Fotografia: DR

‘Yellow Submarine’ estreia no YouTube para cantar com os The Beatles

O filme animado em que o grupo participou vai ser disponibilizado gratuitamente este fim-de-semana.

O filme animado Yellow Submarine (1968), dos The Beatles, vai chegar ao canal oficial da banda no YouTube este sábado (25). A produção tem estreia marcada para o meio-dia no fuso horário EDT (17 horas no fuso horário local).

O lançamento do quarto filme baseado nas músicas do quarteto britânico será acompanhado de um momento especial para os beatlemaniacs: as letras das músicas estarão abaixo do ecrã para que todo o mundo possa cantar em conjunto durante o isolamento social.

Antes de Yellow Submarine, os Beatles já tinham a si associados três outras produções: A Hard Day’s Night, uma comédia musical de 1964; Help!, homónimo ao quinto álbum de estúdio do grupo, ambos em 1965; e ainda Magic Mystery Tour, de 1967, onde John Lennon, Paul McCartney, George Harrison e Ringo Starr são os protagonistas.

O envolvimento dos Beatles em Yellow Submarine foi mínimo, apenas dando cara às personagens (porém, sem lhes darem voz) e fornecendo o conteúdo da soundtrack da animação. Além das canções incluídas no álbum homónimo ao filme, de 1969, a produção inclui ainda clássicos como ‘All You Need Is Love‘ ou ‘Hey Bulldog‘.

Além dos filmes em que os The Beatles participaram diretamente, contam-se inúmeros documentários baseados na banda e na sua história, especialmente análises por trás dos 13 álbuns de estúdio lançados pelo grupo. Pela distância temporal que temos percorrido, a inspiração tem chegado aos grandes ecrãs em ficção ou eventos reais, com um elenco que não inclui os Beatles mas memórias destes.

Capítulo 27 – O Assassinato de John Lennon (2007) é o drama biográfico que se centra no assassinato (e no assassino, Mark David Chapman, protagonizado por Jared Leto) de John Lennon. Mais recente, temos o cómico retrato de Yesterday (2019), onde Himesh Patel é um músico que acordou num mundo onde ninguém se lembra da existência dos Beatles.

Ainda em 2020, é esperada a chegada do aguardado documentário de Peter Jackson, The Beatles: Get Back, que incluirá mais de 50 horas de gravações das sessões de Let It Be, algumas que já em 1970 fizeram parte do documentário original com o mesmo nome. No entanto, os fãs anseiam pelas imagens que nunca foram vistas.

O documentário está previsto ser lançado em inícios de setembro, mas Paul McCartney, envolvido na produção, adiantou que poderá sofrer o mesmo destino que outros grandes filmes e ser adiado, devido à pandemia da Covid-19.

O músico adiantou ainda que as imagens do documentário poderão revelar uma relação diferente entre este e John Lennon do que aquela de que o público foi tomando conhecimento nos últimos anos, relação essa marcada pela rivalidade. McCartney referiu que, apesar de poder ter alimentado essa ideia, ao rever as imagens relembra que tal não é verdade, algo que os fãs vão poder ver com os próprios olhos.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira duas semanas sozinha, ‘Dia de Cristina’ suspenso