Parasitas fez história nos Academy Awards ao ser o primeiro filme internacional, fora do espectro da língua inglesa, a ser galardoado com o Óscar de Melhor Filme. A este somaram-se outros três.

Apesar da baixa recetividade do cinema estrangeiro nas mentes e nos olhares do público mais popular dos Estados Unidos – os mais incomodados com a necessidade de legendas para a compreensão de um filme -, este panorama está a sofrer alterações positivas e a aclamada produção de Bong Joon Ho provou-o.

Parasitas fê-lo não só no passado domingo, como em várias premiações importantes no mundo ocidental: há pouco menos de duas semanas, nos BAFTAs, ou onde tudo começou, com a Palma d’Ouro no Festival de Cannes, em maio de 2019.

Para ti que sentiste Parasitas infiltrar-se no teu corpo, deixando a curiosidade pelas produções do outro lado do mundo, o Espalha-Factos preparou uma lista com alguns filmes sul-coreanos para explorar:

Memories of Murder (2003), Bong Joon Ho

Um filme de Bong Joon Ho e em que temos Song Kang Ho num dos papéis principais. Não nos enganámos, não é Parasitas. Este já estreou há mais de 16 anos, e conta a história (verídica) dos homicídios em massa dos anos 90 na Coreia do Sul.

Memories of Murder é baseado em eventos reais, é internacionalmente reconhecido como um dos melhores filmes sul-coreanos e ganhou admiração pela cinematografia. É o segundo trabalho de Bong Joon Ho, que se estreou na produção em 2000 com Barking Dogs Never Bite (trailer aqui).

IMDb: 8,1/10
Rotten Tomatoes: 94/100%

Menção honrosa

Snowpiercer (2013), uma produção de Bong Joon Ho, Jeong Tae Sung, Steven Nam, Park Chan Wook e Lee Tae Hun, baseada no romance gráfico francês Le Transperceneige. Numa colaboração coreana, checa e inglesa, juntam-se nomes como Chris Evans, Song Kang Ho, Tilda Swinton, Jamie Bell e Octavia Spencer, num futuro distópico onde o aquecimento global já deu a vez a uma era glacial.

Todos viajam numa estrada ferroviária ilimitada, e apesar de o mundo se ter alterado drasticamente, as classes sociais continuam a ditar o seu ordenamento. O produtor de Parasitas expressou já inúmeras vezes a sua preferência pela sua língua materna; Snowpiercer é um dos seus primeiros filmes quase totalmente em inglês.

The Vengeance Trilogy (2002-2005), Park Chan Wook

Sympathy for Mr. Vengeance (2002) retrata a vingança procurada pelo pai de uma rapariga raptada por um surdo-mudo, que a sequestrou para arranjar um rim para a sua irmã.

IMDb: 7,6/10
Rotten Tomatoes: 85/100

Oldboy (2003), a seguinte produção de Park Chan Wook, contou a história de um homem encarcerado durante 15 anos, sem qualquer explicação, e então repentinamente libertado. São-lhe dados dias para descobrir a identidade e a razão por trás da sua prisão.

Ao contrário de Sympathy for Mr. Vengeance, que acabou esquecido no escuro por uma audiência mísera, Oldboy foi um sucesso de bilheteiras na Coreia do Sul e venceu o prémio Grand Prix no Festival de Cannes, em 2004. Em 2013, foi adaptado para o cinema americano por Spike Lee.

IMDb: 8,4/10
Rotten Tomatoes: 94/100

(Sympathy for) Lady Vengeance (2005) mostra-nos uma mulher (interpretada por Lee Young Ae) libertada da prisão após cumprir pena por um homicídio infantil que não cometeu. Aquando da sua liberdade, esboça um plano de vingança contra o homem pelo qual cumpriu tempo de cadeia injustamente.

IMDb: 7,5/10
Rotten Tomatoes: 87/100

Apesar do consenso na agrupação dos três filmes numa trilogia, já que feitos pelo mesmo produtor, as narrativas dos três não se conectam, apenas se assemelhando nos temas que retratam e no género que abordam. São thrillers, violentos, nos quais se debatem a ética e a vingança.

A Bittersweet Life (2005), Kim Jee Woon

Lee Byung Hun é Sun Woo, o braço direito de Kang, que lhe dá ordens como a de assassinar a sua amante caso ela o esteja a trair. Ao falhar no cumprimento dessa ordem, Sun Woo depara-se com uma guerra que não pensou ter comprado.

IMDb: 7,6/10
Rotten Tomatoes: 90/100%

I Saw The Devil (2010), Kim Jee Woon, Park Hoon Jung

Voltamos a ver a cara de Byung Hun como um agente de uma força de segurança nacional que procura vingança pelo assassinato da sua noiva por parte de um psicopata (Choi Min Sik).

IMDb: 7,8/10
Rotten Tomatoes: 86/100%

The Handmaiden (2016), Park Chan Wook

(A não confundir com The Handmaid’s Tale.)

The Handmaiden inspira-se no romance Fingersmith, de Sarah Waters, adaptando-se da era vitoriana britânica vivenciada no livro, para a era da ocupação japonesa vivida na Coreia, no início do século XX.

O thriller psicológico (e por alguns classificado como erótico) venceu o prémio de Melhor Filme Não Na Língua Inglesa nos BAFTAs de 2018.

IMDb: 8,1/100
Rotten Tomatoes: 91/100%

Train to Busan (2016), Yeon Sang Ho

Train to Busan (ou Busanhaeng, em coreano) foi produzido por Yeon Sang Ho e teve como estrelas Gong Yoo, Jung Yu Mi e Ma Dong Seok. Espaço: um comboio, em direção a Busan, como o título indica. Poderia ser mais um dia normal para aqueles que vivem a vida citadina, exceto pelo tempo: há uma emergência nacional. Um apocalipse zombie.

Gong Yoo em Train to Busan, 2016.

O filme foi bem recebido na Coreia do Sul, onde quebrou recordes de audiências, e já foi mencionado várias vezes no Ocidente visto que em 2018 se anunciou que haveria um remake do mesmo. É só mais um filme de zombies. Mas é já sabido que o original é insubstituível.

IMDb: 7,5/10
Rotten Tomatoes: 88/100%

Burning (2018), Lee Chang Dong

Os fãs de zombies podem ainda ser felizes ao recordar Steven Yeun, que protagonizou Glenn em The Walking Dead durante várias temporadas (2010-2016), e que protagoniza Ben nesta produção de Lee Chang Dong. Burning é baseado em Barn Burning de Haruki Murakami, um dos nomes condecorados da literatura não só japonesa como mundial (e que ansiamos ver como futuro Nobel).

Burning conta a história de três pessoas que se vêem conectadas através de um incidente: Ben, Hae Mi (Jeon Jong Seo) e Jong Su (Yoo Ah In).

IMDb: 7,6/10
Rotten Tomatoes: 82/100%

Podes ainda recordar os nomeados e vencedores da cerimónia dos Óscares de 2020 aqui.