Donald Trump

‘After Truth’: HBO tem um novo documentário sobre fake news

After Truth: Disinformation and the Cost of Fake News estreou-se esta sexta-feira (20) na plataforma de streaming.

O novo documentário da HBO investiga a ameaça atual causada pelo fenómeno das fake news nos EUA, com foco nas consequências reais que a desinformação, as teorias da conspiração e as notícias falsas têm sobre o cidadão comum. After Truth humaniza o fenómeno que os americanos vão enfrentar no próximo ciclo eleitoral e nos próximos anos.

Realizado por Andrew Rossi e com produção executiva de Brian Stelter, da CNN, After Truth: Desinformation And The Cost Of Fake News, oferece acesso exclusivo a vítimas e autores de notícias falsas, bem como a uma variedade de especialistas e jornalistas que contextualizam o seu impacto e que reforçam a importância do jornalismo de qualidade.

A preocupação com a desinformação e as notícias falsas no ambiente global da informação tornou-se omnipresente após a vitória do presidente Trump em 2016. No entanto, este documentário mostra que os sinais da crise surgiram muito antes da eleição.

Lê também The Plot Against America’: uma história alternativa dos EUA chega à HBO Portugal

O verão de 2015 é apontado pelos analistas como o momento em que se identificou algo de muito preocupante a acontecer no espaço da informação. O que despertou as atenções foi o anúncio da operação Jade Helm 15. Este foi um exercício de treino militar em Bastrop, no Texas, que gerou uma onda conspiratória de que (entre outras coisas) o então Presidente Obama estaria a preparar os soldados para confiscar as armas à população, capturar opositores políticos e impor lei marcial… Este é o primeiro exemplo dado em After Truth sobre a escala e o impacto da desinformação.

Outro dos exemplos é o devastador caso Pizzagate, boato em torno do restaurante-pizzaria Comet Ping Pong, localizado em Washington. Dizia-se ser a fachada de uma rede de pedofilia, e onde os crimes teriam lugar. Um boato que afirmava o envolvimento da candidata presidencial democrata Hillary Clinton e o seu diretor de campanha, John Podesta, nessa suposta rede de tráfico e abuso sexual de crianças, partindo de e-mails de Podesta divulgados no site WikiLeaks em que se referia uma campanha de fundos associada ao dono do restaurante, James Alefantis. Este é o capítulo mais extenso do documentário e mostra as consequências, até psicológicas, que teve não só em Alefantis mas também nos seus empregados, a receberem constantemente mensagens violentas e ameaças de morte.

Com tantos outros exemplos, o documentário, com uma hora de duração, pretende mostrar a escala e o impacto da desinformação.

Mais Artigos
Teen Wolf
‘Teen Wolf’: atores pedem regresso da série à MTV