Zoom
Unsplash

Zoom com falhas de segurança após expansão repentina

O software de videoconferência Zoom tornou-se o principal aliado da maioria das empresas e estabelecimentos de ensino para lidar com o afastamento provocado pela pandemia do novo coronavírus. Porém, a popularidade da plataforma revelou também várias falhas de segurança, que levaram a Google a bani-la dos dispositivos dos seus funcionários.

Zoombombing (a entrada de novos elementos na reunião sem aviso), comprometimento das câmaras e partilha de dados de utilizadores com o Facebook foram alguns erros registados na Zoom desde o crescimento de 535% do tráfego diário em março. O CEO da plataforma, Eric S. Yuan, admitiu alguns percalços na segurança e privacidade, em entrevista à CNN. “Avançamos demasiado depressa e tivemos alguns contratempos”, afirmou.

Lê também: Houseparty diz ser alvo de “campanha de difamação”

As fragilidades já levaram muitas escolas e instituições a proibir o software e a procurar alternativas. O caso mais recente é o da empresa Google que, segundo apurou o BuzzFeed News, baniu a plataforma de videoconferência dos dispositivos dos seus funcionários. A Zoom deixa então de funcionar nos computadores corporativos dos trabalhadores da multinacional a partir desta semana, por não atender, segundo o porta-voz da Google, Jose Castaneda, aos “padrões de segurança para aplicativos usados por funcionários”.

Antes da empresa dos Estados Unidos, também outras tomaram a mesma decisão. A empresa de foguetes SpaceX, de Elon Musk, também proibiu a utilização da plataforma por parte de funcionários, devido a “preocupações significativas de privacidade e segurança”, segundo a Reuteus. O mesmo aconteceu com a o Departamento de Educação da cidade de Nova Iorque, que viu uma alternativa nos serviços da Microsoft.

“Reconhecemos que ficamos aquém das expectativas de segurança e privacidade da comunidade, e das nossas”, lamentou Eric S. Yuan. No entanto, o CEO da Zoom assegura que as falhas estão a ser corrigidas. “Aprendemos as nossas lições e demos um passo atrás para focarmo-nos na privacidade e segurança”, sublinhou. Alex Stamos, antigo responsável de segurança do Facebook, é o novo conselheiro e executivo do software, para tentar lidar com os problemas.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Liga Europa
Liga Europa bate recorde e destaca SIC no primeiro lugar