Nuno Santos já é diretor de programas da TVI. A partir desta segunda-feira (13), quem esteve atento à antena do canal de Queluz de Baixo já pôde ver o nome do veterano da televisão portuguesa nas fichas técnicas. O novo responsável esteve no Jornal das 8 a falar sobre o futuro.

Em entrevista a Miguel Sousa Tavares e Pedro Pinto, Nuno Santos parece afastar mudanças rápidas e radicais, lembrando que em televisão “estes ciclos são normalmente longos” e prometendo que a oferta que está preparar tenha impacto “a partir de meados deste ano” numa primeira fase e “depois, num segundo momento, na reentré, em setembro“.

O diretor de programas é da opinião que nos últimos tempos “se quebrou um elo muito forte que existia entre os portugueses e a TVI“. Está agora apostado em trabalhar programação que, nos pilares do entretenimento, da ficção nacional e da informação possa reestabelecer o canal como “a televisão mais próxima das pessoas“.

Relatando “um dia intenso, bem passado, bem vivido“, o recém-chegado diretor acredita que no atual momento, que descreve como “uma fase de viragem” na estação e no mercado, “é possível inverter a situação e voltar a colocar a TVI no centro das atenções e perto das pessoas“.

Nuno Santos recusa a morte da televisão generalista e sublinha: “Nós ainda temos um papel muito importante na vida das pessoas“.

A TVI, líder de audiências entre 2004 e 2018, perdeu o lugar para a SIC em 2019 e nos primeiros dias de janeiro tem disputado o segundo lugar com a RTP1. O principal trabalho do novo responsável pela programação do canal da Media Capital será reinverter esta tendência.