Octavia Spencer em Madam C. J. Walker
Netflix

‘Madam C. J. Walker’: Netflix estreia série sobre primeira milionária americana

A Netflix vai dar a conhecer a vida e história de Madam C. J. Walker, a primeira mulher a tornar-se milionária por mérito próprio, uma empresária afro-americana no ramo de cuidados capilares. A minissérie biográfica, protagonizada por Octavia Spencer, chega ao serviço de streaming a 20 de março.

Meses depois de se ter celebrado o 100.º aniversário da morte de Walker, a série inspirada no livro On her Own Ground, escrito pela sua trineta, A’Lelia Bundles, tem a aguardada estreia. A’Lelia afirmou, em várias entrevistas, que “é importante olharmos para nós próprios e como os nossos cabelos evoluíram ao longo dos últimos anos”.

Madam C. J. Walker: Uma Vida Empreendedora poderá ajudar a fazer isso e dar-nos e entender que “os nossos antepassados tinham problemas com a auto-confiança num mundo que favorecia e preferia os padrões europeus de beleza e desconsiderava as características faciais africanas, a cor de pele e a textura de cabelo”, acrescentou Bundles.

Octavia Spencer, vencedora de um Óscar, interpretará o papel de Madam Walker, “a empreendedora afro-americana do ramo de cuidados para o cabelo”. Durante a sua vida, “Walker ultrapassou preconceitos pós-escravatura e de género, traições pessoais e rivalidades no mundo dos negócios para construir uma marca inovadora que revolucionou os cuidados para o cabelo dos afro-americanos, enquanto lutava simultaneamente por mudanças sociais”, avançou o serviço de streaming.

A produção da série

A série da SpringHill Entertainment e Wonder Street, em associação com a Warner Bros. Television terá quatro episódios e conta com nomes de peso, quer no elenco, quer na produção. Kasi Lemmons (Harriet) e DeMane Davis (How to Get Away With Murder) estão encarregues da realização e LeBron James e Nicole Jefferson Asher (Love Beats Rhymes) sentar-se-ão nas cadeiras de produtores executivos. Jefferson vai ainda escrever a série. Na produção encontramos nomes como Janine Sherman Barrois, Elle Johnson (Bosch), Maverick Carter, Mark Holder, Christine Holder, Kasi Lemmons, Octavia Spencer e Jamal Henderson.

A co-produtora executiva, Nicole Jefferson, quando questionada sobre a série, pela revista Essence, disse que “a história da Madam C. J. Walker parece-me a história de uma mulher visionária e que estava à frente do seu tempo. E realmente precisava de ser contada de uma forma que refletisse isso”.

Jefferson disse também que a série não seria feita só porque sim, mas “para nos deixar entrar na sua imaginação, e noutro nível, mostrar-nos o que era especial nela, o que a fazia única e o que lhe permitiu fazer o que ninguém tinha feito até então. Ela foi uma mulher que não foi à escola. Ela teve de aprender a ler sozinha. E acabou por se tornar numa milionária”.

Quem faz parte do elenco e o que farão?

Octavia Spencer

A atriz vai interpretar o papel de Sarah Breedlove, também conhecida como Madam C. J. Walker. Sarah foi uma empreendedora afro-americana, ativista e filantropa, que construiu um negócio à volta de produtos de cabelo e cosméticos para mulheres negras nos inícios do século XX.

Spencer é reconhecida mundialmente pelo seu papel em The Help, que lhe valeu o Óscar de Melhor Atriz Secundária. Para além disso, foi também nomeada para a entrega de prémios com Hidden Figures, em 2016, e The Shape of Water, em 2017. Recentemente foi protagonista do filme Ma e da série da Apple TV, Truth Be Told.

Blair Underwood

Blair Underwood como Charles Walker

O ator de When They See Us e Dear White People vai vestir as calças de Charles Joseph Walker, marido de Sarah Breedlove. Charles era um vendedor de publicidade de jornais e, depois de se casar com Breedlove, esta passou a ser Madam C. J. Walker.

Underwood tem também papéis em The After Party, Agents of S.H.I.E.L.D, Quantico, Ironside, The Event, The New Adventures of Old Christine e Dirty Sexy Money.

Tiffany Haddish

Tiffany Haddish como A'Lelia Walker em Madam C. J. Walker

A conhecida atriz de comédia vai encarregar-se de interpretar A’Lelia. Esta é fruto do primeiro casamento de Sarah, que aos 14 anos se casou com Moses para poder fugir de um ambiente abusivo. Moses acabou por morrer quando A’Lelia fez dois anos. Mais tarde, Lelia adotou o nome do cadastro, Walker, e em 1919, quando a mãe morreu, tornou-se presidente do negócio.

Haddish ganhou o Emmy de Melhor Atriz Convidada, pela sua participação no Saturday Night Live, e grande reconhecimento pelo seu trabalho em Girls Trip.

Carmen Ejogo

Carmen Ejogo como Addie em Madam C. J. Walker

Na série da Netflix, a atriz britânica interpreta Addie Munroe, uma ex-amiga de Sarah e rival da Walker Company. Carmen é conhecida pela sua personagem Amelia Reardon, em True Detective. A este papel junta ainda a personagem Corettal Scott King, em Boycott (2011) e Selma (2014) e Seraphina Picquery nos filmes Montros Fantásticos e Onde Encontrá-los.

Garret Morris

Garret Morris como Cleophus em Madam C. J. Walker

O veterano da sétima arte fica encarregue de dar vida a Cleophus, pai de Charles. Tal como os pais de Sarah, que acabaram por morrer quando ela era pequena, Cleophus é um ex-escravo.

O ator pertenceu ao elenco original do programa Saturday Night Live, em 1975, e desde então somou mais 100 créditos em cinema e televisão. É conhecido por interpretar Earl Washington em 2 Broke Girls. Recentemente interpretou Lloyd em This Is Us, Arnold em Grand-Daddy Day Care e Hector em Scandal.

Mas afinal quem é Sarah Breedlove?

O Espalha-Factos decidiu reunir algumas curiosidades importantes sobre a vida de Madam C. J. Walker, para que não vejas a série sem saber quem foi este ícone da cultura americana.

Sarah Breedlove, conhecida por Madam C. J. Walker, foi uma empreendedora do século XX. O seu negócio é ainda hoje lembrado como um dos impulsionadores da indústria da cosmética. Para além disso, Sarah é tida em grande consideração por se ter tornado na primeira mulher milionária por mérito próprio.

Nasceu a 23 de dezembro de 1867, filha de ex-escravos, numa plantação de algodão, no Louisiana. Os pais, Minerva e Owen, morreram quando Sarah ainda era jovem. Como ficou órfã, foi enviada para casa da sua irmã Louvinia. Acabaram por se mudar pra Vicksburg Mississipi, em 1877, onde Sarah apanhava algodão e começou a fazer limpezas em casas de mulheres brancas.

Em 1882, quando tinha 14, Sarah casou com Moses McWilliams, de forma a escapar aos maus tratos do marido da irmã, Jesse Powell. Juntos tiveram A’ Lelia Walker. Em 1887, Moses acabou por morrer e Sarah mudou-se com A’Lelia.

Início do caminho para o sucesso

As duas foram parar a St. Louis e Sarah arranjou um trabalho onde ganhava 1,50$ por dia por lavar roupas. Esta quantia era o suficiente para mandar a filha para a escola, um objetivo de Sarah. Sempre que podia, aproveitava para ir à escola e tinha aulas de noite. Foi durante este período da sua vida que conheceu Charles Joseph Walker, o seu terceiro marido, que a vai ajudar a promover o seu futuro negócio. Devido ao casamento, Sarah passou a ser conhecida como Madam C. J. Walker.

Na década de 1890, Sarah desenvolveu uma doença no couro cabeludo, o que fez com que perdesse bastante cabelo. A doença apareceu, pois, na altura, os cabelos eram lavados poucas vezes, e os produtos usados continham uma substância chamada lye. Para acabar com o problema e aliviar a dor, começou a juntar remédios caseiros com produtos farmacêuticos na esperança de criar o produto milagroso.

Em 1905 começou a trabalhar como distribuidora para Annie Turnbo, uma mulher negra de sucesso que produzia produtos para cuidar do cabelo. Annie, amiga de Sarah, vai acabar por se tornar sua rival. Por ter arranjado este emprego, Sarah muda-se mais novamente, desta vez para Denver.

Com o pouco que conseguiu aprender enquanto trabalhava para Annie, Sarah começou a trabalhar no seu próprio negócio. Walker adotou o nome de casamento para a sua marca e posicionou-se no mercado como independente. Com ajuda das técnicas de marketing de Charles, Sarah vendia os seus produtos porta a porta, acabando por ensinar mulheres negras a cuidar dos seus cabelos.

A construção de Madam C. J. Walker 

Em 1910, Walker abre a sede da Madam C. J. Walker Manufacturing Company em Indianapolis. Na fase seguinte da sua vida, Sarah viaja pela América Latina e Caraíbas para promover a sua marca e recrutar outras pessoas. Nesta altura, acabou por se divorciar de Charles.

Enquanto andava em viagem, A’Lelia ajudou na compra de uma propriedade em Harlem, Nova Iorque. A casa tornou-se num local muito importante para o desenvolvimento do negócio e passou a ser o centro de operações da empresa, em conjunto com Indianapolis. Depois das suas viagens, Sarah muda-se para Harlem e continua o seu processo de recruta para aumentar as vendas e produção.

Com o sucesso da Walker Company, e apesar de todas as adversidades, Sarah tornou-se numa importante figura do seu tempo. Ela doou grandes quantias para o desenvolvimento de Harlem e causas como a educação, ajuda aos seniores e para a Associação Nacional para o Progresso de Pessoas de Cor (NAACP).

A 25 de maio de 1919, Walker morre devido a uma doença nos rins e problemas de hipertensão. Na altura da sua morte, foi considerada a mulher afro-americana mais rica na América. De acordo com o seu obituário no The New York Times, “há dois anos atrás ela disse a si própria (em 1917) que ainda não era milionária, mas que esperaria ser um dia”.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
espalha-factos-anatomia-de-grey-2
Séries de TV protagonizadas por médicos fazem doações aos hospitais