Valor da Vida, novela da TVI, empresa da Media Capital
TVI

Com SIC a liderar, Media Capital perde quase 55 milhões de euros

A Media Capital, grupo que detém a TVI, acumulou um prejuízo de quase 55 milhões de euros no ano de 2019. Em causa está a queda das audiências televisivas.

Pela primeira vez desde 2004, a TVI deixou de ser líder de audiências. A escalada imparável da SIC teve efeito no seu concorrente direto e a Media Capital acabou com um prejuízo de 54,7 milhões de euros.

No ano anterior, o grupo tinha tido um lucro de 21,6 milhões de euros, segundo o relatório de resultados anuais da Media Capital, enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

Com a saída de estrelas como Cristina Ferreira, e face a novas estratégias de programação da SIC, a TVI passou de 19.9% de share, em 2018, para 15.6% em 2019, caindo 4.3 pontos percentuais.

Media Capital perde com televisão, mas ganha com rádio e entretenimento

A televisão foi mesmo o segmento do grupo que mais sofreu, registando uma receita de menos 13% do que no ano anterior. Com a queda de audiências, as receitas de publicidade na TVI diminuíram também em 15%.

No entanto, no segmento da rádio e entretenimento, registou-se um crescimento de 19%, para 24,5 milhões de euros. As receitas da Plural também aumentaram, verificando-se um crescimento de 1% para 33,1 milhões de euros.

No que diz respeito à publicidade na rádio e entretenimento, também se registou um crescimento de 13%. Porém, isto não impediu a Media Capital de ter prejuízo. As receitas do grupo caíram assim 9%, “tendo a queda sido de 16% para o último trimestre do ano”.

É de relembrar que a Media Capital está em processo de compra pela Cofina, que reduziu em 50 milhões de euros a sua oferta pela empresa devido à quebra nas audiências e publicidade.

O que é que tudo isto significa?

Na prática, se olharmos para os resultados operacionais da Media Capital, e particularmente para os que dizem respeito à televisão, entendemos que a descida não foi assim tão significativa.

Registou-se um decréscimo geral (9%), devido a um decréscimo de receitas na televisão. No entanto, como já vimos, a rádio e a produção audiovisual (Plural) até cresceram significativamente em 2019.

TVI foi líder indisputável de audiências durante 15 anos, mas está a tornar-se mais difícil manter os resultados de anos anteriores. Num ano em que viu as audiências descerem consideravelmente, faz sentido que as receitas com publicidade na televisão diminuam.

Resta-nos esperar para ver o que a direção de Nuno Santos poderá fazer para aproximar a TVI dos resultados que outrora teve. No que diz respeito à Media Capital, há muitos outros fatores a ter em conta, incluindo as negociações da compra pela Cofina.

Lê também: ’24 HORAS DE VIDA’. JÁ SE SABE O DIA EM QUE BÁRBARA GUIMARÃES VOLTA À TELEVISÃO
Notícia atualizada às 10h52 com nota explicativa.
Mais Artigos
#Throwback: Os jogos do passado que a Quarentena recuperou