Rick and Morty

‘Rick and Morty’ 4: Terapia para uma crise de identidade

quarta temporada de Rick and Morty foi a primeira vez em que a série se dividiu em dois. Cinco episódios estrearam entre 10 de novembro e 15 de dezembro, os outros cinco estrearam entre 3 e 31 de maio. É também a primeira temporada dos 70 novos episódios prometidos pela Adult Swim.

Depois de intervalos longos e incertos, os criadores Dan HarmonJustin Roiland estão comprometidos a tornar a produção de temporadas mais consistente. Parece que o período de brincadeira descomprometida de Rick and Morty terminou e agora a série e os seus artistas percebem que são uma marca global — o que leva a uma maior exigência dos fãs e dos críticos.

A primeira temporada serviu de grande entrada em cena, uma fórmula inovadora de sitcom animada, a nova versão dos The Simpsons. O segundo conjunto de episódios foi a aclamação crítica, a prova de que, quando quer, Rick and Morty é capaz de alguns dos melhores minutos televisivos do ano. O terceiro ano da série foi o pico da popularidade, memes sobre coisas tão banais como um molho de McDonald’s descontinuado ou um pickle, o auge da antecipação e das teorias dos fãs para o futuro das suas personagens favoritas.

E agora? Agora, Rick and Morty é um nome estabelecido, o maior e mais lucrativo da Adult Swim, e tem uma encomenda inédita de 70 episódios. Por isto, é nítido que os dez capítulos que compõem esta quarta temporada são uma espécie de terapia para os criadores. Cada um destes 23 minutos é uma crise de identidade que a série tenta ultrapassar gradualmente. Um pouco como as personagens do seu título.

Metacomentário

Rick and Morty nunca teve muito medo de reconhecer que é uma série de televisão e brincar com essa realidade. Rick Sanchez Morty Smith são os principais reincidentes. Mesmo assim, a quarta temporada atinge um novo nível de metacomentário.

Em muitos episódios, reitera-se a intenção de criar uma “aventura clássica” ou “não se levar muito a sério”. As frases só têm um interlocutor: a base de fãs que se divide entre quem quer coisas parvas que não se levem muito a sério, ou reflexões existenciais com um boa dose de melodrama. É um equilíbrio complicado de exigências díspares que a própria série está a aprender a gerir.

O maior infrator do metacomentário é o sexto episódio, intitulado Never Ricking Morty. Uma viagem num comboio narrativo que goza com a estrutura narrativa predileta de Dan Harmon, goza com episódios de segmentos antológicos e apresenta a fantasia de uma gloriosa batalha final entre os protagonistas e os seus arqui-inimigos antes de a dissipar por completo.

É o episódio que melhor representa a sua própria temporada. Uma mixórdia de acontecimentos com ramificações nos eventos narrativos ou no psicológico das personagens (The Old Man and the SeatThe Vat of Acid EpisodeStar Mort Rickturn of the Jerri) e aventuras sem sentido e pouco ou mesmo nenhum significado moral (Rattlestar Ricklactica Promortyus).

Rick and Morty
D.R/Adult Swim

Altos e baixos

De certa forma, as duas realidades episódicas sempre existiram em Rick and Morty, mas esta é a primeira vez que se nota alguma ansiedade criativa. O estatuto da série e as expetativas dos fãs claramente provocaram reflexões complexas aos escritores sobre que rumo dar à sua criação.

É a tal crise de identidade que acaba por fazer da quarta temporada a mais inconsistente de todas. Há altos fenomenais, tanto no que toca à comédia, ao comentário político e social e à animação. Uma montagem de cinco minutos sem diálogo é genial e entra facilmente nos melhores momentos de Rick and Morty. Dois minutos de cobras a falarem entre si é o momento mais cómico da temporada. Por outro lado, há episódios que vão ser rapidamente esquecidos no conjunto global da série, porque não acrescentam nada de novo e limitam-se a cumprir o mínimo dos padrões de qualidade esperados.

Curioso esta intermitência ser um bom paralelo do que se passa com as personagens. Rick perde força na dinâmica familiar há duas temporadas seguidas, as suas aventuras já não são únicas e maravilhosas, por muito que tente. Morty, o ponto de vista do espetador, já não se ilude mais com o seu avô e está cada vez mais afastado dele. Alterações sérias têm de acontecer ou Rick pode muito bem ficar sozinho permanentemente. Sem ninguém a querer saber de si.

O derradeiro episódio da quarta temporada, Star Mort Rickturn of the Jerri, deixa uma renovada esperança que afinal pode haver consequências. Afinal, vale a pena estarmos investidos emocionalmente nestas personagens, porque os criadores ainda se preocupam com a sua evolução. É a peça final para que esta temporada tenha algum propósito e a balança não fique totalmente desequilibrada.

Rick and Morty
D.R/Adult Swim

Rick and Morty deixa-nos com a sensação de ter terminado uma fase de transição. Os fãs sabem agora que os criadores não vão ignorar o desenvolvimento das suas personagens favoritas. Os criadores admitem abertamente aos fãs que às vezes só querem mandar algumas piadas parvas sem muito significado para além do subversivo. Um compromisso identitário para apaziguar expetativas.

Faltam 60 episódios. Não se sabe se depois haverá mais. Nem todos vão acrescentar grande coisa. Alguns vão deixar os fãs de rastos. Outros só os vão fazer rir. E alguns não vão correr bem. É a promessa honesta desta quarta temporada.

Rick and Morty
Rick and Morty: Temporada 4
7.5
Mais Artigos
Gambito de Dama
‘Gambito de Dama’ bate recordes e reacende popularidade do xadrez