Eurovisão
Fotografia: Eurovision.tv

COVID-19. Eurovisão 2020 é cancelada, regressa em 2021

Face ao surto de COVID-19, que está a afetar a realização de eventos a nível mundial, a União Europeia de Radiodifusão (EBU) anunciou esta quarta-feira (18) que o Festival Eurovisão da Canção 2020 não vai ser realizado. O festival regressa em 2021.

De acordo com o comunicado oficial divulgado em vídeo pela organização, o certame está oficialmente cancelado. É a primeira vez em 65 anos que o Festival não vai reunir em frente à televisão cidadãos europeus de todos os cantos do Continente.

Em causa está a impossibilidade de reunir condições de saúde pública para levar para a frente um evento desta envergadura perante a atual pandemia do novo coronavírus a nível global. A posição anunciada pelo Supervisor Executivo da União Europeia de Radiodifusão, Jon Ola Sand, foi concertada com as autoridades holandesas.

Esta decisão surge depois da uma reunião do grupo de referência da Eurovisão, em Genebra, para decidir o futuro do festival. Múltiplas opções estavam em cima da mesa, entre as quais o adiamento para junho ou mesmo setembro, revelavam fontes alegadamente ligadas à organização do certame.

Festival regressa em 2021

Em comunicado, a EBU anuncia que o certame tem regresso oficialmente marcado para o próximo ano. Neste momento, a organização está a trabalhar com os canais de televisão holandeses e com as autoridades locais para manter o certame na cidade de Roterdão em 2021. Ola Sand promete que “O Festival Eurovisão da Canção vai regressar mais forte que nunca“.

Eurovisão
Modelo do palco que iria ser apresentado na Rotterdam Ahoy, a arena que receberia a Eurovisão 2020 (Fotografia: EBU)

Com os picos da pandemia do novo coronavírus a ser apontados para o mês de maio, altura em que tradicionalmente se realiza o certame, surgiam dúvidas sobre a viabilidade da realização desta edição do festival.

Anualmente, milhares de pessoas reúnem-se na arena que recebe o certame, algo que vai contra as normas das autoridades de saúde face à recente pandemia.

Inicialmente, com a organização a manter de pé a realização do certame em maio até informação contrária, chegou a ser apontado um “plano B”. A medida, revelada pela direção da emissora responsável pela participação da Eslovénia no certame, envolvia a pré-gravação da atuação de cada país a partir dos respetivos estúdios televisivos nacionais.

Elisa seria a representante portuguesa nesta que seria a 65.ª edição da Eurovisão. A artista madeirense venceu o Festival da Canção com o tema ‘Medo de Sentir’, com o qual iria competir na segunda semifinal, inicialmente marcada para 14 de maio.

Mais Artigos
Streaming
Streaming. O Governo vai mesmo limitar serviços como a Netflix?