A Carrinha Mágica Elizabeth Banks
Foto: Divulgação

‘A Carrinha Mágica’ vai ter um live-action com Elizabeth Banks

A Carrinha Mágica, série de animação dos anos 90, vai ter um filme em versão live-action. Para interpretar a Sra. Frisadinha, a professora, está Elizabeth Banks. O projeto será desenvolvido pela Scholastic Entertainment em conjunto com a Brownstone Productions.

As aventuras do espetacular autocarro começaram na série de livros que Joanna Cole escreveu e Bruce Degen ilustrou. Contudo, a professora Frisadinha e os seus alunos ficaram conhecidos depois destas histórias terem sido adaptadas para desenhos animados. A série de TV esteve no ar durante 18 anos nos Estados Unidos, enquanto era transmitida em mais de 100 países do mundo inteiro. Em Portugal foi emitida pela RTP2 e pelo Canal Panda.

Também a Netflix aproveitou as peripécias desta turma para estrear uma sequela da série original A Carrinha Mágica Volta à Estrada, em 2017.

A Carrinha Mágica Volta à Estrada | Netflix

O live-action segue então a turma da professora Frisadinha nas suas visitas de estudo, dentro do autocarro amarelo que se transforma em qualquer outro veículo. Dependendo do conceito de ciência que está a ser explorado na aula, o autocarro mágico transforma-se em submarino, avião, nave espacial ou mesmo numa prancha de surf.

A primeira revelação quanto ao elenco é, obviamente, a da personagem principal. A escolha para este papel foi Elizabeth Banks, que participou recentemente em Anjos de Charlie (2019). Os responsáveis pela produção serão Banks e Max Handelman, da Brownstone, e da parte da  Scholastic Entertainment ficarão Iole Lucchese e Caitlin Friedman. 

Vê também: Os Simpsons: ‘Apu’ com futuro incerto, após ser decidido que atores brancos não darão voz a pessoas de cor

Para supervisionar esta produção está Ryan Christians, da Marc Platt Productions em conjunto com Sara Scott e Lexi Barta, da Universal Pictures.

Mais Artigos
Christopher Nolan e Anne Hathaway em filmagens para The Dark Knight Rises
Christopher Nolan não permite cadeiras nos sets: “sentados não estão a trabalhar”