A inédita emissão do Super Bowl em sinal aberto não deu à TVI mais que o terceiro lugar no horário de transmissão, mas o grande destaque da emissão foi mesmo o Halftime Show com Shakira e Jennifer Lopez.

A partida entre os San Francisco 49ers e os Kansas City Chiefs conquistou 1,7% de audiência média e 9,7% de share, contra 10,6% de share da RTP1 e 19,8% da SIC no mesmo intervalo horário, entre as 23h27 e as 02h30 da manhã.

No entanto, quando as duas cantoras se reuniram para a atuação do intervalo, os valores subiram para uma audiência média de 1,6% e share de 12,3%. Foi o período da Super Bowl em que a quota de mercado foi mais elevada, a dois pontos percentuais da SIC e com cinco de vantagem sobre o canal público.

O jogo de futebol americano teve especial adesão junto dos targets dos 15 aos 34 anos (15,6% de share) e dos espectadores do Alentejo (17,6% de share). Pela negativa pesaram o Algarve (7% de share) e os espectadores com mais de 75 anos (4,1% de share).

É importante realçar que parte das audiências do jogo só será contabilizada nos números de segunda-feira (3), por este já ter decorrido depois do intervalo horário que compreende o “dia televisivo”, que dura das 02h30 de um dia até às 02h29 do seguinte.

Nos Estados Unidos, a audiência da final do campeonato norte-americano de futebol foi de 102 milhões de espectadores, apenas 1% acima do valor do ano passado, que foi a pior audiência em uma década.

Nos totais diários, a SIC manteve a dianteira com 19,2%, enquanto a TVI marcou 15,7% e a RTP1 se ficou pelos 12,1%.