Amália

Amália Rodrigues. Celebração do centenário começa agora e dura um ano

O programa que comemora os 100 anos do nascimento de Amália Rodrigues foi anunciado esta sexta-feira pela ministra da Cultura, e inicia-se a 1 de julho. As celebrações estendem-se até ao próximo ano e vão contar com concertos, exposições, videomapping e a reabertura das casas de fado.

O primeiro dia de celebrações do centenário de Amália acontece nos Paços do Concelho de Lisboa, e conta com um tributo ao legado da fadista, com 100 guitarristas de várias gerações. De modo a que todos os portugueses possam acompanhar o concerto, este será transmitido a partir das redes sociais da Câmara Municipal de Lisboa, da Empresa municipal de Gestão dos Equipamentos e Animação Cultural (EGEAC) e do Museu do Fado.

O concerto será também exibido, a 4 de julho, na RTP1. O canal público vem já homenageando Amália Rodrigues, desde abril, com o programa Em Casa d’Amália.

“Amália é um dos nossos grandes nomes universais. O nosso papel é homenagear esse património, tratar e preservar o legado que nos deixou, divulgá-lo e preservá-lo para as futuras gerações, projetar de uma forma absolutamente global o que é a vida e a voz dela”, referiu a ministra, Graça Fonseca.

Outro concerto que se concretiza em streaming, através das redes sociais da Câmara de Lisboa, será no dia de aniversário da fadista, a 23 de julho. Camané e Mário Laginha juntam-se no Museu do Fado para revisitar alguns dos temas mais emblemáticos de Amália Rodrigues e Alain Oulman.

De 3 a 12 de setembro acontece também a Festa do Fado, assinalando assim a reabertura das casas de fado, encerradas devido à pandemia da Covid-19. Segundo a organização, a iniciativa organizada pela Câmara de Lisboa em parceria com a Associação das Casas de Fado (ACF), prevê a atuação de mais de 100 artistas em sessões gravadas e transmitidas em streaming.

“O programa teve de ser todo adaptado, mas não podíamos deixar de assinalar este momento”, afirmou Fernando Medina. “Temos um vasto conjunto de eventos e reservamos ainda para 2021 a expectativa de já os poder realizar de outra forma.”.

As celebrações do centenário de Amália irão continuar com o concerto No Tempo das Cerejas, com direção artística de Luís Varatojo e arranjos musicais de Pedro Moreira, Filipe Raposo e Mário Laginha. O concerto, que será transmitido pela RTP a 30 de julho, realiza-se no Castelo de S. Jorge.

No Tempo das Cerejas conta ainda com a participação de vários fadistas como Ricardo Ribeiro, Camané e Ana Moura, acompanhados pela Orquestra Metropolitana de Lisboa, sob a direção do maestro Rui Pinheiro.

A programação celebrativa continua com o musical 100 Amália, com encenação, dramaturgia e acompanhamento musical do grupo Músicas e Musicais do Agrupamento de Escolas Nuno Gonçalves. 100 Amália pretende responder à questão: “Como sentem e vivem o legado de Amália as gerações mais jovens, que nasceram em pleno século XXI?”.

Também no dia 6 de outubro, quando passam dez anos sobre a morte da fadista, será transmitido, a partir da Casa de Amália Rodrigues, um concerto com Sara Correia, Fábia Rebordão e Cuca Roseta. O musicólogo Rui Vieira Nery fará também uma introdução histórica.

O programa conclui-se em 2021 com três exposições comissariadas por José Manuel dos Santos e Frederico Santiago. A primeira, dia 21 de março, decorrerá no Museu do Fado, com a exposição Amália Fado e a segunda, quatro dias depois, será no Museu Nacional do Teatro e da Dança e intitula-se Amália Palco.

O centenário será ainda celebrado a nível internacional com os vários festivais de fado realizados além-fronteiras, patrocinados pela Câmara de Lisboa. Estes festivais, além dos espetáculos dos fadistas incluem conferências, exposições e projeção de filmes.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Pedro Almodóvar
Pedro Almodóvar prepara novo filme entitulado ‘Madres Paralelas’