Liga da Justiça
Warner Bros

‘Liga da Justiça’: Versão de Zack Snyder do filme vai ser lançada na HBO Max

A versão alternativa do filme da DC lançado em 2017 chega à plataforma de streaming em 2021.

Vai mesmo acontecer. Num desenrolar inesperado dos acontecimentos, a versão de Zack Snyder de Liga da Justiça, o famoso Snyder Cut, vai finalmente ver a luz do dia em 2021 na HBO Max. Snyder contou, esta quarta-feira (20), a novidade aos fãs, no fim de uma sessão online de perguntas e respostas, seguida da visualização do filme Homem de Aço, juntamente com a sua mulher e produtora, Deborah Snyder, e Henry Cavill, que encarnou a pele de Super-Homem em ambos os filmes.

“Quero agradecer à HBO Max e à Warner Brothers por este gesto corajoso de apoiar os artistas e permitir que as suas verdadeiras visões sejam realizadas. Quero também fazer um agradecimento especial a todos aqueles envolvidos no movimento Snyder Cut e por fazerem disto uma realidade.”, disse Snyder num comunicado, após ter confirmado os rumores que circularam durante anos.

 

O presidente da Warner Media Entertainment, Robert Greenblatt, partilhou também um comunicado, onde revela que os planos para lançar a versão de Snyder de Liga da Justiça já estavam postos em cima da mesa há muito tempo. “Desde que cheguei aqui há catorze meses atrás, o lema #ReleaseTheSnyderCut tem sido um assunto diário nos nossos escritórios e caixas de mensagens. Bem, os fãs pediram, e estamos contentes por finalmente satisfazê-los. No fim do dia, tudo isto é sobre eles [os fãs], e estamos para lá de ansiosos para lançar a visão que o Zack tinha para este filme, em 2021. Isto nunca poderia ter acontecido se não tivesse existido um trabalho árduo e esforços combinados por parte da HBO Max e da Warner Bros. Pictures.”

Como será a nova versão?

De acordo com Zack Snyder, que falou com o The Hollywood Reporter, antes da grande novidade ter sido confirmada por ele próprio, o principal motor desta decisão foi o apoio apaixonado dos fãs e do elenco do filme. O realizador revelou que, em novembro do ano passado, na manhã a seguir a Ben Affleck e Gal Gadot terem incentivado ao uso global da hashtag #ReleaseTheSnyderCut, o presidente da Warner Bros. ligou-lhe para discutirem o processo de tornar o projecto numa realidade.

“Vai ser uma coisa completamente nova, e falando especialmente para aqueles que viram a versão do filme lançado nos cinemas, uma experiência nova à parte desse filme”, revelou Snyder na entrevista. Esta sua afirmação é desde logo comprovável: enquanto que a versão de Liga da Justiça que estreou nos cinemas em 2017 tinha a duração de 120 minutos incluindo os créditos, o Snyder Cut tem a duração de pelo menos quatro horas, de acordo com o The Hollywood Reporter.

Está até a ser colocada a hipótese de a nova versão chegar à HBO Max dividida em seis episódios individuais, facilitando assim a sua visualização, ao invés da edição original de quatro horas. Apesar de tudo, ainda não existe qualquer data confirmada para o lançamento do Snyder Cut na HBO Max, sabe-se apenas que será em 2021.

Embora ninguém do lado da produção tenha confirmado o valor, correm rumores de que a concretização da visão de Zack Snyder vá custar, pelo menos, 28 milhões de euros. Acrescentando a este valor, para além de ter de acabar os efeitos visuais da sua versão de Liga da Justiça, o realizador deverá querer trazer de volta parte do elenco para gravar novos diálogos.

Era esperado que Liga da Justiça, um filme em que a equipa de super-heróis da DC, composta por Batman (Ben Affleck), Super-Homem (Henry Cavill), Wonder Woman (Gal Gadot), Aquaman (Jason Mamoa), Flash (Ezra Miller) e Cyborg (Ray Fisher), partilha o grande ecrã pela primeira vez, alcançasse o mesmo tipo de sucesso para a Warner Bros,  que a Marvel conseguiu ter com Os Vingadores. O plano era o filme conseguir consolidar o universo partilhado de super-heróis da DC Comics, com histórias interligadas. Porém, os resultados do filme foram um descalabro, tanto a nível financeiro, como em termos de recepção por parte dos fãs e críticos. Snyder teve que se afastar das gravações de Liga da Justiça, a meio do processo, devido a uma tragédia pessoal, e Joss Whedon assumiu o cargo para se encarregar das refilmagens e fase de pós-produção.

Na versão que chegou aos cinemas, era possível diferenciar o que tinha sido feito por Zack Snyder do material acrescentado por Whedon, contribuindo para um tom inconsistente da história. O resultado foi negativo para a Warner Bros.: com um orçamento estimado em 273 milhões de euros, o filme apenas conseguiu arrecadar cerca de 591 milhões de euros globalmente, tendo sido considerado um fracasso em termos de bilheteira, estando muito longe da fasquia de um bilião de dólares, colocada pela trilogia de O Cavaleiro das Trevas, de Christopher Nolan. Do lado dos críticos, a reação também não foi a melhor, tendo o filme alcançado apenas a marca dos 40% no conhecido site de críticas de filme norte-americano, o Rotten Tomatoes.

Os rumores que invadiram a internet davam conta de que a visão de Snyder para Liga da Justiça era melhor e mais negra, antes de este ter abandonado o projeto. Após um lançamento conturbado e ofuscado por inúmeros problemas, os fãs devotos de Snyder começaram a proclamar o lançamento da visão original do realizador do filme, criando até uma hashtag que ficou viral ao longo dos anos, #ReleaseTheSnyderCut (#LancemaversãodeSnyder, traduzido para português), que chegou até a ser utilizada por vários membros do elenco do filme.

Em novembro, ao lado dos fãs na utilização desta hashtag, estiveram Ben Affleck e Gal Gadot e mais recentemente Jason Momoa, num vídeo partilhado nas redes sociais, em que pedia: “Lancem a merda do Snyder Cut.”.

“Pedimos à Warner Bros., neste abaixo assinado,  que lance a versão original de Zack Snyder do filme Liga da Justiça,”, escreveu um grupo de fãs numa petição, do site Change.org, que chegou a ter 175.000 assinaturas antes de ser cancelada. “Pedimos isto com o maior respeito, nem queremos pôr em perigo o lucro que o filme gerou, ou a reputação daqueles que trabalharam arduamente para dar aos fãs da DC um filme pelo qual muitos esperaram durante décadas. Por favor, não olhem para isto como uma crítica de cinema, não somos críticos de filmes, nem temos qualquer tipo de interesse em influenciar a direção criativa do estúdio, somos apenas fãs dos filmes da DC e queremos apenas apreciar todos os filmes do universo da DC. Simplesmente, e para nossa tristeza, o filme lançado não era o que estávamos à espera.”, pode ler-se também na petição.

O que é afinal o Snyder Cut?

Quando Liga da Justiça foi lançado a 17 de novembro de 2017, Zack Snyder era o único realizador citado nos créditos, mas apenas em nome. Seis meses antes da estreia, Snyder teve que abandonar a produção do filme da DC Comics devido à morte da sua filha, Autumn. O seu lugar foi ocupado por Joss Whedon, diretor responsável pelo monstruoso sucesso Os Vingadores, o primeiro filme que reuniu os super-heróis da Marvel no mesmo ecrã, e pela sua sequela, Os Vingadores: A Era de Ultron.

Whedon ficou encarregue de acabar o filme durante a fase de pós-produção e de liderar quaisquer regravações que fossem necessárias. “Quero que o filme seja maravilhoso, e eu sou um fã, mas tudo isto cai facilmente na lista das minhas prioridades em comparação, [com a morte da filha]”, disse Snyder, na altura ao The Hollywood Reporter, explicando a sua decisão de abandonar o filme para estar mais tempo com a sua família. “Eu sei que os fãs vão ficar preocupados com o filme, mas há sete miúdos que precisam de mim. No fim, é apenas um filme. Um grande filme. Mas apenas um filme.”, concluiu, dando conta que precisava de dar apoio aos seus filhos.

AT&T agora é dona do Batman

Apesar da confiança exibida por Snyder em relação ao filme, a versão de Liga da Justiça que chegou aos cinemas pareceu estar em guerra com ela própria. Whedon, que terá, segundo rumores, refeito cerca de 20% do filme, é conhecido pelas suas histórias mais leves e carregadas de humor, como se viu nos filmes de Os Vingadores. Do lado contrário, Snyder tem na sua imagem de marca o tom ultra-sério que põe em histórias tradicionais de blockbuster, com arcos dramáticos bastante pesados. As visões, sendo bastante distintas, não conseguiram misturar-se harmoniosamente.

Uma cena do filme lançado para o grande ecrã, que evidencia bem esta análise, é aquela em que há uma perseguição de Batman ao criminoso interpretado por Holt McCallany, em cima de um telhado, no inicio do filme. “A minha cena com o Batman estava originalmente construida para ser um momento de comédia. Foi assim que o Joss Whedon a escreveu, e foi assim que a gravámos.”, contou McCallany ao Men’s Journal em 2017. “Pensei que tinha dado uma boa cena, mas o estúdio sentiu que ia ser um erro começar o filme com uma cena de humor, portanto acabou por ser reeditada.” 

Mais Artigos
Veneno
‘Veneno’. Série da HBO narra a história da maior estrela LGBTQ+ espanhola