniciar da história, mas não vou entrar em detalhes – porque quem sabe, talvez haja uma forma de podermos mostrar estas ideias no pequeno ecrã no futuro – mas iria trazer-nos de volta à primeira temporada de uma forma completamente inesperada, e fazia totalmente sentido pelo facto de a série ter acabado em aberto. Pareceu-me justificado. É um plano que nasceu de um dos livros, portanto sairia na mesma do universo, mas não é a história da Clarice/O Silêncio dos Inocentes”, rematou o ator.

Fuller disse igualmente à Vulture que a sua ideia para a quarta temporada era “criativa de uma forma aterrorizadora e também inspiradora”. Em junho de 2017, enquanto no Festival Split Screens, a mente por detrás de Hannibal aproveitou para dizer, de forma curiosa, que Christopher Nolan guardava a fórmula para a história do, até agora, nunca confirmado novo capítulo de Lecter. De acordo com Fuller, a nova temporada seria “uma fusão de A Origem com Angel Heart – Nas Portas do Inferno.”

Uma das razões pelas quais a série era adorada era o facto de a sua narrativa se tornar cada vez mais ambiciosa a cada temporada, algo que Fuller confirmou ser intencional. Aproveitou ainda o evento para confirmar que caso exista um novo capítulo, vai continuar a puxar a história para novos extremos, graças também à influência de A Origem. Não se conhecem ainda detalhes específicos sobre a possível continuação, e o mistério continua a pairar no ar, mas uma coisa é certa: se uma quarta temporada alguma vez vir a luz do dia, os fãs estarão prontos para a devorar.

Mads Mikkelsen e os desejos de uma continuação

Não foi só os fãs da série que ficaram desapontados com o cancelamento da série. Mads Mikkelsen, co-estrela da série, falou à Express UK em junho de 2016 sobre as esperanças que tinha de trazer de volta a história de Hannibal Lecter para o pequeno ecrã.

“Estávamos todos chateados. Estávamos irritados. É uma loucura”, disse o ator sobre o cancelamento. “A quarta temporada era aquela que pensávamos que estava assegurada. A segunda e a terceira temporada foram sempre uma incógnita. Nunca sabíamos se Hannibal ia ser renovada. Mas quando chegámos à quarta temporada, pensámos que estávamos seguros. Ficámos muito surpreendidos com a decisão.”

E quando questionado acerca das suas esperanças de que a série pudesse ir para outro canal ou serviço de streaming, o ator dinamarquês confessou na altura que era uma possibilidade real, apesar de depender do criador de Hannibal.

“Tudo depende do Bryan Fuller. Ele é a chave, a base, o coração,” disse Mikkelsen. “Vamos esperar para ver o que acontece a seguir na sua carreira. Mas todos sabemos que podemos facilmente pegar na história daqui a dois ou três anos, histórias têm intervalos. Podíamos pegar nela, digamos, daqui a quatro anos. Se Bryan quiser, todos nós ficaremos do seu lado.”

Em janeiro do ano passado, Mads voltou a abordar o assunto, desta vez em entrevista ao Bloody Disgustingcontinuando a mostrar-se optimista no que toca ao retorno de Hannibal. “Sim, acho que há sempre uma nova esperança. Não ouvi nada de específico. Sei que o Bryan continua a trabalhar em algumas ideias para uma nova casa para a série. Tenho uma forte sensação de que toda a gente que esteve envolvida na série iria voltar entusiasticamente, se fosse o caso.”

A chegada de Hannibal ao catálogo da Netflix

Quando a Netflix confirmou que as três temporadas de Hannibal entrariam no seu catálogo de streaming, a partir de 5 de junho deste ano, as especulações sobre a esperada quarta temporada reapareceram em força. Novamente alimentando a discussão, o próprio Mads Mikkelsen fez um post na sua página de Instagram que deixou os fãs entusiasmados.

Na fotografia, Mikkelsen segura e aponta para uma fotografia da sua personagem da série, Hannibal Lecter, e deixa a pergunta “Estará a quarta temporada de Hannibal a caminho?” E há razões para este entusiasmo, dado que a Netflix tem a reputação de ressuscitar séries de televisão que, tendo sido canceladas por outros canais, são bastante populares e com grandes comunidades de fãs. Veja-se o caso de Lucifer, a série cancelada pela Fox que foi renovada três anos depois pela Netflix para uma quarta temporada, onde se tornou mais popular que nunca. O serviço de streaming tomou a mesma decisão com outra série de comédia de culto, Arrested Development.

Apesar da Netflix ainda não se ter pronunciado em relação ao assunto, os fãs rapidamente encontraram pistas de que um anúncio da quarta temporada poderá estar no horizonte. Em primeiro lugar, porque desde que chegou à plataforma a série tem sido um sucesso, tanto junto de fãs, que aproveitaram para revê-la, como de várias pessoas que não assistiram quando estreou. Mas, em segundo lugar, os fãs dizem ter encontrado mais evidências de uma possível continuação da história, pois quando os episódios ficaram disponíveis, a Netflix teve o cuidado de resolver pequenos erros que se podiam encontrar pelos episódios. Por exemplo, as legendas previamente incorrectas foram corrigidas, as cenas foram iluminadas e as suas cores enriquecidas, tornando a experiência, em geral, mais agradável. Os Fannibals começaram então a questionar-se se a razão para estes cuidados seja por ter realmente planos para o futuro de Hannibal, envolvendo uma quarta temporada, como podemos ver em tweets como este:

Mais Artigos
Titanic foi o filme que venceu mais Óscares
Dia da Juventude: 4 filmes que marcaram os jovens de hoje