Eurovisão
Fotografia: EBU

Eurovisão 2020. Com o festival cancelado, o que acontece agora?

A União Europeia de Radiodifusão (EBU) anunciou esta quarta-feira (18) que o Festival Eurovisão da Canção 2020 está oficialmente cancelado. O regresso em 2021 está garantido pela organização, mas levantam-se dúvidas entre os espectadores sobre o que vai acontecer aos planos para esta época eurovisiva.

Seguindo as recomendações das autoridades de saúde face à pandemia global de COVID-19, a EBU anuncia que o Festival está efetivamente cancelado. Em comunicado, é dito que é impossível “continuar com o evento ao vivo conforme planeado“.

No entanto, as informações são poucas sobre eventuais “planos B” para a Eurovisão em 2020. A organização pede “paciência” enquanto exploram “as ramificações desta decisão sem precedentes“, para que mais tarde possam ser fornecidas mais novidades acerca do futuro do certame.

Mas o que acontece agora? O festival regressa em 2021, mas em que moldes? Reunimos as informações já disponibilizadas pela EBU sobre cancelamento de um dos maiores eventos a nível global.

O evento foi cancelado. Porque não adiar?

Esta é, provavelmente, a questão mais discutida entre os fãs do festival. A EBU esclarece que um adiamento tornar-se-ia impossível, dada a natureza “incerta” da pandemia do novo coronavírus ao nível europeu.

Mesmo que o festival fosse para o ar mais tarde, “não seria possível garantir a organização de um evento destas dimensões, com tantas partes interessadas, mais tarde este ano“. Além disso, um concurso tardio iria reduzir o tempo que a emissora vencedora teria para organizar a próxima edição.

Porque não realizar à porta fechada ou online?

Mesmo à porta fechada, os perigos para a saúde pública mantêm-se. As equipas que organizam o festival são extensas e têm membros de várias partes do mundo. Além disso, os concorrentes continuariam a chegar dos 41 países a concurso, algo que vai contra as restrições internacionais no que diz respeito a viagens entre países.

No que toca a uma versão online do concurso, a EBU justifica como sendo algo que vai contra o “ADN” da Eurovisão. Está na génese do festival “juntar delegações, artistas e fãs juntos num só lugar” e proporcionar aos artistas uma plataforma igualitária para “competir juntos no mesmo palco e com a mesma oportunidade de brilhar“.

O “formato único” da Eurovisão faz com que a organização não tenha conseguido encontrar “nenhuma alternativa realista“.

E as 41 canções já escolhidas?

Uma vez que não existem planos para nenhuma outra versão excecional do concurso, as canções escolhidas em cada país não vão subir a qualquer tipo de plataforma eurovisiva, pelo menos assim o indicam as informações até agora existentes.

No entanto, a EBU ainda não descartou a possibilidade de as canções deste ano participarem no próximo ano. Analisando-se o formato do concurso, é algo pouco provável de acontecer; mesmo assim, a organização garante que esta questão “vai ser discutida pelo Grupo de Referência e as emissoras participantes“.

De qualquer modo, o comunicado garante que, enquanto avaliam a situação para fornecer mais atualizações, a EBU quer “prestar tributo” às emissoras organizadoras e aos 41 países que “trabalharam duro na preparação deste evento“.

Em 2021, o concurso mantém-se em Roterdão? Já há datas?

Ainda não existem datas ou informações concretas relativas à edição do próximo ano. Sabe-se, apenas, que a Eurovisão 2021 está, pelo menos para já, assegurada.

A EBU garante que está, juntamente com as três emissoras organizadoras nos Países Baixos — NPONOSAVROTROS —, a estudar a hipótese do concurso se manter em Roterdão em 2021. Avisam, no entanto, que ainda é “demasiado cedo” para acertar datas ou outros pormenores face à próxima edição.

Comprei um bilhete para o festival. O que faço agora?

A organização ainda não tem informações concretas sobre o funcionamento dos processos relativos aos bilhetes adquiridos para o festival, embora prometa brevidade. A EBU avisa que está a estudar a hipótese do bilhete comprado para 2020 se manter válido para 2021.

De qualquer modo, informações sobre reembolsos serão comunicadas “assim que tenhamos mais informações, avisa a organização.

Festival da Canção 2020 Elisa e Marta Carvalho
Elisa seria a representante portuguesa na Eurovisão 2020, com o tema ‘Medo de Sentir’ (Fotografia: Pedro Pina / RTP)

O festival decorreria a 12, 14 e 16 de maio em Roterdão, nos Países Baixos. Elisa seria a representante portuguesa nesta que seria a 65.ª edição da Eurovisão, com o tema ‘Medo de Sentir’. Portugal iria competir na segunda semifinal.

O Festival Eurovisão da Canção tem regresso assegurado para 2021.

Lê também: Eurovisão 2020. Elisa, representante portuguesa, reage ao cancelamento
Mais Artigos
Capitão Fausto
Há um documentário dos Capitão Fausto para ver no YouTube