Depois de Conversa Acabada, Um Adeus Português, A Corte do Norte, Filme do Desassossego, Os Maias e Peregrinação, João Botelho realiza e adapta agora o livro O Ano da Morte de Ricardo Reis, de José Saramago.

O novo filme do realizador português, que já tem trailer, conta com Chico Díaz (Ricardo Reis), Victoria Guerra (Marcenda), Catarina Wallenstein (Lídia) e Dinarte Branco (Colega Dirigente) no elenco.
A longa-metragem, uma produção da Ar de Filmes, é uma adaptação da obra literária O Ano da Morte de Ricardo Reis, publicada em 1984, do escritor e Prémio Nobel da Literatura José Saramago.

Em Novembro de 2018, em entrevista ao Observador, João Botelho explicou alguns detalhes do elenco; por exemplo, o actor brasileiro Chico Díaz faz de Ricardo Reis porque “Ricardo Reis esteve uns anos no Brasil”, disse o cineasta, que acrescentou ainda que Luís Lima Barreto faz de Fernando Pessoa “porque quando o Pessoa morreu, aos 47 anos, parecia que já tinha uns 70 anos”.

Victoria Guerra no filme O Ano da Morte de Ricardo Reis

Victoria Guerra no filme ‘O Ano da Morte de Ricardo Reis’ (Ar de Filmes)

Lê também: ‘BEM BOM’: QUEM SÃO AS NOVAS DOCE?

Já em 2019, e declarações à agência Lusa, Botelho disse que “José Saramago escreveu romances notáveis, criou personagens inesquecíveis e tratou como ninguém a língua portuguesa, sim, essa que nos une a todos, a que nos faz Pátria, como inventou num admirável texto, Fernando Pessoa” e revelou ainda que ficou “irremediavelmente atingido no cérebro e no coração” por este trabalho literário de José Saramago, o único Nobel da Literatura portuguesa.

O cineasta português, que já adaptou obras literárias de Agustina Bessa-Luís, de Fernando Pessoa, Fernão Mendes Pinto, e Eça de Queirós, afirmou ainda à Lusa que “Para estar à altura deste notável romance de realismo fantástico, decidi filmar a preto e branco, para a verosimilhança e a clareza das luzes, das sombras, dos vários cinzentos onde os personagens se vão mover, aflitos ou entusiasmados.” Acrescentou ainda: “nos planos finais, uma explosão de cores deve permitir transportar o espectador para os tempos contemporâneos“, disse o realizador.

Por fim, e segundo o IMDB, o filme estreia este ano, mas ainda não se sabe uma data específica.

Este artigo foi originalmente publicado na Comunidade Cultura e Arte.