Angelina Jolie. 45 anos da atriz, mãe e ativista humanitária

Celebramos o aniversário de uma das maiores estrelas do cinema

Há 45 anos, no dia 4 de junho de 1975, em Los Angeles, nascia Angelina Jolie Voight, uma das mais talentosas atrizes de Hollywood. Com uma filmografia que conta com meia centena de filmes, seja como atriz ou cineasta, Angelina começou a conquistar o público com apenas 11 anos e não parou até hoje.

Fruto da relação entre Jon Voight e Marcheline Bertrand, dois atores bem sucedidos na área, o casal separou-se antes da filha completar dois anos de idade, o que levou a que Angelina se mudasse para Nova Iorque com a mãe e o irmão. Apesar do divórcio dos pais, a atriz relembra a sua infância como um tempo feliz.

Desde cedo que a pequena Angelina fez transparecer os seus gostos mais peculiares. Grande apreciadora de Star Trek e particularmente fã de Spock, também o seu gosto por animais exóticos se destacava. Chegou a ter uma cobra e lagarto de estimação chamados Harry Dean Stanton e Vladimir, respetivamente.

Apesar das dificuldades económicas, Marcheline fazia questão de levar os filhos ao cinema o maior número de vezes que conseguisse e foi devido a esse convívio familiar que nasceu em Angelina a vontade de ser atriz. Assim, aos 11 anos, mudou-se novamente para Los Angeles e inscreveu-se nas aulas de teatro do prestigiado Lee Strasberg Theatre Institute.

Durante o ensino secundário tentou trabalhar como modelo mas foi recusada por ser muito baixa, magra e por ter cicatrizes. Estas rejeições, somadas com o bullying que sofria, levou a efeitos desastrosos na sua auto-estima e fê-la desistir da escola aos 14 anos.

Aos 16 anos, Angelina recompôs-se e decidiu retomar a sua ambição de se tornar atriz. Depois de se mudar para um apartamento perto da mãe, foi fazendo pequenos trabalhos na área da representação e, aos 18 anos, estreou-se no cinema com o papel de Casella ‘Cash’ Reese em Cyborg 2.

Angelina Jolie
Angelina Jolie com 19 anos (Reprodução/D.R)

A sua personagem tornou-se num sucesso tão grande que, pouco tempo depois, recebeu um papel em Hackers, o thriller de ficção científica que lhe permitiu contracenar com Johnny Lee Miller. Para além da cumplicidade no trabalho, os dois atores levaram a relação mais longe e anunciaram o noivado à imprensa em 1996.

A imprensa cor-de-rosa nunca levou o casamento entre Angelina e Johnny a sério, alegando que a atriz apenas casou para alcançar estabilidade profissional.

Em 1997, naquele que foi um dos maiores desafios da sua carreira até então, recebeu o Globo de Ouro de Melhor Performance com a biografia Gia, um filme sobre a vida de Gia Carangi, uma modelo lésbica que morreu vítima da SIDA na década de 70.

A carga emocional que esta personagem trouxe a Angelina provocou uma enorme pressão no seu casamento. Quando se divorciou de Johnny, em 1999, Angelina tornou públicos todos os detalhes desta relação conturbada, o que ajudou significativamente a sua carreira. Novas propostas surgiram e Hollywood começou a reconhecer as capacidades da atriz.

No mesmo ano, Angelina ganhou o seu segundo Globo de Ouro com Girl, Interrupted, o filme que conta a jornada de uma adolescente que é enviada para um hospital psiquiátrico. A contracenar com Winona Ryder, a produção controversa valeu-lhe ainda o Óscar de Melhor Atriz Secundária.

Angelina Jolie
Angelina Jolie com o Óscar de Melhor Atriz Secundária em 2000 (D.R)

A partir desta altura, as suas conquistas eram sublimes e a prova foi o sucesso pelo qual muitos conhecem Angelina Jolie: Tomb Raider. Provavelmente o papel mais desafiante até ao momento, a atriz viu-se confrontada com a necessidade de dominar modalidades como kick-boxing, luta de rua, ioga, ballet ou corridas de carro.

Lara Croft tinha como desafio derrotar os Illuminati, que tentavam usar um instrumento para controlar o Tempo, uma história que marcou a evolução da atriz em Hollywood. Um facto curioso é que, em Tomb Rider, o seu pai verdadeiro, Jon Voight, desempenhou também o papel de pai na ficção e contracenou com a filha.

Ao atingir o auge da sua carreira profissional e depois de ter estado no Camboja durante as gravações de Tomb Raider, Angelina decidiu dar voz a outras causas e explorar os seus interesses humanitários, envolvendo-se em campanhas solidárias para as pessoas de países em desenvolvimento.

A atriz voltou ao país asiático em 2001 e adotou Maddox, o seu primeiro filho. Nomeada depois embaixadora da boa vontade nos Estados Unidos, a atriz levou o seu papel muito a sério e reservou algum do seu tempo pessoal para visitar vários países africanos e asiáticos.

Depois de dar cara a uma campanha pela paz no Sri Lanka, focou-se em ajudar refugiados e doou 5 milhões de euros para a vida selvagem no Camboja. Até 2002, conciliou a sua dedicação às Nações Unidas com a carreira e continuou a aceitar projetos.

Após o sucesso da sequela de Tomb Raider, foi em Beyond Borders que interpretou a filha de um empresário que conhece um médico visionário e viaja com ele para África, na altura devastada pela guerra. Com o objetivo de salvar o maior número de vidas possível, esta personagem quase imitou a realidade de Angelina.

En 2003, escreveu o livro Notes from My Travels, onde documentou toda a experiência de viver e trabalhar em países em desenvolvimento e a sua visão sobre a violência e miséria extrema.

Angelina Jolie
A atriz numa das suas viagens humanitárias (D.R)

Em 2005 recebeu o papel principal em Mr and Mrs Smith, ao lado de Brad Pitt. Juntos interpretavam um casal de assassinos secretos que foram contratados para se matar um ao outro. Mais uma vez, Angelina levou o romance para fora do ecrã e iniciou uma relação com Brad Pitt.

Ainda em 2005, a atriz viajou até ao Paquistão após o terremoto Kashmir e, juntamente com Brad, adotou Zaharah Marley, uma menina etíope. Em maio de 2006, Angelina deu à luz o seu primeiro filho biológico, Shiloh Nouvel, que nasceu enquanto o casal estava na Namíbia.

Em Brad Pitt, Angelina encontrou um parceiro com quem podia partilhar os seus objetivos e ideais humanitárias, bem como o seu sucesso em Hollywood.

Em 2007, participou na realização do documentário A Place in Time, que regista como é a vida em 27 locais do mundo durante uma única semana. No mesmo ano, adotou Pax Thien, uma criança de 3 anos do Vietname, aumentando para seis o número de membros da família.

Em 2008, o casal anunciou estar novamente à espera de bebé, desta vez gémeos, Knox Leon e Vivienne Marcheline, que nasceram por cesariana no mesmo ano.

Angelina Jolie
Angelina Jolie com os seis filhos (D.R)

Depois das críticas negativas que recebeu com o filme Changeling, foi com The Tourist que renasceu das cinzas e se viu nomeada, mais uma vez, ao Globo de Ouro de Melhor Atriz. Após o seu casamento com Brad Pitt, em 2014, Angelina protagonizou Maleficent, realizou Unbroken e ainda By the Sea.

LÊ TAMBÉM Angelina Jolie e criador de Sicario juntos para novo thriller

Depois de descobrir que tinha o gene BRCA1 que lhe dava mais de 80% de probabilidade de desenvolver cancro da mama, Angelina fez uma mastectomia dupla como medida preventiva e passou por vários tratamentos para diminuir o risco de desenvolver a doença.

Devido ao historial na família (a sua mãe e avó faleceram de cancro do colo do útero), em 2015 removeu os ovários, outra cirurgia preventiva que a levou a entrar na menopausa.

Elogiada por falar abertamente sobre sua experiência, foi ao The New York Times que revelou a sua vontade de ajudar outras mulheres com a sua história: “espero que outras mulheres possam se beneficiar da minha experiência. O cancro ainda é uma palavra que causa medo no coração das pessoas, produzindo uma sensação de impotência mas hoje é mais fácil descobrir a doença e agir imediatamente”.

Com altos e baixos ao longo dos anos, a vida de Angelina Jolie pode não ter sido sempre um mar de rosas, mas foi a constante luta e perseverança da atriz que a trouxeram ao lugar onde está hoje: no coração do mundo.

Mais Artigos
RHCP
Red Hot Chili Peppers confirmados no NOS Alive 2021