Big Brother Cláudio Ramos BB Zoom
Cláudio Ramos apresenta a quinta edição do 'Big Brother' | Fotografia: TVI / Divulgação

Junho. TVI e RTP1 recuperam terreno, mas SIC continua longe

Com o primeiro semestre de 2020 a encerrar, a TVI está a viver uma tendência de crescimento suave e gradual, mas ainda abaixo dos valores de 2019. Já a SIC, estabilizou e permanece ainda com uma grande margem na liderança, enquanto a RTP1 fica cada vez mais isolada no terceiro lugar.

TVI a subir desde março, mas continua com quedas homólogas

Já estava eminente a ameaça no final de maio, mas foi logo no primeiro domingo de junho (7) que aconteceu: a TVI recuperou a liderança diária pela margem mínima (18.3% de share face aos 18.2% da SIC), impulsionada em grande medida pelo Big Brother. Foi o suficiente para interromper uma sequência de 133 dias consecutivos com Paço de Arcos na liderança diária. É de sublinhar que, até à data, a TVI só tinha conseguido vencer dois dias em janeiro.

A estação de Queluz continuou também a consolidar a sua média mensal. O canal teve o pior registo do ano em março, com 13.3%, subindo para 13.8% em abril, 14.5% de maio e 14.6% em junho.

A média anual situa-se agora nos 14.0%. Contudo, numa comparação homóloga, o canal comandado por Nuno Santos regista uma grande queda face ao mesmo período de 2019. Na altura, a estação encerrou o primeiro semestre com 17.3%, ou seja, uma diferença de 3.3 pontos percentuais. Mesmo no mês de junho, ainda persiste uma vantagem para 2019 (14.9%) face a 2020 (14.6%).

RTP1 com recuperação mínima, a ver TVI cada vez mais longe

A RTP1 não está a ter um bom 2020. Depois de registar quedas sucessivas desde janeiro até maio, em junho apresenta uma recuperação pela margem mínima, ao subir de 11.1% para 11.2% de share.

A média anual relativa ao primeiro semestre é de 12.0%, estando cada vez mais afastada da TVI. Numa comparação homóloga, a queda é de 0.3 pontos percentuais. Apesar de esta variação não ser expressiva, a tendência nos dois semestres é inversa: se em 2019 o canal púbico cresceu ao longo dos meses, com junho a ser o seu melhor mês do primeiro semestre, em 2020 a tendência tem sido de queda e agora de estagnação.

SIC com ligeira quebra, interrompe sequência recordista de dias na liderança

Graças à liderança da TVI no dia 7, a SIC viu terminar uma sequência recordista de 133 dias consecutivos na liderança diária. Contudo, este foi o único dia que Paço de Arcos não liderou em junho, tendo voltado ao primeiro lugar nos restantes domingos do mês, naquele que é atualmente o dia mais vulnerável e imprevisível para o terceiro canal. Assim, a SIC venceu 29 dos 30 dias de junho. No total do primeiro semestre, liderou 178 de 182 dias, ou seja, 98%.

Nas contas do mês, a estação comandada por Daniel Oliveira manteve com tranquilidade o primeiro lugar na média de share, naquele que foi o 17.º mês de liderança consecutiva. Contudo, registou uma ligeira quebra dos recordistas 20.7% de maio para 20.5%, o terceiro melhor mês do ano, atrás de maio e de fevereiro (20.6%).

Com metade dos meses do ano completos, o canal situa-se agora nos 20.3% de share médio. Em termos homólogos, representa uma subida de 1.3 pontos percentuais, subindo de 19% para 20.3%. Daniel Oliveira sublinhou na sua conta de Instagram que a SIC não alcançava uma vantagem tão grande face à concorrência num determinado semestre desde 2000, enquanto que a diferença entre primeiro e segundo classificados não era tão grande desde 2008.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Cinema
Salas de cinema registam quebra de 95,6% no número de espetadores em julho