Catelyn Stark, Game of Thrones

Dia da Mãe. As mães mais destemidas do Cinema e da TV

Fortes, carinhosas e sem medo de destruir quem ameace os seus filhos. Podemos dizer que qualquer mãe tem um bocadinho de infalível em si. Neste Dia da Mãe, celebrado num clima de maior instabilidade e, para alguns, à distância, recordamos algumas das mães mais destemidas que conhecemos nos filmes ou nas séries.

O papel de mãe pode ser visto muitas vezes no cinema e na televisão de forma pouco convencional. No entanto, tal como as mães reais, também as fictícias são exemplares e relembram laços importantes. A seleção feita pelo Espalha-Factos serve para o comprovar.

Ryan Stone, Gravidade

Sandra Bullock em Gravidade_Dia da Mãe
Sandra Bullock é Ryan em ‘Gravidade’ (2013).

Em processo de luto pela filha, Ryan Stone (Sandra Bullock) embarca na nave espacial Explorer, como especialista de missão. No entanto, o impacto de um satélite abatido com um míssil pela Rússia provoca uma nuvem de detritos espaciais que viajam em alta velocidade em direção à nave. Ryan vê-se sozinha numa cápsula à deriva no espaço, onde se debate entre a ideia de lutar para voltar à Terra ou desistir e juntar-se à filha.

Malorie Hayes, Bird Box

Mais uma vez, Sandra Bullock interpreta uma mãe de armas. Num mundo pós-apocalíptico, Malorie tenta escapar com os filhos de criaturas que, ao serem vistas, fazem com que as pessoas se tornem extremamente violentas e acabem por se suicidar. De olhos vendados, segue o curso de um rio, para chegar a um refúgio.

Donna Sheridan, Mamma Mia

mamma mia_Dia da Mãe
Meryl Streep é Donna em ‘Mamma Mia’ (2008).

Donna Sheridan (Meryl Streep) é um espírito livre e generoso, mas uma mulher sobrecarregada com todas as responsabilidades que a gestão do seu hotel implica. Depois de ter sido rejeitada pela própria mãe quando descobriu que estava grávida de Sophie (Amanda Seyfried), Donna viu-se obrigada a educar uma criança sozinha e tornou-se numa mãe solteira que conta apenas com as duas melhores amigas como apoio emocional. Contra todos desafios, Donna é uma forte figura maternal que coloca a filha acima de tudo e reconhece a importância de a amar incondicionalmente.

Maria von Trapp, Música no Coração

Chegou o momento das super madrastas. Maria é o exemplo do altruísmo e da inocência em pessoa. Chegou à casa dos von Trapp sem saber o que a esperava e, através do seu bom humor e da música, conseguiu transformar sete crianças que mais pareciam zombies telecomandados em jovens alegres e bem comportados. Não é fácil passar de freira para mãe de sete crianças de um momento para o outro, muito menos em plena Segunda Guerra Mundial. Mas em Música no Coração, Maria von Trapp provou que é possível fazê-lo a cantar.

Molly Weasley, Harry Potter

Julie Walters em Harry Potter_Dia da Mãe
Julie Walters é Molly em ‘Harry Potter’.

É difícil perceber o momento exato em que Molly Weasley (Julie Walters) deixou de ser simplesmente a “mãe de Ron”, para ser adorada por todos. A verdade é que, apesar da gritaria com os filhos, tudo o que Molly faz é para o seu bem-estar. Além disso, já com um acentuado número de filhos diretos, acaba por, de certa forma, adotar Harry como também seu próprio filho. Entre a derrota de Bellatrix e simples abraços de deixar o espectador perto das lágrimas, Molly é sem dúvida uma das mães mais corajosas do mundo fantástico.

Fantine, Os Miseráveis

É verdade que passa a maior parte do tempo fora do ecrã, mas Fantine (Anne Hathway) é sem dúvida uma das mães mais destemidas do cinema, com marco no género musical. A personagem enfrenta uma grande luta pela filha, Cosette. É obrigada a deixá-la ao cuidado do casal Thénardier enquanto vai trabalhar para uma fábrica no interior. Descoberto o seu segredo, rapidamente é despedida e deixada à mercê das ruas noturnas de França. Sempre com o bem-estar da filha no pensamento, acaba por vender o cabelo, os dentes, e até por se prostituir, de modo a poder pagar ao casal que lhe cobra cada vez mais.

Maléfica, Maléfica

“Well, well, well”, quem diria que uma vilã não podia ser uma das mães mais destemidas do cinema. O filme da Disney estreou-se em 2014 para romper com a história antes conhecida sobre a Bela Adormecida. Na verdade, apesar de parecer uma grande antagonista inicialmente, Maléfica (Angelina Jolie) prova ser uma das mais valentes mães do universo Disney, o que ainda se acentua em Maléfica 2 (2019). A personagem não deixa que a sua reputação passe despercebida e aproveita-se dela para proteger Aurora de qualquer coisa.

Bobi Jewell, O Caso de Richard Jewell

Kathy Bates em O Caso de Richard Jewell_Dia da Mãe
Kathy Bates é Bobi, em ‘O Caso de Richard Jewell’ (2019).

A mãe chorosa do segurança acusado de plantar uma bomba no Central Park pode até não parecer assim tão destemida. Na verdade, Bobi Jewell (Kathy Bates) aparenta ser, durante a maior parte do filme, uma mulher demasiado frágil para ajudar o filho. No entanto, é ela quem o salva, no final. O seu ato de heroísmo, que a faz conquistar o público, surge numa breve conferência de imprensa, para o qual é treinada antes. A mulher, a sofrer também ela da invasão de privacidade e com medo de perder o filho, enfrenta dezenas de jornalistas e acusações para deixar bem clara a inocência do segurança.

Marmee March, Mulherzinhas

Marmee March (Laura Dern)  tem o complicado papel de ter de lidar com quatro filhas num contexto de pobreza e com o pai a participar na guerra civil americana. É comovente ver a forma como Marmee consegue incutir bons valores nas filhas, como na cena em que dão a única refeição que possuem no dia de Natal a uma família ainda mais carenciada que a delas. Ela é quem proporciona o conforto geral quando uma das filhas morre vítima de doença. É um exemplo de compaixão e disponibilidade em momentos que podiam ser facilmente de fraqueza emocional dentro do seio familiar.

Tess Coleman, Freaky Friday

Tess (Jamie Lee Curtis) e a sua filha Anna (Lindsay Lohan) vivem em mundos totalmente opostos. A azáfama do quotidiano constitui um entrave à comunicação, ao ponto de desvalorizarem os problemas uma da outra. Se ao menos pudessem trocar de vida, seria tudo muito mais fácil. Ou assim pensavam. Quando tal desejo se concretiza, a dupla embarca numa aventura que leva à letra a premissa de colocar-se no lugar do outro. Tess passa a compreender Anna melhor que nunca, ajudando-a a resolver os contratempos diários. No fundo, a mãe sempre quis o melhor para a adolescente, embora não soubesse como expressá-lo. Com muita comédia, o filme honra os altos e baixos de qualquer relação entre mãe e filha.

Lady Stark, Game Of Thrones 

Catelyn Stark, Game of Thrones
Michelle Fairley é Catelyn Stark em ‘Game of Thrones’

Uma mãe dedicada e que nunca abandona os filhos, mesmo quando tudo à sua volta desaba. Desde passar o tempo à cabeceira da cama de Bran quando este adoece, passando por várias batalhas para salvar as filhas logo após perder o marido, a ficar ao lado de Robb enquanto rei do Norte até ao final. A personagem interpretada por Michelle Fairley dedicou toda a sua vida aos filhos, mesmo no último momento.

Catherine de Medici, Reign

Mais uma mãe para quem matar é justificável em prol da segurança e do futuro dos filhos. Desde o início da série, a influente Catherine de Medici já tentou matar Mary Stuart por ser, de acordo com uma premonição, a causa da morte do seu primogénito; Diane de Poitiers, por causar a morte das suas filhas gémeas recém-nascidas; e mesmo o filho do influente Lorde Narcisse, para evitar o seu casamento com a filha Claude. Ao contrário do que aparenta, a complexa personagem interpretada por Megan Follows fez tudo (ou quase tudo) pelos e filhos e não para benefício próprio.

Abby Griffin, The 100

É Paige Turco quem, desde o primeiro episódio da série, assume o papel de Abby Griffin. Protagonista ao longo de seis temporadas, Abby é a mãe da personagem principal, Clarke. Ainda assim, devido à sua bondade, acaba por ser mãe dos restantes elementos do grupo dos 100. Já para não falar de que, numa emergência médica, é Abby quem socorre. A sua força, o seu caráter e os seus instintos maternais criam muitas vezes dilemas entre o que é certo ou errado. Não obstante, merece destaque neste artigo pela sua coragem na série.

Zelena, Once Upon a Time

Rebecca Madder em Once Upon a Time
Rebecca Mader é Zelena em ‘Once Upon a Time’

Uma mãe saída diretamente dos contos de fadas. Apesar de passar metade do tempo de antena verde e de ser a Bruxa Má do Oeste, Zelena, interpretada por Rebecca Madder, faz tudo pela filha, mesmo que isso inclua tornar-se um sacrifício num ritual. Uma mãe completamente badass, pois não é qualquer um que se despede da filha bebé dizendo “a mãe não vai demorar muito, só tem de ir arrancar as asas de uma fada grande e má”.

Rebecca Pearson, This Is Us

Rebecca pode ser uma comum mortal, sem qualquer poder ou ligação à ficção científica, mas é uma super-mãe. Os seus três filhos (dois biológicos e um adotivo) comprovam-no. Com a ajuda do marido, Jack, providenciou uma educação exemplar ao longo do crescimento das crianças. Anos depois, continua presente na vida de cada um. Os desafios com que teve (e tem) de se deparar evidenciam a garra que a caracteriza. As decisões que toma fazem-na passar rapidamente de melhor mãe a má da fita, mas quem somos nós para julgar? O papel de mãe assenta em Mandy Moore que nem uma luva. 

Jean Milburn, Sex Education

Gillian Anderson enquanto terapeuta sexual — assim é Jean Millburn. A mãe da personagem principal, Otis, tem vindo a ganhar destaque na série, principalmente na temporada mais recente. Caiu nas boas graças dos fãs, que exigiram mais tempo de ecrã para a mãe solteira. O filho sente-se constantemente envergonhado pela profissão e pelas ações da mãe, mas nem por isso Jean cessa de cumprir o seu papel. Preocupada, honesta e acessível, apoia incondicionalmente o filho e os seus amigos, tentando sempre estar por dentro dos assuntos que os apoquentam.

Joyce Byers, Stranger Things

Winona Ryder em Stranger Things
Winona Ryder é Joyce Byers em ‘Stranger Things’

Mais uma mãe que faz os possíveis e os impossíveis para estar dentro da bolha dos filhos. Protetora, destemida e carinhosa, Joyce Byers luta (literal e figurativamente) para que nada lhes falte. Além disso, e porque vive num mundo surreal, testemunha o sofrimento do seu filho mais novo como não se deseja a nenhuma mãe. Não desiste até ter os seus bebés nos braços, mostrando constantemente, enquanto personagem principal, a guerreira dentro de si. Também mãe solteira, prova que consegue assumir a figura maternal e paternal.

Blanca Rodriguez, Pose

Blanca (Mj Rodriguez) conquista o título de Mãe do Ano na série televisiva Pose por uma boa razão. Fundadora da House of Evangelista, a matriarca passa o seu dia-a-dia entre os ballrooms de Nova Iorque, sempre disposta a dar um lar a jovens em situações precárias. Blanca luta pelos interesses dos filhos até às últimas consequências. Protege-os dos perigos inerentes à vida nas ruas e encoraja-os a aproveitar todo o seu potencial, apesar dos tetos de vidro impostos pela sociedade. Por vezes, mães recebem filhos com bagagem prévia, um desafio diário à compreensão e descobrimento mútuos. No entanto, Pose reforça que ser mãe transcende laços biológicos. Ser mãe é dar carinho, mesmo quando expectativas acabam contrariadas ou são cometidos erros. No fim de contas, a maternidade toma muitas formas e feitios, nunca prescindindo de um elo comum – o amor incondicional.

Sugestões de Diana Carvalho, Mariana Coelho, Ana Silva, Diogo Silva e Matilde Dias

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
taylor swift fearless
Taylor Swift lança nova versão do álbum ‘Fearless’