Big Brother 2020
Instagram/Big Brother TVI

Opinião. BB 2020 traz a TVI de regresso aos grandes formatos de televisão

Domingo (26) foi o dia da estreia daquele que é “o programa do ano” – o BB 2020. O maior desafio profissional da carreira de Cláudio Ramos estreou na TVI com um ambicioso objetivo: agitar o tabuleiro e subir as audiências do canal de Queluz.

A verdade é que o programa ainda ia na sua primeira hora e já estava entre os assuntos mais comentados no Twitter, o que de alguma forma pode espelhar o elevado interesse do público. TVI e BB 2020 estiveram também entre os termos mais pesquisados do dia nos motores de busca.

Para a edição comemorativa dos 20 anos do maior reality show do mundo, a TVI prometia uma grande revolução em todos os aspetos: no formato, na casa, na forma de fazer o casting… A promessa foi feita, mas será que foi cumprida?

A emissão

O BB Zoom esteve no ar sensivelmente três horas, juntando a gala em si e o momento em que os concorrentes se avaliaram (BB Zoom: a Avaliação). A TVI optou por fazer um falso direto, o que sem dúvida ajudou a que a gala tivesse um bom ritmo. Como não era em direto, a edição tinha de ser extremamente subtil e cuidadosa, mas houve várias falhas a esse nível. A certas alturas, cortes abruptos tornaram percetível o facto de a gala não ser em direto, mas acima de tudo tornaram a experiência de visionamento dos espectadores um pouco desagradável.

Este bom ritmo da gala pode também ser explicado pelo simples facto de ser uma estreia e, as estreias deste tipo de programas seguem todas a mesma “fórmula”: o público conhece os concorrentes, eles conversam e é levantada a ponta do véu em relação à casa mais vigiada do país.

Instagram/Cláudio Ramos

O alinhamento chamou a atenção. Durante a gala os acontecimentos foram se seguindo de forma ágil, com o lançamento das apresentações dos concorrentes e posteriormente com conversas, dois a dois, durante um minuto. O problema chegou depois, com o início do BB Zoom: a Avaliação. Nesta etapa do programa, o objetivo era que os concorrentes avaliassem a pessoa com quem conversaram. Ora, a questão é que os concorrentes ainda não tinham sido todos apresentados.

Desta forma, Cláudio Ramos deu início a esta etapa com a apresentação de mais concorrentes e, aproveitou que estava a conversar com estes mais recentes participantes para lhes pedir que avaliassem os interlocutores. Depois de apresentados e avaliados os novos concorrentes, Cláudio Ramos voltou ao início. Sim, o apresentador voltou a percorrer todos os concorrentes e explicou-lhes, um a um, o que tinham de fazer. Assim, tivemos de ouvir o anfitrião explicar dezoito vezes que os concorrentes se tinham de avaliar. Esta situação provocou uma quebra no bom ritmo que o programa tinha até então.

Os concorrentes

Uma das coisas que mais gera curiosidade neste género de formatos é saber como são e quem são os concorrentes. Ao longo dos vários meses em que o BB 2020 foi promovido, a TVI levantou muito as expectativas em relação ao leque de concorrentes, e podemos dizer que cumpriu.

O mosaico de participantes é bastante diversificado: há pessoas com idades muito diferentes; ocupações muito diferentes e maneiras de ver a vida distintas – tal como prometido. Apesar disto, não se pode ignorar a presença de concorrentes “típicos” deste género de programas. Em todos os reality shows há, por exemplo, os chamados cromos e aqueles que só lá estão para armar confusão, e o BB 2020 não é exceção.

Na gala de estreia, momentos cómicos e caricatos protagonizados pelos concorrentes não faltaram, o que é bom, desde que os limites do ridículo não sejam ultrapassados, e isso, em alguns momentos, aconteceu. Já é quase habitual destes formatos saírem “personagens” que perduram no tempo, afinal quem não se lembra da famosa Cátia Palhinha?

A TVI acertou no casting mas acredito que isso será mais visível quando os concorrentes estiverem todos no mesmo sítio, ou seja, quando a segunda fase do programa começar. Aí sim, vamos poder assistir à convivência permanente entre os concorrentes, que são todos bastante diferentes.

Cláudio Ramos

O sonho de Cláudio Ramos aconteceu. O apresentador estreou-se à frente de um projeto de enorme envergadura e a sua tarefa não era nada fácil. Para agravar toda a situação, não havia público em estúdio e o público não serve apenas para enfeitar. Através da plateia, os apresentadores conseguem perceber o entusiasmo de todos e isso, de certa forma, dá uma força extra.

Apesar de todas as adversidades, Cláudio Ramos esteve bem. Não teve uma performance extraordinária, mas também não esteve mal. Missão cumprida mas tem muito por onde melhorar.

O principal problema de Cláudio Ramos é a sua falta de naturalidade. Nos momentos de conversa, percebe-se que o apresentador se sente confortável, mas quando tem de ler o teleponto soa algo robotizado.

A casa, o estúdio

Apesar de os concorrentes não terem entrado já na casa mais vigiada do país, na gala, Cláudio Ramos mostrou as instalações daquela que será a habitação dos participantes depois de concluída a primeira fase do programa – o BB Zoom.

A casa é talvez o melhor de todo o programa. Só me consigo lembrar de uma única palavra para a descrever: extraordinária. Até hoje, nunca em Portugal os concorrentes tiveram uma casa tão moderna, luxuosa e espaçosa para viver como a desta edição.

E se a casa é fantástica, o estúdio não fica nada atrás. Cláudio Ramos tem à sua disposição um estúdio fenomenal e bastante bonito.

O Fora d´Horas:

O BB Fora d´Horas apresentado por Maria Botelho Moniz e que conta com a participação de um painel de comentadores estreou coladinho ao final do BB Zoom e durou por volta de uma hora.

Instagram/Maria Botelho Moniz

Maria Botelho Moniz esteve irrepreensível na condução em direto do programa e provou a todos aqueles que pudessem não acreditar, que tem imenso talento. A prestação da jovem apresentadora foi sem dúvida magnífica e uma bela surpresa.

Pela negativa destacaríamos ainda um elemento que esteve presente em todas as apresentações dos concorrentes: a conversa sobre a Covid-19. Nas VTs de todos os concorrentes foram dedicados uns segundos à situação que estamos a viver. Nestes momentos, uma música triste ouvia-se no fundo e a imagem ficava a preto e branco, enquanto os concorrentes falavam sobre o que tinha mudado nas suas vidas. Não é percetível qual a pertinência de repetir, à exaustão, esta mensagem.

Destaco também um momento que me marcou especialmente, este pela positiva. O momento do arranque do BB 2020, aquele em que Cláudio Ramos diz: “26 de abril de 2020. Boa noite. Bem-vindos ao Big Brother!”.

20 anos depois, “o pai de todos os reality shows” regressou à TVI. O BB 2020 chegou finalmente à antena. Resta-nos esperar para perceber o impacto que o programa terá mas, se dúvidas existissem, depois da gala de estreia podemos afirmar com certeza que, com o regresso do BB, a TVI está de volta aos grandes programas de televisão.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Peaky Blinders
‘Peaky Blinders’ termina na sexta temporada mas volta noutro formato