Fotografia: Divulgação

Warner Bros vai gerir filmes com inteligência artificial

A inteligência artificial será a nova aposta da Warner Bros depois do fracasso de filmes como Batman vs Super Homem. A produtora vai agora contratar uma empresa especializada em inteligência artificial, de modo a calcular o possível sucesso de futuros projectos.

A Warner Bros contratou a Cinelytic, uma startup especializada em inteligência artificial deixando assim de lado a pesquisa de mercado tradicional, segundo avançou o Hollywood Reporter. A falta de sucesso dos filmes da DC, fez com que a Warner Bros optasse por uma medida alternativa de modo de avaliar os projectos a realizar.

Os filmes de super-heróis são um dos recursos mais valiosos da produtora. Porém, alguns dos seus filmes mais recentes como Batman vs Super Homem (2016) e Justice League (2017) foram um fracasso, tendo o último custado 100 milhões de dólares à produtora.

LÊ TAMBÉM: BIRDS OF PREY. MARGOT ROBBIE REVELA DETALHES SOBRE PARTICIPAÇÃO DE JOKER

A Warner Bros espera que esta ferramenta consiga ajudar na gestão de filmes, prevendo receitas de bilheteira e até sucesso dos atores. Este sistema da Cinelytic foi apenas lançado em 2019, mas a empresa já existe há quatro anos.

O novo sistema de inteligência artificial irá facilitar o processo da pesquisa do departamento de filmes da Warner Bros. No entanto, não irá tomar nenhuma decisão criativa final. Tobias Queisser fundador da startup Cinelytic afirmou que a inteligência artificial é boa “a reduzir números e dividir enormes conjuntos de dados e mostrar padrões que não seriam visíveis aos seres humanos. Mas para a tomada criativa de decisões, ainda é precisa experiência e instinto.”

Esta nova ferramenta irá ajudar a calcular o sucesso dos filmes com base nos orçamentos, marca e talento. Sobre a inteligência artificial o fundador da Cinelytic acrescentou ainda que “o sistema pode calcular em segundos o que costumava levar dias para ser avaliado por um ser humano quando se trata de avaliação geral de pacotes de filmes ou do valor de um ator.”

Mais Artigos
Festival da Canção
Festival da Canção em análise. As desilusões e surpresas da segunda semifinal