Cristina Ferreira / O Programa da Cristina

O que fez de ‘O Programa da Cristina’ um sucesso?

O Programa da Cristina celebra esta terça (7) o primeiro aniversário, numa emissão especial das 10h às 19h, na SIC. Mas fica a pergunta, o que há de tão bom no programa de Cristina Ferreira?

Estreou a 7 de janeiro de 2019 e desde então nunca perdeu contra os habituais rivais. Cristina Ferreira mudou-se para a SIC em agosto de 2018, mas foi só em janeiro que a apresentadora colocou o seu programa no ar. Assumido como um sonho que a TVI terá rejeitado, Cristina ComVida, o nome de rascunho para o projeto que viria a tornar-se n’O Programa da Cristina, era um objetivo há muito guardado e que acabou por se tornar uma pedra no sapato na estação de Queluz.

No programa da estreia, Cristina Ferreira conseguiu um resultado histórico para as manhãs da SIC. Foram mais de 600 mil telespectadores a acompanhar a estreia, o correspondente a 6,9% de rating e 40,6% de share, colocando logo a SIC na linha da frente contra a TVI. Do outro lado, Manuel Luís Goucha e a recém estreada Maria Cerqueira Gomes não aguentaram e caíram para o pior resultado de sempre – na altura – ainda longe de imaginar que no verão viriam a disputar o segundo lugar com A Praça da Alegria.

‘A Praça da Alegria’ (RTP1), ‘O Programa da Cristina’ (SIC) e ‘Você na TV!’ (TVI)

A TVI estava solidificada como líder nas manhãs há mais de uma década. Antes disso, era Fátima Lopes com SIC 10 Horas e, mais tarde, Fátima, que liderava as manhãs nacionais. Mas, com o crescer da dupla Cristina e Goucha, Fátima viu a sua liderança fraquejar, até que a perdeu em setembro de 2008. Durante o verão do mesmo ano, Fátima ainda conseguiu uma audiência média de 3,7%, contra 3,1% do Você na TV!. No entanto, em setembro, o caso mudou de figura e a dupla da TVI trocou as voltas à apresentadora, ultrapassando-a pela primeira vez na média mensal, com 3,2% para Manuel Luís Goucha e Cristina Ferreira, e 2,7% para Fátima Lopes. Em janeiro de 2009, a diferença já era de um ponto.

Desde então, Você na TV! seguiu como líder nas manhãs. A Praça da Alegria viu a sua chama a esbater-se com o tempo e a SIC, assustada com a perda da liderança, foi estreando formatos nas manhãs na tentativa de abafar o sucesso monstruoso que Cristina e Goucha estavam a conquistar.

‘Companhia das Manhãs’, ‘Querida Júlia’ e ‘Queridas Manhãs’ foram as apostas mal sucedidas da SIC para vencer a TVI.

Nuno Santos, na altura diretor de programas da SIC, recrutou Rita Ferro Rodrigues e Francisco Menezes para encabeçarem Companhia das Manhãs, colocando Fátima Lopes nas tardes com o seu Vida Nova. Porém, o programa matinal nunca conseguiu liderar ou sequer fazer a diferença. Seguiu-se a contratação polémica de Júlia Pinheiro, que regressou à SIC com Querida Júlia, também na promessa de vencer a dupla da TVI. Nunca o fez. Nem com João Paulo Rodrigues ao seu lado, em Queridas Manhãs. Foram precisos dez anos para a SIC recuperar a liderança. Dez anos… e Cristina Ferreira.

O talk-show que atualmente lidera as manhãs e que, segundo alguns, terá ajudado a consolidar a SIC como a estação líder em Portugal mais de uma década depois, celebra agora o seu primeiro aniversário e com tanto sucesso, é certo que ainda mais estão por vir. No entanto, fica a pergunta. Será O Programa da Cristina um talk-show como todos os outros ou há, de facto, algo mais? O Espalha-Factos enumera-te três motivos pelos quais o programa se tornou um sucesso:

Cristina Ferreira

Cristina Ferreira nunca tinha trabalhado na SIC até ser contratada por Daniel Oliveira.

O Programa da Cristina nunca teria alcançado o sucesso que tem se não fosse de Cristina Ferreira. Embora grande parte do seu sucesso se deva ao formato inovador, outra grande parte desse mesmo fenómeno vem do poder da apresentadora que cativou multidões a espreitarem o primeiro episódio do seu programa.

Mudar para a SIC podia ser visto como um perigo, afinal Júlia Pinheiro e João Baião tinham trocado o certo pelo incerto e os resultados nunca foram animadores. Júlia Pinheiro viu o seu programa perder diariamente contra a dupla da TVI e João Baião via Fátima Lopes a milhas de distância. Porém, com Cristina Ferreira o caso foi diferente. A apresentadora não só conseguiu continuar a fazer sucesso como fez, em 2019, mais sucesso do que nunca.

Totalmente imbatível nas manhãs, a cara da SIC ficou responsável também pelo game-show Prémio de Sonho, ao final da tarde, e também pela edição anual dos Globos de Ouro, que subiu ao melhor resultado dos últimos anos. As escolhas de vestuário da apresentadora foram do mais comentado na internet e, para o bem e para o mal, colocaram o nome da estrela da SIC nos trending topics do Twitter, local onde já havia chegado diversas vezes.

O Presidente da República telefonou a Cristina Ferreira na estreia do programa e deixou-a em lágrimas.

A estreia de O Programa da Cristina ficou ainda marcada pela chamada telefónica do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que ligou à apresentadora para desejar boa sorte neste seu novo desafio. O momento foi muito comentado nas redes sociais, em especial em tom de crítica ao Presidente, por ter dito que teria “interrompido uma reunião” para desejar boa sorte à apresentadora. Verdade ou não, Marcelo Rebelo de Sousa não se livrou de críticas por apoiar a estreia de Cristina Ferreira e por a ter colocado acima de assuntos do Estado.

A casa

O cenário de ‘O Programa da Cristina’ tem a ideia de servir como casa da apresentadora.

A principal diferença entre o formato da SIC e os outros talk-shows da televisão portuguesa é essencialmente uma: o cenário. Com 500 metros quadrados e um grande investimento por parte da SIC, o cenário de O Programa da Cristina foi construído com precisão e com a máxima atenção ao detalhe. Se está de chuva em Portugal, os vidros da janela de Cristina Ferreira ficam molhados. Se há vento, as cortinas balançam e esvoaçam. Se é de noite – como aconteceu no especial com Ângelo Rodrigues – a casa torna-se mais escura.

A casa de Cristina Ferreira é dividida em oito divisões, a Sala de Estar, a Cozinha, o Quarto, o Escritório, a Casa de Banho, a Entrada, o Jardim e a Garagem.

O cenário do programa de Cristina Ferreira é funcional e acolhedor, para quem o vê. O objetivo é fazer o telespectador sentir-se em casa e nada melhor do que criar a ilusão de que está mesmo em casa. Os episódios do programa dividem-se pelas várias divisões. As conversas com os convidados acontecem na Sala, enquanto a Análise Criminal viaja até ao Escritório, onde são discutidos temas da atualidade. Já a Garagem serve para colocar os carros que o programa, de vez a vez, oferece aos seus espectadores.

O cenário de ‘Querida Júlia’ era apenas um palco com o público ao seu redor.

Comparar o cenário com qualquer outro cenário que exista ou tenha existido na última década é uma comparação, no mínimo, chocante. Herman José e o seu Cá Por Casa já utilizavam a ideia que Cristina Ferreira trouxe para as manhãs da SIC, mas não à escala que a estação privada se propôs. O Programa da Cristina ruiu com o passado e criou um cenário totalmente inédito nas manhãs portuguesas, assim como todo o conceito do formato que parece, nos momentos de humor, tratar-se de uma sitcom.

Dinâmica é a palavra que descreve o programa das manhãs da SIC. Não estamos três horas a olhar para o mesmo sítio, estamos três horas a sentirmo-nos em casa, com uma apresentadora que acorda de pijama, que anda descalça pela casa e que recebe os seus vizinhos para lhe contar todas as fofocas do seu bairro e de outras terras. Há uma sensação de comunidade, quando assistimos ao O Programa da Cristina. Comunidade essa que marcou e continua a marcar as manhãs.

Os vizinhos

Cláudio Ramos e Joana Barrios são os ‘vizinhos’ de Cristina Ferreira.

Grande parte das pessoas que vivem em grandes cidades não conhecem nem o nome dos seus próprios vizinhos, mas em casa de Cristina Ferreira o cenário é outro. Cláudio Ramos não só é responsável por alguns momentos de comédia que passa com a apresentadora, como também toma conta da casa quando esta se ausenta com férias.

O comentador do social apresentou durante alguns meses o Queridas Manhãs, quando Júlia Pinheiro se mudou para as tardes de Paço de Arcos, deixando uma vaga nas manhãs que só seria preenchida a sério quando a ex-apresentadora da TVI se estreasse nas manhãs. Enquanto isso não aconteceu, João Paulo Rodrigues, Ana Marques e Cláudio Ramos seguraram as rédeas das manhãs, apesar de nunca terem conseguido fazer frente à concorrência que, na altura, já era apenas Manuel Luís Goucha.

No entanto, ao longo do ano que passou, todas as vezes que Cláudio Ramos ficou sozinho nas manhãs, o formato da SIC continuou líder.

A função de Cláudio Ramos e dos restantes vizinhos, no entanto, é mais do que segurar o barco quando a capitã se ausenta. Joana Barrios, atriz, apresentadora e chefe de culinária, fica também encarregue dos melhores momentos na cozinha do programa.

O Programa da Cristina completa o primeiro ano de vida e a SIC preparou uma emissão especial a começar à hora habitual do programa e a terminar ao final da tarde, antes de Amigos Improváveis.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Nomadland
Prémios BAFTA 2021. ‘Nomadland’ dominou com várias surpresas